COLUNA TURISMO DE VALOR

Ministério do Turismo relaxa isolamento contra coronavírus e convoca servidores

Órgão determinou que os funcionários da pasta reassumam seus postos nas respectivas repartições a partir da próxima segunda-feira (11)

Mona Lisa Dourado
Mona Lisa Dourado
Publicado em 07/05/2020 às 21:49
Notícia
ROBERTO CASTRO/MTUR/DIVULGAÇÃO
Pessoas que entrarem no edifício do MTur terão temperatura aferida - FOTO: ROBERTO CASTRO/MTUR/DIVULGAÇÃO
Leitura:

POR MONA LISA DOURADO, DA COLUNA TURISMO DE VALOR

No dia em que o Brasil registra 135 mil casos confirmados de contaminação pelo novo coronavírus e 9.146 mortes, 615 somente nas últimas 24 horas, o Ministério do Turismo (MTur) determinou que os servidores da pasta reassumam seus postos nas respectivas repartições a partir da próxima segunda-feira (11).

Para isso, o órgão revogou nesta quinta-feira (7) parte de uma portaria que permitia o trabalho remoto dos funcionários. Em nota divulgada no site do órgão, o MTur diz que se prepara para a volta gradual dos colaboradores depois de publicar nova portaria no Diário Oficial da União convocando para a retomada de atividades presenciais os trabalhadores que não se enquadram no grupo de risco da covid-19 ou não tenham uma justificativa específica para permanecer em home office.

>> Nada será como antes do coronavírus no turismo

>> Empresas de turismo e cultura não serão obrigadas a reembolsar consumidor por cancelamentos causados pelo coronavírus

>> Empetur e Setur lançam serviço de orientação via Whatsapp para empresários e profissionais de turismo afetados pelo coronavírus

São consideradas parte do grupo de risco pessoas com 60 anos ou mais, com imunodeficiência ou doenças preexistentes crônicas ou graves. O MTur não informou quantas pessoas se enquadram nessa condição.

Na portaria publicada em março, o Ministério do Turismo havia autorizado secretarias, diretorias e assessorias a reorganizar o trabalho dos colaborares no sentido de combater a proliferação do novo coronavírus.

O Ministério do Turismo diz que agora só poderão continuar em "teletrabalho remoto" responsáveis pelo cuidado de uma ou mais pessoas com suspeita ou confirmação de diagnóstico de infecção por covid-19 ou que apresentem sinais e sintomas gripais, assim como gestantes ou lactantes, além dos servidores e colaboradores que possuam filhos em idade escolar ou inferior e que necessitem da assistência de um dos pais. Em todos esses casos, serão necessárias comprovação da condição e autorização da chefia imediata para o trabalho remoto.

O retorno dos servidores às atividades presenciais, segundo o MTur, atende a padrão estabelecido pelo governo federal para os demais órgãos da administração federal.

DIVULGAÇÃO
Pasta liderada por Marcelo Álvaro Antônio diz que segue padrão do governo federal - DIVULGAÇÃO

Ainda em nota, o ministério ressalta que tomará medidas para prevenção da transmissão da covid-19 nas instalações do órgão, a exemplo de "instalação, do lado de fora da portaria principal, de uma pia para lavagem de mãos, bem como disponibilização de álcool gel". Além disso, informa, "foram instalados unifilas para evitar aglomerações e garantir a distância de segurança de quem acessa o prédio".

As pessoas que entrarem no edifício do MTur também terão sua temperatura aferida.

Seja como for, a retomada do trabalho presencial e exposição de trabalhadores de atividades não essenciais justamente em um momento de escalada de casos e mortes por covid-19 no País só contribui para a imagem negativa que o Brasil vem construindo diante da gestão errática da crise.

Soa como descaso com a vida dos seus cidadãos. E isso não traz nada de bom para o turismo do País. Menos ainda quando se soma à notícia de que o  presidente Jair Bolsonaro anunciou uma festa no Palácio da Alvorada no próximo sábado (9) para 30 convidados, incluindo ministros e servidores, em plena pandemia e contrariando todas as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), que recomenda o distanciamento social. É puro escárnio.  

LEIA MAIS CONTEÚDO DA COLUNA TURISMO DE VALOR

DIVULGAÇÃO
Ex-ministro do Turismo, Álvaro Antônio - FOTO:DIVULGAÇÃO

Comentários

Últimas notícias