Música

Artistas da música gospel pernambucana crescem no cenário nacional

Acidente com Amanda Wanessa jogou luz sobre a cantora gospel, que já era bastante conhecida nos circuitos local e nacional

Márcio Bastos
Márcio Bastos
Publicado em 08/01/2021 às 15:00

REPRODUÇÃO
A assessoria da artista pediu para que os fãs continuem em oração pela recuperação de Amanda - FOTO: REPRODUÇÃO
Leitura:

O grave acidente de carro envolvendo a cantora Amanda Wanessa, ocorrido na última segunda-feira (4), repercutiu em todo o País, gerando uma onda de solidariedade à pernambucana natural de Palmares, na Zona da Mata do Estado, e jogando luz sobre a artista. No meio gospel, no entanto, Amanda — que continua internada no Hospital Português, no Recife — se destaca, há alguns anos, como um nome forte, inserindo-se em uma cena cada vez mais representativa, cujos números crescem a cada ano.

Leia mais:

Amanda Wanessa: "Já mexeu a mão, pé e apertou os olhos. Deus está fazendo milagres", diz cunhado da cantora

O fenômeno da música gospel não é recente e tem suas raízes nos Estados Unidos, onde se configura como um dos mais rentáveis gêneros musicais. A Música Cristã Contemporânea, como aponta o pesquisador Joêzer de Souza Mendonça no trabalho O Gospel é Pop: Música e Religião na Cultura Pós-Moderna, tem dialogado com diferentes ritmos da canção popular, como o rock, sertanejo e o hip-hop, e chamado atenção das grandes gravadoras. Essas transformações, afirma, têm ajudado a canção evangélica a romper barreiras e chegar até espaços seculares.

De acordo com a Associação de Empresas e Profissionais Evangélicos (Abrepe), a música gospel representa cerca de 20% do mercado fonográfico aqui no Brasil e se fortaleceu muito em 2020, durante a pandemia (ler mais na vinculada).

Em Pernambuco, o gênero tem muitos representantes que se destacam tanto no âmbito local, no circuito das igrejas e de eventos especializados, quanto nacionalmente. Amanda Wanessa, por exemplo, já contava com mais de 300 mil seguidores no Instagram antes do acidente que sofreu. Desde então, o número aumentou para mais 570 mil, vários deles não evangélicos, que têm deixado depoimentos desejando melhoras à artista de 33 anos.

A cantora é uma das contratadas da gravadora nacional MK Music, que representa alguns dos maiores nomes da música gospel no Brasil, como Midian Lima, Delino Marçal e Sarah Farias. Em seu canal no YouTube, a pernambucana tem mais de 1 milhão de inscritos e sua gravação de É Adorar conta com mais de 77 milhões de visualizações na plataforma — número que ultrapassa o de muitos artistas do pop nacional e internacional. Ao todo, ela, que tem oito álbuns gravados, acumula 460 milhões de visualizações.

A recifense Eliã Oliveira também chama atenção na cena gospel local: seu perfil no Instagram tem mais de 730 mil seguidores e, no YouTube, suas canções já foram executadas mais de 28 milhões de vezes. Sua versão de Gideão e Seus Trezentos, cujo clipe está publicado na plataforma, acumula 23 milhões de acessos. No Spotify, são 73 mil ouvintes mensais e 156 mil seguidores.

O cantor pernambucano Samuel Mariano é outro nome local cujo sucesso ultrapassou fronteiras. No YouTube, seu canal tem mais de 1 milhão de inscritos e 130 milhões de visualizações. No Instagram, também é influente, com 2,6 milhões de seguidores. No Spotify, suas músicas somam mais de 15 milhões de execuções, com 130 mil ouvintes mensais e 260 mil seguidores. Entre seus maiores sucessos estão Eu Sei Que Dói e Respira.

Também expoente de Pernambuco no mercado nacional, o cantor Elizeu Alves é seguido por 69 mil pessoas no Instagram e é dono do hit Sou Casa, que soma, no Spotify (plataforma na qual tem mais de 450 mil ouvintes mensais), mais de 20 milhões de execuções e, no Youtube, passa das 41 milhões de visualizações.

REPRODUÇÃO
DESTAQUE Amanda Wanessa é um nome forte no segmento gospel - FOTO:REPRODUÇÃO

Comentários

Últimas notícias