Retorno

Primeiro dia de reabertura dos shoppings no Grande Recife é marcado por movimentação tranquila e cuidados com higienização

De acordo com a Apesce, 16 dos 19 centros de compras no Estado retomaram as atividades nesta segunda-feira (22)

Marcelo Aprígio
Marcelo Aprígio
Publicado em 22/06/2020 às 20:37
Notícia
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
No RioMar, na Zona Sul da capital pernambucana, 90% das lojas levantaram as portas para atender um fluxo simultâneo de 7 mil pessoas, com respeito à segurança e higiene - FOTO: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Leitura:

Após três meses de portas fechadas, os shoppings do Grande Recife puderam, outra vez, receber milhares de consumidores, que estavam com saudades dos centros de compras. No primeiro dia de reabertura, os malls tiveram um movimento tranquilo e público conscientizado, que manteve a distância de segurança e respeitou as regras de higienização.

>> Mesmo com comércio impedido de abrir, Feira da Sulanca atrai multidão em Caruaru

Em alguns centros de compra, pouco antes da abertura, clientes formaram filas que logo foram desfeitas assim que as portas se abriram, às 12h. Segundo a Associação Pernambucana de Shopping Centers (Apesce), o motivo das filas foi a necessidade de aferição de temperatura, observação quanto ao uso de máscaras e oferta de álcool para higienização das mãos.

Com o horário reduzido, os shoppings fecham às 20h e têm ocupação máxima limitada a 30% da sua capacidade.

De acordo com a Apesce, dos 19 centros de compras no Estado, apenas os três localizados em Caruaru não retomaram as atividades nesta segunda-feira (22). Isso porque a cidade está entre os 85 municípios do Agreste e da Zona da Mata de Pernambuco que, por não mostrarem tendência de queda nos casos de covid-19, tiverem as medidas de restrição mantidas pelo governo estadual.

Também nesta segunda (22), lojas com mais de 200 metros quadrados e templos religiosos receberam autorização para reabrir. Desde o começo do mês, setores da economia vêm sendo reabertos gradualmente e, com isso, comércio atacadista, varejista, salões de beleza e lojas de materiais de construção já puderam retomar suas atividades. Obras da construção civil e consultórios e clínicas de saúde também tiveram a reabertura autorizada pelo governo de Pernambuco.

BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Shopping RioMar. Após a flexibilização das normas de isolamento e a abertura gradual do comércio para diminuir a disseminação do coronavírus, em Pernambuco, os Shoppings do Estado tiveram a autorização para abrirem as portas ao público, num horário mais curto, seguindo normas de segurança e com menor fluxo de consumidores dentro das lojas. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Shopping RioMar. Após a flexibilização das normas de isolamento e a abertura gradual do comércio para diminuir a disseminação do coronavírus, em Pernambuco, os Shoppings do Estado tiveram a autorização para abrirem as portas ao público, num horário mais curto, seguindo normas de segurança e com menor fluxo de consumidores dentro das lojas. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
No RioMar, na Zona Sul da capital pernambucana, 90% das lojas levantaram as portas para atender um fluxo simultâneo de 7 mil pessoas, com respeito à segurança e higiene - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Shopping RioMar. Após a flexibilização das normas de isolamento e a abertura gradual do comércio para diminuir a disseminação do coronavírus, em Pernambuco, os Shoppings do Estado tiveram a autorização para abrirem as portas ao público, num horário mais curto, seguindo normas de segurança e com menor fluxo de consumidores dentro das lojas. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Shopping RioMar. Após a flexibilização das normas de isolamento e a abertura gradual do comércio para diminuir a disseminação do coronavírus, em Pernambuco, os Shoppings do Estado tiveram a autorização para abrirem as portas ao público, num horário mais curto, seguindo normas de segurança e com menor fluxo de consumidores dentro das lojas. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Shopping RioMar. Após a flexibilização das normas de isolamento e a abertura gradual do comércio para diminuir a disseminação do coronavírus, em Pernambuco, os Shoppings do Estado tiveram a autorização para abrirem as portas ao público, num horário mais curto, seguindo normas de segurança e com menor fluxo de consumidores dentro das lojas. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Shopping RioMar. Após a flexibilização das normas de isolamento e a abertura gradual do comércio para diminuir a disseminação do coronavírus, em Pernambuco, os Shoppings do Estado tiveram a autorização para abrirem as portas ao público, num horário mais curto, seguindo normas de segurança e com menor fluxo de consumidores dentro das lojas. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Shopping RioMar. Após a flexibilização das normas de isolamento e a abertura gradual do comércio para diminuir a disseminação do coronavírus, em Pernambuco, os Shoppings do Estado tiveram a autorização para abrirem as portas ao público, num horário mais curto, seguindo normas de segurança e com menor fluxo de consumidores dentro das lojas. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Shopping RioMar. Após a flexibilização das normas de isolamento e a abertura gradual do comércio para diminuir a disseminação do coronavírus, em Pernambuco, os Shoppings do Estado tiveram a autorização para abrirem as portas ao público, num horário mais curto, seguindo normas de segurança e com menor fluxo de consumidores dentro das lojas. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Shopping RioMar. Após a flexibilização das normas de isolamento e a abertura gradual do comércio para diminuir a disseminação do coronavírus, em Pernambuco, os Shoppings do Estado tiveram a autorização para abrirem as portas ao público, num horário mais curto, seguindo normas de segurança e com menor fluxo de consumidores dentro das lojas. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Shopping RioMar. Após a flexibilização das normas de isolamento e a abertura gradual do comércio para diminuir a disseminação do coronavírus, em Pernambuco, os Shoppings do Estado tiveram a autorização para abrirem as portas ao público, num horário mais curto, seguindo normas de segurança e com menor fluxo de consumidores dentro das lojas. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Shopping RioMar. Após a flexibilização das normas de isolamento e a abertura gradual do comércio para diminuir a disseminação do coronavírus, em Pernambuco, os Shoppings do Estado tiveram a autorização para abrirem as portas ao público, num horário mais curto, seguindo normas de segurança e com menor fluxo de consumidores dentro das lojas. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM

No RioMar Recife, na Zona Sul da capital pernambucana, 90% das lojas levantaram as portas para atender um fluxo simultâneo de 7 mil pessoas. Todas respeitando as orientações de segurança, segundo a gerente de Marketing do mall, Denielly Halinski. “Percebemos uma volta tranquila, com muito cuidado. As pessoas estão bem disciplinadas em relação às medidas”, diz Halinski, afirmando que o RioMar sinalizou pisos e escadas rolantes com marcas para indicar o distanciamento adequado. Além disso, o shopping disponibilizou mais de 100 pontos de higienização. “As pessoas já colocam álcool em gel nas mãos assim que chegam”, conta Denielly Halinski.

Sem poder usar o celular desde que foi assaltada, em março, a aposentada Lavínia Teshima, 61 anos, foi uma das primeiras pessoas a entrar no RioMar. “Todas as lojas da operadora estavam fechadas, e eu não tinha como resgatar meu número, por isso aproveitei os primeiros instantes da reabertura do shopping para resolver isso”, diz ela, que, com pressa para ser atendida, por fazer parte do grupo de risco, afirma que, além dos protocolos de segurança adotados pelo centro de compras, ela não deixa de andar com seu frasco de álcool gel. “O RioMar está muito bem preparado para receber as pessoas de volta, mas cada um de nós tem que fazer sua parte”, pontua a aposentada.

O motorista Manoel Júnior, 36, também precisou ir ao RioMar fazer algumas compras e conta que se surpreendeu com a quantidade de pessoas no dia da reabertura do shopping, mas diz se sentir seguro no local por observar as medidas sanitárias adotadas pelo mall e clientes. “Eu esperava menos pessoas, mas não me assusto porque vejo que todos os cuidados estão sendo tomados”, afirma ele.

Com a volta do público aos corredores do mall, o lojista Artur Veiga, da Mahogany Cosméticos, espera bons números para os negócios da franquia. "Esses primeiros 15 dias vão garantir um bom volume de vendas, porque o pessoal estava há 93 dias em isolamento e deve voltar com tudo agora. Então, esperamos um movimento acima do normal", diz Artur Veiga, afirmando que continuará na plataforma de vendas RioMar Online e nos serviços de delivery e drive-thru, que estão mantidos pelo shopping. “Foram essas alternativas que nos ajudaram a manter o mínimo de faturamento possível durante o período que estivemos fechados”, declara o lojista.

Ao ver o retorno dos consumidores, a vendedora da Kopenhagen Elizangela Dias, 35, se encheu de esperança. “Estamos vindo com tudo para vender e recuperar os meses que estivemos fechados. É grande a expectativa para recuperarmos o tempo perdido”, diz Elizangela.

No outro lado da cidade, no bairro de Santo Amaro, área central do Recife, o Shopping Tacaruna recebeu mais de 10.480 pessoas até as 18h. De acordo com a superintendente do centro de compras, Sandra Arruda, a retomada das atividades no estabelecimento também foi tranquila. “Não tivemos dificuldades na nossa reabertura, que seguiu o protocolo estabelecido pelo governo do Estado”, afirma Sandra. Ela disse ainda que, na área externa de algumas lojas houve a formação de filas por causa da proximidade do São João. “Mas os clientes, sempre bem conscientes, respeitaram o distanciamento”, frisa a superintendente do shopping.

Em seu primeiro dia de abertura o Shopping Boa Vista, no Centro da cidade, operou com 20% da capacidade e 95% de suas operações âncoras e satélites ativas, que foram as mais buscadas pelo público. A procura por essas lojas também foi grande no Shopping Recife, na Zona Sul, onde cerca de 20 mil clientes passaram pelo mall até as 17h dessa segunda-feira, com uma média de 6.500 simultaneamente.

Para a administração do Plaza Shopping, em Casa Forte, na Zona Norte, considerando o primeiro dia e a véspera do São João, a reabertura foi tranquila, dentro do esperado, com o público usando máscara, medida obrigatória para clientes e funcionários, e seguindo as orientações para higienização e distanciamento social.

Em Jaboatão, no Grande Recife, a volta às atividades foi considerada satisfatória pelo Shopping Guararapes. De acordo com a administração, o primeiro dia de reabertura contou com o fluxo de 16mil pessoas, o que representa cerca de 30% do volume de clientes atendidos num dia comum.

Na cidade do Paulista, também na Região Metropolitana, o retorno do funcionamento dos shoppings foi exitoso, na visão do superintendente do, Paulista North Way Shopping, Marco Motta. “Atingimos todas as nossas expectativas”, pontua ele. O Camará Shopping, em Camaragibe, na RMR, realizou sua reabertura de forma bastante tranquila, sem qualquer registro de aglomeração, segundo a administração do mall.

Diferente dos demais, o Shopping Costa Dourada já havia aberto as portas na semana passada, seguindo todos os protocolos traçados pela Associação Brasileira de Shoppings Centers. Durante a abertura, todas as entradas foram abertas e equipadas com aferição de temperatura e tótens de álcool em gel.

Ainda mais cedo, o River Shopping, em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, voltou a funcionar no dia 1º de junho, graças ao plano de flexibilização criado pela prefeitura da cidade. O mall funcionar com 87% das operações seguindo rigorosamente os protocolos de segurança exigidos pela Organização Mundial da Saúde

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias