Retomada da economia

Veja onde bares e restaurantes poderão funcionar até meia-noite e com 70% da capacidade em Pernambuco

A partir da próxima segunda-feira, setor que foi um dos últimos a reabrir no Estado terá flexibilização

JC
JC
Publicado em 23/09/2020 às 18:32
Notícia
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
Horário de funcionamento poderá ser das 6h até meia-noite - FOTO: YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

O setor de bares e restaurantes, um dos últimos a ter autorização para funcionar na retomada da economia, terá suas normas de funcionamento flexibilizadas a partir desta quinta-feira (24). O secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Bruno Schwambach, anunciou durante coletiva online, nesta quarta (23), que os estabelecimentos poderão funcionar no horário das 6h até meia noite. Desde a reabertura, no dia 20 de julho, os bares estavam funcionando até às 22h. 

A novidade é válida para as cidades que avançam para a Etapa 9 do Plano de Convivência das Atividades Econômicas com a Covid-19 (lista abaixo). São as cidades da Macrorregião 1, que compõem a Região Metropolitana do Recife e a Zona da Mata Sul e Norte, além da Gerência Regional de Saúde IV, que tem Caruaru como cidade polo.

Outra mudança é a flexibilização da capacidade máxima dos ambientes. Na reabertura essa restrição ficou em 50% e agora vai subir para 70%, garantindo a presença de um número maior de clientes dentro dos estabelecimentos. Assim, a distância obrigatória entre as mesas passa para 1 metro. Apesar das novas regras, os bares e restaurantes precisam manter os protocolos específicos para o setor, estabelecidos pelo governo de distanciamento social e higiene.

"Os primeiros dois meses foram de ajustes para o setor de alimentação. Tivemos problemas pontuais, mas a maioria dos estabelecimentos se mostrou adaptável. Eles conseguiram retomar a rotina como um ambiente controlado e seguro para os clientes e, por isso, decidimos ampliar a carga de funcionamento do setor, já que quase todo o Estado se encontra na ‘área verde’, que significa a estabilização da queda dos casos de contágio”, avalia o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach, que participou da coletiva online nesta quarta-feira (23).

Setor se mostra aliviado 

A notícia foi recebida com alívio pelo presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Pernambuco (Abrasel-PE), André Araújo. Segundo ele, a ampliação do horário vem sendo solicitada ao governo do Estado desde que o serviço foi autorizado a retomar as atividades. Araújo explica que, para fechar o estabelecimento às 22h, as comandas das mesas deveriam ser encerradas até às 21h, o que desestimulava os clientes de estabelecimentos com o perfil de happy hour. "Os empresários comprometido com os protocolos de segurança tinham que encerrar as atividades ainda muito cedo para que tudo estivesse dentro do previsto até às 22h", argumenta.

Ainda de acordo com o presidente da Abrasel-PE as duas horas complementares e a redução do distanciamento entre as mesas traz algum alívios para os empresários do setor, mas ele é cauteloso ao dizer que os reflexos dessa flexibilização são deverão ser sentidos após cerca de 15 dias. "Do jeito que estava a movimentação não estava cobrindo os custos, agora nós podemos esperar uma melhora, mas ainda é algo que precisamos esperar o comportamento do cliente, como ele vai se adaptar as novos horários", analisa.

 

André Araújo conta que mesmo após meses de portas fechadas, o setor de bares e restaurantes não sofreu um boom de procura pelos clientes que a a retomada foi conquistada semana a semana. Ele ainda explica que a proposta de ampliação no número de clientes ainda não significa que o setor voltará a contratar, já que, por enquanto, a demanda esta sendo suprida dentro dos protocolos de segurança sanitária. "Além disso, estamos com dificuldade de encontrar bons profissionais. Aqueles que são bem qualificados não esperaram todo esse tempo para se recolocar ou mesmo seguiram para outros caminhos", pontua.

Segundo a Abrasel, Pernambuco conta hoje com cerca de 17.300 bares e restaurantes, sendo cerca de 70% concentrados no Grande Recife. No entanto, quando contabilizados todos os outros serviços de alimentação como lanchonetes, cafés, conveniências, e etc, o Estado chega a possuir mais de 30 mil estabelecimentos.

CONFIRA AS CIDADES QUE AVANÇAM PARA ETAPA 9

I Gerência Regional de Saúde

Abreu e Lima, Araçoiaba, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Chã Grande, Chã de Alegria, Glória de Goitá, Fernando de Noronha, Igarassu, Ipojuca, Itamaracá, Itapissuma, Jaboatão dos Guararapes, Moreno, Olinda, Paulista, Pombos, Recife, São Lourenço da Mata e Vitória de Santo Antão.

II Gerência Regional de Saúde

Bom Jardim, Buenos Aires, Carpina, Casinhas, Cumaru, Feira Nova, João Alfredo, Lagoa de Itaenga, Lagoa do Carro, Limoeiro, Machados, Nazaré da Mata, Orobó, Passira, Paudalho, Salgadinho, Surubim, Tracunhaém, Vertente do Lério, Vicência.

III Gerência Regional de Saúde

Água Preta, Amaraji, Barreiros, Belém de Maria, Catende, Cortês, Escada, Gameleira, Jaqueira, Joaquim Nabuco, Lagoa dos Gatos, Maraial, Palmares, Primavera, Quipapá, Ribeirão, Rio Formoso, São Benedito do Sul, São José da Coroa Grande, Sirinhaém, Tamandaré, Xexéu.

IV Gerência Regional de Saúde

Agrestina, Alagoinha, Altinho, Barra de Guabiraba, Belo Jardim , Bezerros, Bonito, Brejo da Madre de Deus, Cachoeirinha, Camocim de São Felix, Caruaru, Cupira, Frei Miguelinho, Gravatá, Ibirajuba, Jataúba, Jurema, Panelas, Pesqueira, Poção, Riacho das Almas, Sairé, Sanharó, Santa Cruz do Capibaribe, Santa Maria do Cambucá, São Bento do Uma, São Caetano, São Joaquim do Monte, Tacaimbó, Taquaritinga do Norte, Toritama, Vertentes.

XII Gerência Regional de Saúde

Goiana, Aliança, Camutanga, Condado, Ferreiros, Itambé, Itaquitinga, Macaparana, São Vicente Ferrer, Timbaúba.

Regras do protocolo dos bares e restaurantes

Distanciamento social

- Proibida a realização de shows. Música ambiente respeitando limitação de 35db;
- Se possível, ampliar número de acessos, com entradas e saídas separadas;
- Distanciamento mínimo de 1 metro entre clientes em mesas diferentes, locais de espera e caixa. Mesas até 10 pessoas;
- Mesas em espaços públicos com autorização do público municipal;
- Avaliar a redução dos trabalhadores na entrega, turnos diferenciados ou zonas separadas de trabalho;
- Evitar reuniões presencias, aglomerações nos intervalos, capacidade máxima em áreas comuns, distribuir e coordenar intervalos entre diferentes setores;
- Reduzir e controlar rigorosamente o acesso de pessoas externas às áreas de produção e manipulação de alimentos, incluindo fornecedores;
- Guichês de atendimento de coleta com anteparos de vidro ou acrílico para proteção;
- Mercadorias para coleta e entrega devem estar em local com controle exclusivo do estabelecimento;

Higiene

- Todos os funcionários de máscaras;
- Clientes sem máscaras só quando estiverem nas mesas ou se alimentando;
- Reforço da limpeza e desinfecção das superfícies mais tocadas e banheiros a cada duas horas;
- Álcool 70% em todos os pontos de entrada e de atendimento;
- Na cozinha, reservar espaço para a higienização dos alimentos de acordo com o Programa Alimento Seguro ou outro protocolo similar;
- Cardápios em material que possibilite a higienização a cada atendimento;
- Priorizar sachês individuais para temperos como sal e pimenta, além de palitos de dente e adoçantes;
- Em caso de existência de bufê, alimentos cobertos por protetores salivares com fechamento frontal e lateral. Em self-service, devem ser entregues luvas de plástico descartáveis no começo da fila, antes do toque nas bandejas e/ou pratos. Talheres em embalagens individuais;
- Limpar e higienizar mesas, cadeiras, superfícies de comer (bandejas) após o uso de cada cliente. Desinfetar com produtos a base de cloro, álcool, fenóis, quaternário de amônia, álcool a 70% líquido ou gel. 

Comentários

Últimas notícias