Violência

Três mulheres são encontradas mortas no Grande Recife em 24 horas

As mortes ocorreram no Recife e em Igarassu

JC
JC
Publicado em 18/02/2021 às 20:04
Notícia

Reprodução/TV Jornal
Dilma Alberto da Silva Rocha foi morta na Rua Dom Pedro Viçosa, no Barro - FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

Com informações de Mônica Ermírio, da TV Jornal

Três mulheres foram encontradas mortas na Região Metropolitana do Recife entre a quarta (17) e esta quinta-feira (18), nos bairros do Barro, na Zona Oeste do Recife, na Ilha do Leite, na área central da capital, e no munício de Igarassu, na Região Metropolitana.

Uma das vítimas, Tereza Damiana da Silva, de 68 anos, era viúva há pouco mais de um ano. Ela morava sozinha na Rua João Vicente Xavier, no bairro de Santa Rita em Igarassu. De acordo com a perícia, a idosa foi encontrada na cozinha, nesta quinta-feira (18), com as mãos amarradas e a boca amordaçada. A mulher teria sido estrangulada com um fio.

Ainda segundo a perícia, o corpo da idosa já estava em estado de decomposição, portanto ela poderia estar morta por, pelo menos, 48 horas. Na cozinha foram encontrados vestígios de que os suspeitos teriam feito um lanche depois de ter assassinado Tereza.

De acordo com a vizinha da idosa, a dona de casa Maria José da Silva, ela era querida por toda vizinhança. As duas saíram juntas, inclusive, para ir à igreja nessa segunda-feira (15). "Depois disso não vi mais ela, todo os vizinhos gostavam dela", apontou.

A perícia acredita que, pelo menos, dois homens tenham entrado pela porta dos fundos da casa. O corpo de Tereza foi encaminhada ao Instituto Médico Legal (IML), na Área Central do Recife.

Duas vítimas no Recife

Outra vítima da violência foi Dilma Alberto da Silva Rocha, de 58 anos. Ela tinha acabado de sair de casa quando foi surpreendida por um homem que a esfaqueou na Rua Dom Viçoso, no Barro, nessa quarta-feira (17). A mulher não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local. O responsável pelo crime seria o ex-companheiro dela, que não aceitava o fim do relacionamento, e foi preso em flagrante minutos depois do assassinato.

"Por motivos de ciúmes acabou discutindo com ela e acabou ocorrendo esse fato. Ele não se conformava e não queria que ela saísse de casa e conversasse com outras pessoas", declarou o delegado Fábio Lacerda.

O suspeito foi encaminhado ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Já na Avenida Joaquim Inácio, na Ilha do Leite, a vítima foi Graciete Gomes da Silva, de 40 anos. Assim como Dilma, ela também foi esfaqueada. A mulher chegou a ser socorrida para o Hospital da Restauração, na Área Central do Recife, mas veio a falecer.

"A princípio o caso está sendo tratado como feminicídio, mas no decorrer das investigações isso pode mudar, porque ainda não conseguimos contato com a família para apurar realmente o que aconteceu e ter detalhes do crime", destacou o delegado.

 

 

Comentários

Últimas notícias