Pandemia

Novas medidas restritivas podem ser adotadas nos próximos dias em Pernambuco, diz secretário

O governo abriu 22 novos leitos para covid-19 no fim de semana e eles já foram ocupados, segundo André Longo

Cássio Oliveira
Cássio Oliveira
Publicado em 01/03/2021 às 9:15
Notícia
HÉLIA SCHEPPA/SEI
Participarão do anúncio os secretários André Longo, da Saúde, e Ana Paula Vilaça, executiva de Desenvolvimento Econômico - FOTO: HÉLIA SCHEPPA/SEI
Leitura:

Após o primeiro fim de semana com restrições em Pernambuco por conta do aumento nos casos de covid-19, o governo Paulo Câmara realizou uma reunião, na segunda-feira (1º), com o comitê que analisa a situação da pandemia no Estado e decidiu tomar medidas mais duras como forma de evitar o esgotamento de leitos na rede estadual de saúde. A informação foi confirmada pelo secretário de Saúde André Longo, que concedeu entrevista à Rádio Jornal.

>> Com novas restrições, igrejas e demais templos religiosos de Pernambuco não poderão abrir nos finais de semana

Atividades não essenciais em todos os 184 municípios do Estado deverão fechar entre 20h e 5h, de segunda a sexta-feira. Durante os finais de semana essas atividades não estão autorizadas a funcionar. Aos sábados e domingos também estarão fechados clubes sociais, praias e parques. Nas praias, no entanto, será permitida apenas a prática de atividades esportivas individuais.

Com a nova restrição, significa que bares, restaurantes e shoppings, além de comércio de rua não essencial, terão que fechar às 20h durante a semana e não poderão abrir nos fins de semana por não serem atividades essenciais (com exceção se for para entregas). As regras foram anunciadas pelo governador Paulo Câmara e começam a valer quarta-feira (03). Terão duração até 17 de março.

>> Saiba quais serviços poderão funcionar em Pernambuco durante o aumento das restrições

>> Em Pernambuco, bares e restaurantes só poderão funcionar via delivery em parte da noite e madrugada

>> Pernambuco deve abrir 50 novos leitos para pacientes com covid-19 nesta semana, diz secretário

André Longo foi questionado sobre a necessidade de um lockdown em todo o Brasil para conter o avanço do vírus, mas disse ser difícil por falta de coordenação do governo Jair Bolsonaro. "É difícil um lockdown sem apoio do governo federal, a coordenação de um processo como esse deveria ter Forças Armadas. Mas o governo federal não tem esse intento, o presidente deu sinais de ser contra isolamento, contra o uso de máscara e isso dificulta o processo de união nacional para um lockdown. Fazemos esforços a nível estadual", destacou.

Fiscalização

No Recife, no início da noite do sábado, os agentes fizeram a fiscalização em dois bares: um no Bairro do Recife, área central da capital pernambucana, e outro no bairro do Pina, na Zona Sul. Os estabelecimentos fiscalizados ainda estavam abertos e com clientes. Segundo o Procon, como já estavam iniciando o fechamento de conta dos consumidores para encerrar as atividades, foram gerados autos de constatação, os consumidores dispersos e os trailers fechados de forma imediata.

No interior de Pernambuco, as medidas começaram a valer antes. Desde a última sexta (26) até o dia 10 de março, em 63 municípios do Agreste e do Sertão todas as atividades econômicas e sociais ficam suspensas de 20h às 5h do dia seguinte. Tais municípios são os que compõem as 2ª, 4ª e 9ª Gerências Regionais de Saúde (Geres), em Limoeiro, Caruaru, no agreste e Ouricuri, no Sertão, respectivamente.

"Estamos através do comitê covid-19, a cada momento, acompanhando o desenrolar da pandemia em Pernambuco e se os números continuarem crescentes, Paulo Câmara não vai ficar em cima do muro, vai endurecer. Queremos preservar as atividades econômicas, pois as pessoas precisam manter os negócios, mas se falta responsabilidade a mão do Estado vai valer com força", disse Pedro Eurico à TV Globo, nesta segunda-feira (1º).

BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Fiscalização da vigilância sanitária em bares e restaurantes do Recife, que impuseram um toque de recolher, entre 22h e 5h da manhã, para diminuir o aumento de casos de coronavírus, no Estado de Pernambuco. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
LIMITE Bares e restaurantes só poderão ficar abertos até as 20h - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
FISCALIZAÇÃO Às 22h de ontem no Recife, bares começaram a fechar as portas para obedecer decreto - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Fiscalização da vigilância sanitária em bares e restaurantes do Recife, que impuseram um toque de recolher, entre 22h e 5h da manhã, para diminuir o aumento de casos de coronavírus, no Estado de Pernambuco. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Fiscalização da vigilância sanitária em bares e restaurantes do Recife, que impuseram um toque de recolher, entre 22h e 5h da manhã, para diminuir o aumento de casos de coronavírus, no Estado de Pernambuco. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Fiscalização da vigilância sanitária em bares e restaurantes do Recife, que impuseram um toque de recolher, entre 22h e 5h da manhã, para diminuir o aumento de casos de coronavírus, no Estado de Pernambuco. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Fiscalização da vigilância sanitária em bares e restaurantes do Recife, que impuseram um toque de recolher, entre 22h e 5h da manhã, para diminuir o aumento de casos de coronavírus, no Estado de Pernambuco. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Fiscalização da vigilância sanitária em bares e restaurantes do Recife, que impuseram um toque de recolher, entre 22h e 5h da manhã, para diminuir o aumento de casos de coronavírus, no Estado de Pernambuco. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
O governo do Estado e prefeituras realizaram fiscalização no fim de semana - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM

Sanções

Os bares, restaurantes, lanchonetes ou estabelecimentos similaridades que estiverem funcionando com atendimento presencial após o horário-limite serão interditados, notificados e multados. A multa varia de R$ 1 mil a R$ 100 mil.

Os responsáveis podem ser encaminhados até a delegacia pelo descumprimento das normas sanitárias e responder por crime contra a saúde pública. Caso haja alguma resistência a uma autoridade civil ou sanitária, podem responder pelo crime de desacato.

Comentários

Últimas notícias