BALANÇO

Confira saldo das últimas chuvas no Grande Recife e o que as prefeituras prometem fazer para amenizar efeitos

As maiores precipitações acumuladas no sábado e no domingo no estado de Pernambuco foram registradas nos municípios do Grande Recife

Katarina Moraes
Cadastrado por
Katarina Moraes
Publicado em 13/04/2021 às 10:45 | Atualizado em 10/08/2021 às 10:24
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Devido às chuvas, a segunda-feira (12) começou com alagamentos e mais problemas em Olinda - FOTO: BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Leitura:

Os moradores das cidades do Grande Recife enfrentaram momentos de aflição no último final de semana. Rastros de destruição e pessoas desabrigadas foram o resultado das chuvas de intensidade entre moderada e forte, causadas por um Distúrbio Ondulatório de Leste (DOL), segundo a Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac).

As maiores precipitações acumuladas no sábado e no domingo foram registradas nos municípios de Olinda (327mm), o equivalente a 102% do esperado para o mês de abril, Recife (292 mm), 89% do esperado para o mês, Cabo de Santo Agostinho (274mm) 119% do esperado, Jaboatão dos Guararapes (274 mm) 97% do esperado, Camaragibe (268mm) 96% do esperado, São Lourenço da Mata (260mm) 106% do esperado para o mês de abril, de acordo com a Apac.

Confira o balanço de cada município e as ações para reduzir impactos de novas chuvas:

Olinda

Ocorrências: no fim de semana, a Defesa Civil registrou 152 ocorrências. Foram registrados deslizamentos de barreiras nos bairros do Alto do Sol Nascente, Alto da Bondade, Águas Compridas e Sapucaia, com intervenção em 15 residências e duas pessoas levemente feridas.

Ações: a Prefeitura afirma que setenta operacionais estiveram nos pontos de risco em interação com a população e fazendo a limpeza, retirada de materiais, cortes de árvores que possam oferecer perigo. Foram colocadas 55 lonas plásticas nos dois dias, além de seis árvores retiradas. Os trabalhos da Operação Inverno seguem sendo realizados e nesta terça-feira 82 pessoas estão trabalhando pela Defesa Civil, e são feitos em várias frentes de forma integrada, como limpeza dos 27 canais que cortam a cidade, limpeza e construção de sistemas de drenagem. Além de colocação de lona, erradicação de vegetação que traga risco para população e outras ações.

Áreas de risco: 300 pontos de risco que são monitorados de perto pela Defesa Civil.

Orientação: caso a população precise de ajuda, o telefone da Defesa Civil de Olinda está à disposição da população 24h por dia: 0800 281 2112.

Recife

Ocorrências: a Defesa Civil do Recife registrou 326 chamados da população neste período, entre solicitações de colocação de lonas e pedidos de vistorias. Uma jovem em Jardim Monte Verde, no Ibura, precisou ser atendida no Hospital da Restauração e já recebeu alta.

Ações: segundo a Prefeitura, mais de mil profissionais, de áreas como a Defesa Civil, Emlurb e CTTU, estiveram envolvidos no trabalho de atendimento à população e mitigação dos danos. De fevereiro até agora, 32 canais foram limpos e outros 12 estão com a intervenção em andamento, e mais de 30 mil toneladas de resíduos foram retiradas. A gestão também diz que também é feita a limpeza de galerias e canaletas em diversas ruas e avenidas, e principalmente em áreas mais críticas de acúmulo de água das chuvas. Desses pontos críticos, cerca de 50 vias já receberam o serviço de desobstrução e limpeza, totalizando até agora a retirada de mais de 3.400 toneladas de resíduos, beneficiando aproximadamente 33 km de extensão de rede de microdrenagem.

"Já foram concluídas 42 obras do Programa Parceria, beneficiando 176 famílias, e estão em andamento outras 277, que garantirão mais segurança para 1162 famílias. No Parceria, a Prefeitura fornece material e orientação técnica para intervenções em morros e área plana, e a população entra com a mão de obra. A geomanta está sendo aplicada em diversos locais, totalizando 166 famílias beneficiadas. Só este ano, a Prefeitura do Recife já iniciou 13 obras de contenção definitiva na cidade, totalizando um investimento na ordem de 21,5 milhões de reais. Também estão em andamento outras 17 intervenções do mesmo tipo iniciadas no ano de 2020 que serão concluídas ainda este ano e receberam um aporte financeiro na ordem de R$ 25 milhões. Além disso, a atual gestão já entregou para a população sete contenções definitivas de encostas frutos de um investimento de aproximadamente R$ 5 milhões", disse, por nota.

Áreas de risco: Recife tem 67% de sua área correspondente aos morros.

Orientação: Defesa Civil diz estar sempre de prontidão para atender os chamados, que devem ser feitos pelo 0800.081.3400. A ligação é gratuita e o atendimento acontece 24h por dia.

Camaragibe

Ocorrências: a Defesa Civil de Camaragibe contabilizou 45 ocorrências durante as fortes chuvas desse final de semana. Dentre essas, tiveram 42 deslizamentos de barreira com quatro desabamentos de muros e quatro desabamentos parciais de imóveis. Além disso, houve três obstruções de galeria e caixa coletora, um telhado com risco de desabamento e um desabamento de uma laje em cima de um carro na madrugada desta segunda-feira (12). Estão desalojadas quatro famílias do município, que se encontram em casas de parentes.

Ações: a Prefeitura de Camaragibe afirmou ter instalado 79 mil e 200 metros quadrados de lona em toda a cidade em 2021. A gestão disse também que entregou nove obras em morros, a exemplo da construção de muros de arrimo, canaletas e implantação de tela argamassada. Além disso, já foram recuperadas pela prefeitura 19 escadarias e canaletas.

Orientação: a Prefeitura de Camaragibe reforça ainda o pedido para aqueles que estiverem em áreas de maior risco procurem locais seguros, e, posteriormente, façam contato com a Defesa Civil. A pasta também disponibiliza telefones para que a população entre em contato em casos de emergência: 2129-9564, das 7h às 19h, ou 153 (plantão 24 horas).

Cabo de Santo Agostinho

Ocorrências: 10 quedas de árvores e 24 deslizamentos de barreiras entre sábado (11) e segunda-feira (12). Houve a interdição de 04 casas e encaminhamento das famílias à Secretaria Municipal de Programa Social. Não houve vítimas.

Áreas de risco: 85 áreas de risco que são classificadas de acordo com o grau de perigo. Segundo a Prefeitura do Cabo, todas são monitoradas constantemente e também são realizadas ações preventivas (colocação de lonas, cortes e podas de árvores, informações à população).

Ações: a gestão afirma que está dando continuidade à Operação Inverno, com fiscalização das áreas de maior risco e ações preventivas. Nestes primeiros meses do ano, afirma ter realizado a colocação de lonas, retirada e poda de árvores em situação de risco, limpeza de todos os canais e canaletas, limpeza de bueiros e caixa de contenção, melhora da drenagem de várias vias e construções de novas canaletas em ruas não pavimentadas. "Com as fortes chuvas, precisamos limpar novamente alguns canais que estavam assoreados. Através das ações preventivas, minimizamos os danos em vários locais que normalmente são pontos críticos', afirmou, por nota.

Jaboatão dos Guararapes

Ocorrências: foram registradas 269 ocorrências no período entre os dias 9 e 13 de abril de 2021.Entre os chamados, informações sobre pontos de alagamento e pedidos de vistoria em imóveis (7), análise estrutural de árvores em vias públicas (6), deslizamento de barreiras (106), solicitação para reposição de lona (57) e vistorias em áreas de risco, como morros e encostas (46). Até a emissão do último boletim, o município contava com 42 pessoas desalojadas, 23 desabrigadas e duas feridas, em decorrência do alto volume de chuvas registrado no período citado.

Áreas de risco: de acordo com o último Mapa de Risco, elaborado pela Superintendência de Proteção e Defesa Civil, em 2020, o município apresenta 16.585 pontos de risco, a maior parte nas regionais de Cavaleiro, Jaboatão Centro e Curados

Ações: a Superintendência de Defesa Civil do Jaboatão dos Guararapes diz manter uma programação diária de monitoramento nos pontos de risco do município, com uso de equipamentos que informam sobre volume de chuva e umidade do solo. Até o momento, o município afirmou ter investido mais de R$ 21 milhões na construção de muros de arrimo e outros R$ 5 milhões serão liberados pelo Governo Federal para novas obras de proteção nos morros ainda neste ano. "Desde o início da Operação Inverno, lonas de proteção têm sido colocadas nas barreiras e monitoradas para que as trocas sejam realizadas em caso de rompimento. A Defesa Civil do Jaboatão conta com equipes que orientam a remoção de moradores preventivamente para abrigos ou para casas de familiares em situações nas quais se faça necessária a interdição de imóveis", garante.

Ipojuca

Ocorrências: foram 47 ocorrências. 19 de deslizamento de encosta, 18 por risco de deslizamento de encosta, duas por quedas de árvore, três por árvores em risco, duas por alagamento em residência, duas por fiação elétrica e alagamento e uma por poste de energia em risco de desabamento. Não houve feridos.

Áreas de risco: em torno de 15 ruas. O monitoramento é feito através de fiscalizações e acompanhamento sistemático pelos técnicos da Defesa Civil do município.

Ações: Além da colocação de lonas, a Prefeitura do Ipojuca diz ter iniciado, ainda em fevereiro, ações de retirada da vegetação do leito e margens dos canais, serviços de capinação nas encostas dos muros e limpeza de canaletas. Fora isso, a Prefeitura entregou, na última semana, 3 obras de muro de arrimo e tela argamassada (Rua José Marinho Alves, Rua São Roque e Rua da Olaria). Outras obras do tipo seguem em andamento para dar mais segurança à população. Os trabalhos da Operação inverno prosseguem, e a Prefeitura durante o último final de semana afirma ter montado uma força tarefa, envolvendo as Secretaria de Defesa Social, Defesa Civil e Infraestrutura, para atender a população que precisasse ser assistida.

Esta reportagem será atualizada na medida em que os municípios enviarem seus balanços.

Comentários

Últimas notícias