imunização

Portuários de Suape, no Litoral Sul, serão vacinados contra a covid-19 a partir da próxima segunda (31)

A princípio serão vacinados profissionais com maior exposição nas operações portuárias, ou seja, que atuam diretamente nos cais e píeres. Além disso, também foram incluídos os práticos, equipes dos órgãos intervenientes e agências de navegação

Bruna Oliveira
Bruna Oliveira
Publicado em 28/05/2021 às 17:50
Notícia
NE10
Todas as ações acontecerão das 8h às 16h, em Camaragibe - FOTO: NE10
Leitura:

Trabalhadores do Porto de Suape, em Ipojuca, no Litoral Sul, começarão a ser vacinados contra a covid-19 a partir da próxima segunda-feira (31). O público-alvo foi dividido em grupos para facilitar a aplicação do imunizante. Com isso, a princípio serão vacinados profissionais com maior exposição nas operações portuárias, ou seja, que atuam diretamente nos cais e píeres. Além disso, também foram incluídos os práticos, equipes dos órgãos intervenientes e agências de navegação.

As doses do imunizante serão administradas dentro da área portuária nos dias 31 de maio, 2 e 6 de junho, das 8h às 16h. Ao todo, estão sendo disponibilizadas 4,5 mil doses para a aplicação. À medida em que mais doses forem liberadas, outras datas serão marcadas para a vacinação.

A inclusão de trabalhadores portuários no grupo prioritário de vacinação é um passo importante para proteger esses profissionais e manter em segurança esse trabalho. Ainda assim, entendemos a importância urgente da vacinação em massa para a população para que tantos outros trabalhadores recebam a imunização. E vamos seguir unindo esforços para que ela chegue a todos”, declarou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Julio.

Para ter direito à imunização, o trabalhador terá que apresentar Cadastro de Pessoa Física (CPF) e crachá funcional no local onde irá ocorrer a vacinação. Também é preciso constar o nome nas listas enviadas pelas empresas e entregues à administração de Suape a pedido da Secretaria Estadual de Saúde e Anvisa. Os portuários vão receber doses extras da vacina da AstraZeneca/Oxford, produzidas pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), que não alteram o plano de imunização do restante da população.

Atualmente, o grupo definido pelo Ministério da Infraestrutura abrange funcionários das autoridades portuárias, empregados de operadores portuários, terminais e trabalhadores avulsos.

De acordo com o Porto, o local preparou uma infraestrutura necessária para a administração dos imunizantes, como instalação de toldo, cadeiras com distanciamento necessário ao isolamento social, equipe de segurança a postos, entre outros equipamentos.

Comentários

Últimas notícias