POLÍCIA

Tiroteio com vários feridos escancara insegurança no Cabo, cidade repleta de gangues e 2ª com mais homicídios do Brasil

Anuário Brasileiro de Segurança Pública apontou que o Cabo de Santo Agostinho teve 90 assassinatos por 100 mil habitantes em 2020. Secretaria de Defesa Social da cidade atrela cerca de 70% do total de homicídios ao narcotráfico

Katarina Moraes
Katarina Moraes
Publicado em 02/08/2021 às 17:25
Notícia
EMERSON PEREIRA/TV JORNAL
O crime aconteceu na praia de Gaibu, no Cabo de Santo Agostinho - FOTO: EMERSON PEREIRA/TV JORNAL
Leitura:

O que era para ser um passeio tranquilo na beira do mar, acabou em um pesadelo para a dona de casa Amanda Santos*, de 24 anos, que estava na Praia de Gaibu, no Cabo de Santo Agostinho, Região Metropolitana do Recife, com José*, filho de 8 anos, quando um tiroteio começou em um bar nas proximidades. Das dezenas de tiros disparados, um acabou atingindo a criança no estômago. O caso, que aconteceu nesse domingo (1º), fez com que ela desse entrevista ao JC nesta segunda-feira (2) ao lado de um leito do Hospital da Restauração (HR), no Centro do Recife. O seu primeiro desejo, agora, é a recuperação do filho. O segundo, é sair o mais rapidamente de onde mora.

Isso porque não é a primeira vez que Amanda presencia a violência na cidade onde vive há 5 anos, mas a única em que a viu quase tomar a vida de um dos seus três filhos. “Ele estava brincando na areia, quando vi, vieram os tiros, e ele correu. Eu não o achava, até que ouvi a voz dele dizendo ‘quero minha mãe’, e reconheci. Ele estava nos braços de um homem, que me entregou”, relata a mãe. A criança foi apenas uma das vítimas da troca de tiros, que terminou com uma pessoa morta e pelo menos nove feridas. A ocorrência escancara a insegurança no Cabo, que foi apontado como município com mais homicídios por habitantes em 2020.

A informação está no Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado no mês de julho. Segundo o estudo produzido no último ano pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, à frente do Cabo (90 assassinatos por 100 mil habitantes), ficou apenas a cidade de Caucaia, no Ceará, que teve um índice de 98,6. O número do município pernambucano também supera, em muito, o de outros da Região Metropolitana, como Recife (33,4), Olinda (33,8) e Jaboatão dos Guararapes (46,7). O mais próximo dele, das 14 cidades do Estado presentes no relatório, é Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata, com taxa de 66,6.

A Secretaria de Defesa Social do Cabo atrela o caso desse domingo e pelo menos 70% do total de homicídios a brigas de gangues rivais de narcotráfico. “É o problema central, que acontece em todos os grandes centros metropolitanos. Tem um grande tráfego de cocaína que sai da Cordilheira dos Andes, atravessa o país e depois é lançado para o exterior, como para a África do Sul, Europa e Estados Unidos. Boa parte dele fica nas pequenas cidades, gerando essa guerra entre quadrilhas pelo território que causa toda essa violência e principalmente homicídios”, explicou o secretário Pablo de Carvalho.

“O que pode estar relacionado a isso é uma maior organização desses grupos criminosos organizados, que podem estar expandindo sua prática e encontrando uma maneira de se reorganizar, e isso passa também pela sua volatilidade nos territórios, já que eles transitam por ele. É [necessário] observar como esses grupos estão estruturados e se organizando disputando território e fazendo crescer as taxas de violência letal nesses territórios. É preciso agir com rapidez, empreendendo esforços muito fortes para que a maior organização desses grupos não se dê de forma contínua”, defendeu a socióloga Edna Jatobá, especialista em políticas e gestão em segurança pública.

Como parte da ação de repressão ao crime dessa natureza, o chefe da pasta afirmou que pretende, inicialmente, impedir festas com paredões de som na cidade. “Constatamos que havia um paredão e grupos rivais na situação [de domingo]. A gente vai tomar uma ação agora em conjunto aos Bombeiros e à Polícia Militar para ver os pontos onde essas festas têm acontecido e fazer com que elas não aconteçam mais, [com] apreensão de paredão e controle urbano para evitar esse tipo de festa, porque ela cria oportunidade para esse acontecimento”, disse.

Nas últimas semanas, o JC noticiou outros crimes chocantes contra a vida que aconteceram na cidade. Um deles foi a morte de Paloma Karolaine Ferreira da Silva, de 23 anos, que estava grávida e foi morta a tiros dentro da própria casa no dia 8 de julho. Em 26 de junho, Cristiane da Rocha Correia, de 30 anos, foi assassinada a pedradas no bairro da Charnequinha.

Ainda assim, dados da SDS de Pernambuco apontam que houve uma diminuição de 20% no número de homicídios deste ano em relação ao de 2020. Entre janeiro e junho de 2021, 79 pessoas foram assassinadas no Cabo, contra 99 no mesmo período do ano passado. A pasta destacou também o aumento de 28% das prisões na cidade, 632 contra 492 em 2020. “As estatísticas evidenciam o resultado de ações integradas de policiamento ostensivo, especializado, operações de repressão qualificada, cumprimento de mandados e desarticulação de grupos criminosos realizados pelas forças de segurança pública do Estado”, expôs, por nota.

As estatísticas no Cabo ainda também são altas na plataforma Fogo Cruzado, que agrega dados sobre violência armada em Pernambuco. Só nesse domingo, dia do tiroteio em Gaibu, o monitoramento aponta que houve mais duas trocas de tiros na cidade: em Pontezinha e na Rua São Sebastião, no Centro; ambas com uma morte cada. No primeiro semestre de 2021, relatório aponta que a Área Integrada de Segurança (AIS) do Cabo teve 87 tiroteios registrados de 839 em Pernambuco, estando atrás de Jaboatão dos Guararapes (149), Paulista (117) e Apipucos (9), no Recife.

“Essas cidades, por terem uma maior movimentação de pessoas e de atividade econômica, precisam também do estabelecimento de parcerias e de envolvimento dos gestores municipais em programa de prevenção à violência para diminuir esses índices. Essa não é tarefa, apenas, dos gestores estaduais e da polícia. É com a prevenção da violência, com a prevenção da desigualdade, com oportunidade para juventude, melhora para geração de emprego e renda e dos índices educacionais; tudo isso contribui para essa diminuição da violência letal, assim como iluminação pública, espaços urbanos bem cuidados e a presença do poder público”, explicou Jatobá, que também coordena o Gabinete Assessoria Jurídica Organizações Populares (GAJOP).

O secretário deu destaque também à integração dos 180 guardas municipais à Polícia Civil e à Polícia Militar de Pernambuco, o que ele considera essencial para mudar a realidade da segurança na cidade. “Estamos montando um sistema de segurança que junta todos os órgãos em um só. Na maioria das cidades do Brasil, as instituições trabalham isoladas. Aqui, todas trabalham unidas. A prefeitura não quer esse discurso de dizer que a responsabilidade é do estado, aqui, é do município e do estado”, disse.

Veja o local do crime:

Emerson Pereira/Tv Jornal
O crime aconteceu na praia de Gaibu, no Cabo de Santo Agostinho - Emerson Pereira/Tv Jornal
Emerson Pereira/Tv Jornal
O crime aconteceu na praia de Gaibu, no Cabo de Santo Agostinho - Emerson Pereira/Tv Jornal
Emerson Pereira/Tv Jornal
O crime aconteceu na praia de Gaibu, no Cabo de Santo Agostinho - Emerson Pereira/Tv Jornal
EMERSON PEREIRA/TV JORNAL
O crime desse domingo aconteceu na Praia de Gaibu, no Cabo de Santo Agostinho - EMERSON PEREIRA/TV JORNAL

O caso

Uma troca de tiros na praia de Gaibu, no Cabo de Santo Agostinho, Região Metropolitana do Recife (RMR), terminou com um dos suspeitos do crime morto durante combate com a Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) e oito feridas, incluindo um menino de oito anos, que foi atingido no abdômen. O caso aconteceu nesse domingo (1º), por volta das 20h, em um bar à beira-mar.

Por nota, a PM disse que o 18º Batalhão recebeu informações através de populares que dentro de um estabelecimento houve um tiroteio entre grupos rivais e sete pessoas teriam sido atingidas. Após escolta de feridos até unidades médicas, a corporação teria abordado um carro suspeito, na BR 101, em Jaboatão dos Guararapes, e um dos militares teria sido atingido com um tiro de raspão no braço. Assim, a PM entrou em confronto com o suspeito, que foi ferido e socorrido para o hospital Dom Helder, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.

A Polícia Civil de Pernambuco,  por meio da Delegacia e Polícia de Homicídios do Cabo de Santo Agostinho informou estar investigando as oito tentativas de homicídios ocorridas na noite do último domingo (1) no bar, sob presidência do Caio Morais. Não comentou a morte do suspeito do crime durante embate com policial, e afirmou que "mais informações não podem ser fornecidas no momento."

Estado de saúde dos feridos

A assessoria do HR comunicou o estado de saúde na tarde dessa segunda dos quatro feridos transferidos para a unidade. Lucas Vinicius da Silva Caetano passou por cirurgia e estava na sala de recuperação, apresentando quadro estável. Já Ítalo Aurino da Silva Santos, que também fez uma cirurgia e estava na sala de recuperação, em estado grave. Sandy Belmiro da Silva tinha quadro estável e estava em observação na unidade de trauma. Já a criança de 8 anos, que a mãe preferiu não identificar, estava na pediatria em estado estável após ter feito cirurgia. Dos levados para o Hospital Dom Helder Câmara, dois seguem em observação, um passou por cirurgia e outro veio a óbito.

*Os nomes utilizados nessa reportagem são fictícios, a pedido da mãe da vítima.

Comentários

Últimas notícias