Pandemia

Governo de Pernambuco reforça exigência de vacinação e testagem em cultos e missas com mais de 300 pessoas

O secretário de saúde disse que não houve nenhum recuo do governo e que a exigência vale para todos os eventos com mais de 300 pessoas

Cássio Oliveira Renata Monteiro
Cássio Oliveira
Renata Monteiro
Publicado em 14/10/2021 às 18:48
Notícia
HÉLIA SCHEPPA/SEI
secretário estadual de Saúde, André Longo. - FOTO: HÉLIA SCHEPPA/SEI
Leitura:

Durante entrevista coletiva para tratar dos protocolos de proteção à covid-19 em Pernambuco, o secretário estadual de Saúde, André Longo, reforçou que segue valendo o decreto estadual que prevê a exigência de vacinação completa ou teste negativo de coronavírus para frequentadores de celebrações religiosas com mais de 300 pessoas em Pernambuco.

>> Expectativa frustrada: governo de Pernambuco sequer cita jogos de futebol em nova coletiva

>> Governo desmente deputado e diz que não há previsão de mudança em decreto que determina vacinação e testagem em cultos e missas com mais de 300 pessoas

>> Geraldo Júlio regulamenta decreto e divulga regras de vacinação e testagem para ingresso em 'cultos ecumênicos'. Igrejas sem portaria ainda, diz assessoria

"O decreto está em vigor, vale para todas as situações acima de 300 pessoas e não há, nesse momento, nenhum recuo por parte do governo. O que nós temos é que pode ser possível novos avanços a partir de novembro e falo de todos os setores. Mas, nesse momento, não há nenhuma previsão de alteração nesta situação de exigência do passaporte vacinal para eventos com mais de 300 pessoas", disse Longo.

Na última semana, o deputado estadual Adalto Santos (PSB) chegou a divulgar que a determinação havia sido revogada pelo Executivo estadual, mas a gestão estadual disse que não houve nenhum recuo e que a informação do parlamentar estava incorreta. "Nós trabalhamos junto com a bancada evangélica da Alepe e com a secretaria para que a situação fosse revista, até porque vinha de encontro com o que a população desejava. Então o Governo do Estado foi sensível ao pedido, entrou em contato conosco e disse que o decreto feito não seria colocado em prática, liberando assim as igrejas do passaporte e desse teste negativo de covid, até porque é uma situação que não tem como ser controlada", declarou o parlamentar governista, em entrevista à TV Tribuna.

>> Governo regulamenta exigência de comprovante de vacinação para eventos, mas não inclui cultos

>> Por decreto, Paulo Câmara exige que frequentadores de cultos e missas tenham vacinas completas ou teste negativo de covid-19

>> Bispo Ossésio entra na Justiça contra exigência de comprovante de vacinação nos templos religiosos

>> Clarissa Tércio diz que 'talvez tenha faltado a informação' de que vacinação só será exigida em cultos com mais de 300 pessoas

Ao JC, a Secretaria de Imprensa do Estado já havia afirmado que "não houve mudança" nas determinações divulgadas anteriormente pela gestão. No dia 6, uma portaria publicada no Diário Oficial regulamentou o novo decreto com as regras de funcionamento das atividades econômicas e sociais do Estado, mas não incluiu as celebrações religiosas no texto. Mesmo assim, segundo André Longo, a exigência está mantida.

Desde que a exigência de vacinação e teste negativo de convid-19 para cultos ou missas com mais de 300 pessoas foi anunciado, houve uma forte reação de políticos ligados a segmentos religiosos. Houve, inclusive, partidos e parlamentares que acionaram o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) para tentar barrar a norma.

Comentários

Últimas notícias