FESTA

Vai ter Carnaval em 2022? Veja quais cidades de Pernambuco já cancelaram a folia

Os decretos se antecipam à decisão do governo do Estado, que já afirmou que não deve definir o futuro das celebrações ainda este ano

Julianna Valença
Julianna Valença
Publicado em 26/11/2021 às 16:46
Notícia
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
Três municípios da Zona da Mata pernambucana já se posicionaram sobre o cancelamento das festas de 2022, - FOTO: YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

Faltando três meses para as tradicionais festas de Carnaval - festa que acontece entre os dias 25 de fevereiro e 5 de março - três municípios da Zona da Mata pernambucana já se posicionaram sobre o cancelamento das festas de 2022, devido a pandemia da covid-19. Os decretos se antecipam à decisão do governo do Estado, que já afirmou que não deve definir o futuro das celebrações ainda este ano.

Confira: onde curtir frevo com segurança no Grande Recife

Cidades de Pernambuco que cancelaram o Carnaval 2022:

Ribeirão

O município de Ribeirão cancelou as festividades da “Festa da Cana”, realizada em janeiro, “Semana Pré-Carnavalesca”, e o próprio Carnaval de 2022. Segundo a gestão, a decisão tem em vista a segurança dos munícipes. “A prioridade é salvar a vida das pessoas e quando tudo passar teremos novas festividades, mas para isto acontecer é preciso que estejamos vivos”, declarou em nota.

Um decreto de cancelamento foi emitido. Além das festas públicas, o decreto proíbe “todos e quaisquer eventos de rua promovidos pela população”. Troças, blocos, paredões e eventos culturais de qualquer natureza não podem ocorrer durante o período.

Barreiros

A prefeitura de Barreiros também decidiu pela suspensão do Carnaval de rua em 2022. Em decreto, a gestão justificou a decisão em detrimento às medidas de enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente do novo coronavírus. “Esta decisão foi tomada em respeito à família de todas as vítimas do covid-19 a fim de evitar um novo surto de casos no município”, afirmou em nota.

O decreto determina que ficam suspensas, temporariamente, as atividades carnavalescas e demais eventos. Quanto à esfera privada, a realização de shows, festas, eventos particulares de carnaval e similares de qualquer tipo, com ou sem comercialização de ingressos, em ambientes privados, inclusive em clubes sociais, hotéis, bares, restaurantes, etc., devem seguir as determinações do Governo do Estado de Pernambuco.

“O Carnaval de Barreiros é típico de rua, com trios elétricos e pessoas de todos os lugares do mundo. Em respeito a população decidimos tomar essa decisão. Não foi uma decisão fácil, mas estamos preocupados com a nova cepa que surgiu na África do Sul. Vão existir muitos carnavais pela frente”, declarou o prefeito Carlinhos da Pedreira.

Carpina

O período carnavalesco não deve acontecer no território de Carpina. A tradicional “Festa de Reis” de 2022 também não acontecerá. A decisão leva em consideração o atual estágio da pandemia da covid-19.

Em um pronunciamento feito na tarde dessa quarta-feira (24), através do Instagram, o prefeito de Carpina, Manuel Botafogo, se pronunciou sobre a suspensão temporária das festividades. "Não prepare, porque não vai ter Carnaval", afirmou Manuel Botafogo.

"Estou até me antecipando e avisando a vocês que em 2022 não tem Carnaval em Carpina, não tem bloco de qualidade nenhuma. Como também não vai ter a Festa de Reis. Estou decorando a cidade, deixando bonita e iluminada, agora o Carnaval não vai ter", afirmou Manuel Botafogo.
O prefeito também falou sobre os profissionais da área cultural, e disse que a expectativa é realizar um São João "bonito e grande" em 2022. "Não tem coisa melhor do que a vida. Carnaval passa, e a vida, se for embora, quem traz ela de volta? Ninguém", concluiu.

Petrolina

O prefeito de Petrolina, no Sertão, decidiu cancelar a realização do Carnaval nesta terça-feira (30). Miguel Coelho explicou que só serão permitidos os eventos privados, com limite de público e protocolos de higiene determinados pela Secretaria Estadual de Saúde.

De acordo com a gestão municipal, a decisão foi tomada por causa do crescimento do número de casos e o surgimento de novas variantes do coronavírus: "Estamos fazendo também um alerta para as pessoas que não estão se vacinando. Todo mundo precisa se vacinar senão essa pandemia continuará se estendendo e colocando em risco as vidas das pessoas".

Olinda

O tradicional bloco do Homem da Meia-Noite cancelou seu desfile presencial para a próxima Festa do Momo. O anúncio foi feito nesta terça-feira (30). O desfile seguia pelas ladeiras de Olinda, no Grande Recife, e é considerado um marco do Carnaval de Pernambuco. Segundo a diretoria, a decisão foi tomada após uma avaliação do cenário atual da pandemia no País.

"O momento ainda é de muita cautela e o clube acredita que o fundamental é preservar vidas. Agradecemos a compreensão de todos os apaixonados pelo Calunga. Em 2022, estaremos todos juntos, de uma forma ou de outra, para celebrar os 90 anos do Gigante. Mas a vida em primeiro lugar. Acreditando sempre em dias melhores", escreveu em nota.

Até o momento não há posicionamento da gestão municipal respeito das demais festividades carnavalescas em Olinda. Outros blocos também não se posicionaram. 

Governo do Estado

Em coletiva de imprensa realizada na última quinta-feira (25), o governo de Pernambuco se pronunciou sobre a festividade. Segundo a gestão, a decisão sobre a realização ou não do Carnaval no ano de 2022 não deve ser tomada ainda este ano.

“Muito provavelmente a decisão sobre o Carnaval não será tomada esse ano. Nós vamos observar o cenário epidemiológico para a tomada de decisão. Não temos pressa para fazer isso. A gente respeita muito todo o contingente que está envolvido no Carnaval, até por isso mesmo que a gente tem que observar os cenários e observar o que está acontecendo no mundo, o que está acontecendo no Brasil para a tomada de decisão com o maior suporte científico possível", disse secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo.

Segundo o secretário de Planejamento e Gestão de Pernambuco, Alexandre Rebêlo, o momento é de espera e observação do cenário de contaminação do vírus. "Temos 3 meses pela frente (até o Carnaval), e já vimos esta cena (aumento de casos de covid) ocorrer antes olhando para a Europa em março de 2020. Vamos esperar o momento adequado para decidir (sobre o Carnaval)", apontou Rebêlo.

Comentários

Últimas notícias