TUBARÃO

Após vídeo de antigo ataque de tubarão voltar a circular, Bombeiros descartam nova ocorrência em Pernambuco

O Corpo de Bombeiros afirmou que 'até o presente momento, não há intervenção de bombeiros militares em ataque de tubarão nas praias da Região Metropolitana do Recife'

JC
JC
Publicado em 16/01/2022 às 16:01
Filipe Jordão/JC Imagem
Em julho do ano passado, a região da Igrejinha de Piedade registrou dois ataques de tubarão - FOTO: Filipe Jordão/JC Imagem
Leitura:

O vídeo de um homem sendo socorrido por um guarda-vida na praia, com um grave ferimento na parte superior da coxa, indicando o que seria uma mordida de tubarão, tem circulado nas redes sociais neste domingo (16). Entretanto, segundo informação da assessoria de comunicação do Corpo de Bombeiros, “até o presente momento, não há intervenção de bombeiros militares em ataque de tubarão nas praias da Região Metropolitana do Recife”.

A reportagem também entrou em contato com o Grupamento de Bombeiros Marítimo (GBMar), que confirmou que o vídeo em questão é antigo. Na verdade, as imagens são do último ataque de tubarão, ocorrido no Posto 04, em frente à Igrejinha de Piedade, em Jaboatão dos Guarapes.

No dia 25 de julho de 2021, o Corpo de Bombeiros havia sido acionado para atender uma vítima na Praia de Piedade. O banhista Everton Guimarães, 32 anos, foi mordido na coxa, quando estava na parte rasa da praia. O ferimento é no mesmo local que aparece no vídeo que tem sido compartilhado novamente nas redes sociais.

 

Na ocasião, os guarda-vidas realizaram a contenção da hemorragia, com o apoio da equipe de Moto resgate. “A vítima sofreu uma lesão na parte posterior da coxa esquerda e glúteos e foi conduzida consciente", afirmaram os bombeiros. Do Hospital da Aeronáutica, Everton foi transferido para o Hospital da Restauração, no Recife, onde passou por uma cirurgia.

"Não vi e nem senti que [o tubarão] estava chegando perto. Só vi na hora do ataque, quando percebi a mordida. No momento, quando a adrenalina do seu corpo está muito alta, você não sente dor. Mas de 30 a 40 segundos depois, quando você está na areia e livre do ataque, é quando vem a dor, quando você está ciente do que aconteceu", explicou o despachante, em entrevista à TV Jornal, do dia 6 de agosto.

Confira a entrevista de Everton Guimarães à TV Jornal:

Comentários

Últimas notícias