COVID-19

Bolsonaro diz que cloroquina é possível cura do coronavírus e que usará laboratório do Exército para produzir substância

Profissionais do Hospital Albert Einstein estão testando eficácia do medicamento

Thalis Araújo
Thalis Araújo
Publicado em 21/03/2020 às 17:30
Notícia
REPRODUÇÃO/TWITTER
O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) - FOTO: REPRODUÇÃO/TWITTER
Leitura:

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), informou, por meio da sua conta no Twitter, neste sábado (21), que os médicos do Hospital Albert Einstein, localizado em São Paulo, iniciaram um protocolo de pesquisa para averiguar a eficácia da cloroquina nos pacientes que contraíram a covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. Assim, anunciou que se reuniu com o ministro Fernando Azevedo e Silva (Defesa) e que, juntos, decidiram que a produção da substância deve ser ampliada no laboratório químico e farmacêutico do Exército.

>> Governadores do Nordeste pedem ajuda à China para combater coronavírus

>> Coronavírus: Pernambuco anuncia 1º caso de cura em mulher que foi infectada e envia à Alepe decreto de calamidade pública

>> Sobe para 904 o número de casos confirmados do novo coronavírus no Brasil

>> Coronavírus: Assine a nova newsletter do JC e receba diariamente as principais notícias

>> Coronavírus: banho de mar não está proibido em Pernambuco, mas especialistas fazem alerta

>> Novos passageiros são retirados de navio retido no Porto do Recife por causa do coronavírus

>> Coronavírus: Bombeiros suspendem buscas por vítimas de barragem de Brumadinho

>> Criança com sintomas de covid-19 morre com síndrome respiratória no Recife

A cloroquina não vai poder ser vendida para outros países, segundo a determinação do presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Almirante Antônio Barra. O medicamento também é usado no Brasil para combater a malária, o lúpus e a artrite.

Tenhamos fé, que em breve ficaremos livre desse vírus
Jair Bolsonaro

Confira o Twitter

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Veja o mapa que mostra como o novo coronavírus tem se espalhado pelo mundo

 

Citação

Tenhamos fé, que em breve ficaremos livre desse vírus

Jair Bolsonaro

Comentários

Últimas notícias