NOME REJEITADO

Presidente nacional do PDT rejeita indicação de Túlio Gadêlha para vice de João Campos

Nesta sexta-feira (11), Túlio Gadêlha (PDT) informou a desistência de concorrer majoritariamente à prefeitura e anunciou o nome de Rodrigo Patriota (PDT) para vice na chapa com João Campos (PSB)

Carolina Fonsêca
Carolina Fonsêca
Publicado em 11/09/2020 às 21:03
Notícia
ALEXANDRE AMARANTE/DIVULGAÇÃO
ERA DILMA Carlos Lupi usou o cargo para obter vantagens pessoais - FOTO: ALEXANDRE AMARANTE/DIVULGAÇÃO
Leitura:

JC
Eleições 2020 - JC

A indicação do Deputado Federal Túlio Gadelha (PDT) para o vice da chapa encabeçada pelo PSB que disputará a pela prefeitura do Recife foi negada pelo PDT nacional. Na noite desta sexta-feira (11), o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, ressaltou que "o partido irá indicar o nome que irá compor a chapa majoritária encabeçada pelo PSB, após ajustes entre as direções partidárias, inclusive dos demais partidos que integram a aliança". 

>> Túlio Gadêlha desiste de ser candidato e anuncia apoio ao PSB tentando atrapalhar aliança com o PSB

>> Anúncio de Túlio Gadêlha é tratado como "desrespeito" por aliados do PSB

Após a última reunião do diretório municipal pedetista, de uma série de três encontros realizados nos últimos dias, o deputado federal, que até então era pré-candidato a prefeito, anunciou a desistência da corrida majoritária, nesta sexta.

Túlio, que é presidente municipal do PDT, indicou o enfermeiro Rodrigo Patriota (PDT) para compor a vaga de vice na chapa encabeçada pelo pré-candidato a prefeito pelo PSB, o deputado federal João Campos. O nome escolhido foi colocado por Gadêlha como uma oportunidade aos socialistas de fazerem uma autocrítica dos erros cometidos nesses quase oito anos à frente da Prefeitura do Recife.

A decisão foi referendada por meio de uma votação apertada - foram 12 votos a favor de Rodrigo Patriota contra 10 a favor da pré-candidata a vereadora, Adriana Rocha (PDT). Apesar de Gadêlha e de Patriota pontuarem que a decisão anunciada nesta sexta-feira ocorreu de forma democrática, por meio de um consenso, nos bastidores a informação é de que o clima foi de tensão.

O nome de Adriana já era aguardado pelo PSB, mas Túlio teria articulado a indicação do enfermeiro para mostrar sua insatisfação em ter que desistir da disputa e estremecer as negociação de permanência do seu partido na Frente Popular do Recife.

"Túlio foi convencido de que teria que desistir do processo e acabou saindo da pior forma possível, porque criou um constrangimento para o partido. O nome de Rodrigo Patriota não será aceito pelo PSB. Isso não porque ele possui uma postura crítica a gestão, mas por ser totalmente e radicalmente contra o PSB", declarou um socialista, em reserva, ao Jornal do Commercio.

Na coletiva de imprensa realizada para anunciar a desistência da candidatura majoritária e a indicação de Rodrigo Patriota, Túlio afirmou que existiu um pedido da direção nacional do partido para a construção de uma alternativa junto ao PSB.

"Existiu esse pedido da direção nacional do partido para a gente construir juntos uma alternativa e não dificultar a formação dessa aliança entre dois grandes partidos do Brasil. Infelizmente a declaração do presidente Carlos Siqueira, do PSB, nas reuniões com Lupi, foi de que o PSB deixaria de apoiar o PDT em 25 grande municípios com mais de 200 mil eleitores. Essa foi a informação que o presidente Carlos Lupi nos trouxe e pediu a compreensão da direção municipal do partido. Por isso, levamos isso em consideração na definição do projeto que vamos apresentar agora", disse na ocasião.

Em todo o seu pronunciamento aos jornalistas, o deputado fez questão de deixar claro que, mesmo concordando com a aliança com o PSB, seu grupo no partido tem uma série de ressalvas com relação aos socialistas, sobretudo os pernambucanos.

A reportagem do JC procurou o deputado federal Túlio Gadêlha e o presidente estadual do PSB, Sileno Guedes, mas até a última atualização deste texto não teve sucesso. Quando se manifestarem, a matéria será atualizada. 

"Indicação desrespeitosa"

Como informou o colunista do JC, Igor Maciel, na tarde desta sexta, integrantes de outros partidos que já haviam anunciado apoio a candidatura de João Campos (PSB) se disseram surpresos com a atitude de Túlio Gadêlha, ao indicar um vice que também é crítico das gestões municipal e estadual no Recife e em Pernambuco.

"O MDB desistiu de pleitear a vaga de vice porque entendeu que era importante ter o PDT no palanque, importante para o projeto coletivo. A indicação feita pelo deputado Túlio Gadêlha é desrespeitosa com a história do MDB e do senador Jarbas Vasconcelos (MDB)", disse Murilo Cavalcanti (MDB), que é secretário municipal de Segurança Urbana.

Confira a nota do PDT na íntegra

"A Direção Nacional do PDT se sente profundamente agradecida ao ato de compreensão e grandeza do Presidente Municipal do PDT de Recife (PE), Deputado Federal Túlio Gadelha, ao declarar apoio ao candidato do PSB à Prefeitura da Capital, João Campos, nesta sexta-feira (11/09).

É importante ressaltar que a decisão levou em conta as ponderações apresentadas pela direção do PDT e o momento político que vive o Brasil, já que o horizonte político conflui na construção de um projeto nacional de união das forças progressistas contra um projeto que representa, neste momento, o maior atraso já vivido pela democracia brasileira.

Ressaltamos ainda que o partido irá indicar o nome que irá compor a chapa majoritária encabeçada pelo PSB, após ajustes entre as direções partidárias inclusive dos demais partidos que integram a aliança.

Carlos Lupi
Presidente Nacional do PDT"

LEO MOTTA/JC IMAGEM
REDES Gadêlha pode ser multado pelo MP Eleitoral ao comentar BBB - FOTO:LEO MOTTA/JC IMAGEM
DIEGO MEDEIROS/DIVULGAÇÃO
RIFADO Gadêlha pediu autocrítica do PSB, do qual passa a ser aliado - FOTO:DIEGO MEDEIROS/DIVULGAÇÃO
JC
Eleições 2020 - FOTO:JC

Comentários

Últimas notícias