ELEIÇÕES SJCC

Em sabatina na Fiepe, João Campos anuncia criação de uma agência de desenvolvimento semelhante a AD Diper

O candidato a prefeito pelo PSB participou, nesta segunda-feira (19), da sabatina promovida pela Fiepe.

Mirella Araújo
Mirella Araújo
Publicado em 19/10/2020 às 12:52
Notícia

RODOLFO LOEPERT /DIVULGAÇÃO
PSB Para melhorar o ambiente de negócios, João modula a Invest in Recife - FOTO: RODOLFO LOEPERT /DIVULGAÇÃO
Leitura:

Arte: JC
Eleições 2020 - Arte: JC

Candidato a prefeito do Recife, o deputado João Campos, anunciou na manhã desta segunda-feira (19), a criação de uma agência de fomento com objetivo de melhorar o ambiente de negócios na capital pernambucana e fornecer condições para a instalação de novos projetos na cidade. “Como existe a AD Diper no Estado, nós vamos criar a Invest in Recife. Com o papel de melhorar o ambiente de negócios e a relação com as empresas e indústrias que já existentes, mas também vamos criar um grande plano de captação no Brasil e no mundo para a apresentação do Recife”, afirmou Campos, ao participar do “Diálogo da Indústria com os candidatos à Prefeitura do Recife”, promovida pela Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe).

>>João Campos promete começar projeto de regularização fundiária por Brasília Teimosa

>>João Campos apresenta propostas de governo em sabatina promovida pela Unicap

>> Ibope/JC/Rede Globo: João Campos lidera em todas as faixas etárias e com maior folga entre os mais jovens

“Vamos poder mudar o conceito de esperar que as pessoas cheguem e ir atrás no que tem de oportunidade no Brasil e no mundo para trazer para a cidade do Recife”, completou o socialista. A agência de fomento - que não impactará em novos gastos, uma vez que deverá aproveitar a estruturas já existentes no Executivo municipal - irá trabalhar na aproximação das indústrias e empresas que desejarem se instalar no Recife com os fornecedores locais e os parques produtivos da cidade, além de acompanhar todo o processo de instalação e manutenção destes empreendimentos. “A burocracia ainda é um fator, infelizmente, considerável para aumentar o custo Brasil e a gente ter uma relativa perda de capacidade de produtividade comparado com outros países no mundo”, afirmou.

Durante a sabatina, o candidato a prefeito respondeu a questionamentos feito por empresários do setor industrial,  envolvendo cinco temáticas: Meio Ambiente, Educação, Saúde, Mobilidade e Infraestrutura, e Ambiente de Negócios. A primeira pergunta feita a João Campos foi sobre qual seria o grau de comprometimento que sua gestão, caso seja eleito, teria com as empresas de médio e grande porte  que seguem as diretrizes da Agenda 2030 da ONU e implementam o desenvolvimento sustentável em suas políticas de negócios. 

"O Brasil erra, por muitas vezes, ao fazer o debate de que ou você é a favor do desenvolvimento ou é a favor da preservação. Ou você é a favor da indústria ou é a favor do meio ambiente. Não são ações excludentes, são ações que no mundo desenvolvido, principalmente, são vistos como complementares. Você produz, preservando o meio ambiente e distribuindo renda", destacou Campos. 

>> João Campos apresenta propostas para fortalecimento do Turismo no Recife no cenário pós-pandemia 

Ele defendeu a construção de mecanismos que estimulem no Recife, empreendimentos com soluções energéticas, com reuso de água, e a modernização da legislação para a implementação de telhado verde. Ainda dentro dessa temática, João Campos aproveitou a ocasião para anunciar uma proposta de arborização alinhada a expansão da malha cicloviária da cidade. 

"Onde a gente coloque ciclovia, que a gente coloque como opção do plantio de árvore para construir áreas de sombras para a cidade, que é muito importante", declarou o socialista, citando também a continuidade do Parque Capibaribe e a navegabilidade do rio, que em 2012 chegou a ter projeto anunciado pelo governo do Estado, mas até o momento ainda permanece travado. 

Sobre a Educação, o candidato a prefeito reforçou a importância da valorização do ensino técnico. Uma das suas propostas de governo é que a prefeitura possa custear 500 bolsas de estudos em cursos de nível tecnólogo, principalmente na área de tecnologia que possui, só no ecossistema do Porto Digital, 1.500 vagas ociosas. "O fato é que o Brasil, durante muito tempo, teve uma certa negligência e até um certo "preconceito" com a formação técnica. Apenas 8% dos jovens que se formam no ensino médio também se forma de maneira simultânea com o ensino técnico", declarou o socialista, ressaltando que é necessário ter um alinhamento entre a formação e o currículo atualizado de acordo com as demandas do mercado. 

Na saúde, João Campos falou sobre o investimento na prevenção, através da expansão da atenção primária. O candidato afirmou que irá construir em seu governo mais 10 UPAs, em áreas de maior vulnerabilidade social do Recife. Ele também pretende investir na melhoria da infraestrutura da rede municipal de saúde já existente e ampliar o número de profissionais. 

No que tange a mobilidade e infraestrutura, em recente pesquisa divulgada pelo aplicativo Moovit, o Recife ocupa a 7º pior posição do ranking mundial, quando se trata de deslocamento de passageiros por transporte público. O candidato a prefeito do Recife pela Frente Popular reconheceu que existe um grande desafio na capital pernambucana e que deverá investir na priorização e fortalecimento do transporte público. Ele citou a Faixa Azul, implementada na gestão do prefeito Geraldo Julio (PSB) e que deverá ser ampliada em outros pontos da cidade.

Outro ponto apresentado por João Campos é o investimento na Engenharia de Tráfego, para que soluções mais práticas sejam adotadas, antes de iniciar uma grande intervenção física. "Ela pode fortalecer desde a definição das rotas de ônibus na cidade, que podem ser revistas e otimizadas. Como a organização dos fluxos da cidade, construção de binários, otimização de sinais. Não existe nenhum grande obra de pedra e cal que possa resolver a situação do trânsito", afirmou. 

Por fim, na última temática sobre Ambiente de Negócios, o presidente do Sistema Fiepe, Ricardo Essinger, questionou o candidato a prefeito sobre como a prefeitura poderá fazer a aproximação entre a área as pequenas e médias indústrias na cidade. "O cenário que eu vejo é que a gente vai passar por uma crise robusta, mas em diversas áreas a gente tem a oportunidade de largar na frente. Uma delas é unindo a P&D com a indústria e os serviços de tecnologia, com a Prefeitura agregando os setores", respondeu Campos. 

Em suas considerações finais, o candidato a prefeito destacou o fato de possui uma das três maiores frentes partidárias do Brasil nas eleições de 2020. "Quem tiver a capacidade de unir no Brasil a partir de 2021 vai largar na frente e vai avançar muito. Nós construímos a Frente Popular do Brasil, uma das três maiores frentes do país com a capacidade de agregar", declarou. 

DIÁLOGO DA INDÚSTRIA COM OS CANDIDATOS À PREFEITURA DO RECIFE:

 

 

 

Arte: JC
Eleições 2020 - FOTO:Arte: JC

Seja um assinante JC.

Assine o JC com planos a partir de R$ 1,90 e tenha acesso ilimitado a todo o conteúdo do jc.com.br, à edição digital do JC Impresso e ao JC Clube, nosso clube de vantagens e descontos que conta com dezenas de parceiros.

Assine o JC

Comentários

Últimas notícias