Eleições 2022

'O povo não quer saber se fulaninho vai largar a prefeitura para ser candidato', diz presidente do PSB-PE

Sileno Guedes referia-se às pré-candidaturas ao Palácio do Campo das Princesas que já despontam na oposição

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 06/05/2021 às 19:05
Notícia
DIVULGAÇÃO/PSB
PSB Ex-prefeito tem enfrentado resistência de aliados para ser candidato - FOTO: DIVULGAÇÃO/PSB
Leitura:

Em entrevista à Rádio Jornal Petrolina na manhã desta quinta-feira (6), o secretário estadual de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, Sileno Guedes, que também preside o PSB em Pernambuco, afirmou que, diante da pandemia de covid-19 pela qual o Brasil passa, a população do Estado não estaria interessada em discutir as eleições de 2022. A fala do socialista foi uma resposta à pergunta sobre a sua opinião a respeito das pré-candidaturas ao Palácio do Campo das Princesas que já despontam na oposição, como as dos prefeitos de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira (PL); de Petrolina, Miguel Coelho (MDB); e de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB).

"A gente tem uma responsabilidade muito grande de governar. O PSB é o maior partido de Pernambuco, é o partido que tem a maior bancada de deputados federais, de deputados estaduais, o maior número de vereadores, o maior número de prefeitos governando, tem o governador de Pernambuco, o prefeito da capital. Ou seja, a gente tem muita responsabilidade e muito trabalho para colocar a nossa energia. Não é hora de falar de eleição, de candidatura, seja lá de quem for, essa não é a pauta do povo, Eduardo Campos já dizia isso. O povo não está interessado em saber se fulaninho vai ser candidato, se vai largar a prefeitura para ser candidato aqui ou acolá. O povo está preocupado em saber se vai sair de casa, arrumar um emprego, não correr o risco de perder seu ente querido que contraiu o vírus da covid", disparou o secretário.

>> Lula virá a Pernambuco e deve se encontrar com Paulo Câmara

>> Lula está disposto a abrir mão de lugar nas chapas estaduais, diz Molon, do PSB, após reunião com o petista

>> Presidente do PSB de Pernambuco relembra foto com Lula e Eduardo Campos

>> Presidente do PSB-PE defende candidatura própria no primeiro turno, apesar de aproximação com Lula

>> Em Pernambuco, grupo de oposição ainda não tem estratégia para enfrentar o PSB nas urnas em 2022

A respeito da reaproximação do PSB com o ex-presidente Lula (PT), que ficou explícita nos últimos meses, Sileno afirmou que o partido "não vai se furtar de sentar com quem quer que seja, inclusive com o PT", mas disse que qualquer decisão neste momento sobre alianças visando a eleição presidencial do próximo ano seria "prematura". De acordo com o senador Humberto Costa (PT), está prevista uma visita de Lula a Pernambuco "em breve", quando o petista deve se encontrar com o governador Paulo Câmara (PSB).

"As nossas discussões com o PT, que é um aliado histórico, um partido que promoveu grandes mudanças, como o Bolsa Família, uma criação do governo Lula, em 2003, o maior programa de transferência de renda que já existiu no planeta, devem continuar, até porque o quadro do Brasil hoje é muito difícil. (...) E o PT, o PSB e outros partidos não podem se furtar de sentar e discutir. Se isso vai gerar alianças lá na frente, que se gerem alianças. Se não gerar aliança eleitoral lá na frente, também não tem problema, porque o que nos une agora é buscar uma solução para o Brasil, que está muito sofrido", cravou Sileno.

No PSB existem, hoje, algumas correntes de pensamento quando o assunto é a disputa presidencial de 2022. Segundo informações publicadas pela repórter Mirella Araújo neste JC, Paulo estaria mais aberto a uma composição com outro partido do que nomes como Geraldo Julio, João Campos ou o próprio Sileno, que têm simpatia maior pelo lançamento de uma candidatura própria. A visita da liderança petista a Pernambuco seria justamente para tentar diminuir a distância com os socialistas do Estado.

Comentários

Últimas notícias