INTERNAÇÃO

Bolsonaro internado: veja as últimas notícias sobre o estado de saúde do presidente

Médico que acompanha o presidente Jair Bolsonaro afirmou que, possivelmente, o chefe do Executivo poderá retornar ao trabalho nesta segunda-feira (19)

Edilson Vieira Mirella Araújo
Edilson Vieira
Mirella Araújo
Publicado em 18/07/2021 às 8:45
Notícia
REPRODUÇÃO DE VÍDEO
Bolsonaro ao lado do médico Antônio Luiz Macedo no dia da internação do presidente em hospital de São Paulo - FOTO: REPRODUÇÃO DE VÍDEO
Leitura:

Matéria atualizada às 9h53

Após apresentar um quadro evolutivo satisfatório e iniciar uma alimentação com uma dieta cremosa,  o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), recebeu alta médica neste domingo (18). O médico-cirurgião Antonio Luiz Macedo já havia afirmado que o "sistema digestivo do presidente está funcionando sem obstruções" e que já "há passagem de alimentos".

>>"Só Deus me tira daquela cadeira", diz Bolsonaro ao deixar o hospital, sem usar máscara

"O Hospital Vila Nova Star informa que o Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, continua evoluindo satisfatoriamente, apresentando melhora clínica e laboratorial. Durante o dia de hoje, será oferecida dieta cremosa não fermentativa. Se continuar havendo boa aceitação, a equipe médica assistente decidirá pela alta nos próximos dias.", detalha o boletim médico, divulgado nesse sábado (17).

 

DIETA

A equipe que acompanha o presidente, que teve uma obstrução intestinal, deve decidir agora sobre a alimentação de Bolsonaro - a dieta deve passar de cremosa (consumida com colher) para pastosa (consumida com garfo), sem incluir alimentos fermentativos, que formam gases. Macedo afirmou que a recomendação é que Bolsonaro mastigue bem a comida, faça refeições leves e pratique exercícios regularmente, como caminhadas. Segundo o médico, a depender de avaliação médica, o presidente estaria apto a voltar ao trabalho na segunda-feira (19).

Em entrevista ao Estadão, ontem, Macedo disse que o "tratamento conservador" era o mais indicado para o caso de Bolsonaro, pois uma cirurgia abriria espaço para novas obstruções. Bolsonaro já foi submetido a seis operações desde que levou uma facada, em 2018. "Não tem tratamento novo para obstrução intestinal. Abrir uma barriga pode aderir no intestino e pode, eventualmente, causar uma infecção. O tratamento é soro, antibiótico para evitar infecção e observar. Se o intestino retorna, tira a sonda e dá alimento. A cirurgia causa mais danos do que benefícios", afirmou o médico.

ACOMPANHE O QUADRO CLÍNICO DO PRESIDENTE JAIR BOLSONARO:

14 de julho (quarta-feira)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deu entrada no Hospital das Forças Armadas, em Brasília, para realização de exames após sentir dores abdominais durante a madrugada. O presidente se queixava de soluços constantes há mais de dez dias. Bolsonaro foi internado no mesmo dia em que participaria de uma reunião com o presidente do STF, Luiz Fux, e com os presidentes da Câmara Arthur Lira (PP-AL) e do Senado Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Seria o primeiro encontro de Bolsonaro com Fux após desferir ataques contra o STF. Os médicos recomendaram que Bolsonaro ficasse em observação por 48 horas.

Ainda na quarta-feira (14), o presidente da República foi transferido para um hospital em São Paulo, com possibilidade de ser submetido a uma cirurgia de emergência para desobstrução intestinal. O presidente posta uma foto onde aparece sem camisa no leito do hospital, junto com um texto onde associa seu mal estar a facada que sofreu durante a campanha eleitoral de 2018, citando seu agressor, Adélio Bispo e relacionando-o ao PSOL e ao PT.

15 de julho (quinta-feira)

Em entrevista a Rádio Jovem Pan, o senador Flávio Bolsonaro (filho do Presidente) revelou que o pai foi internado na UTI do Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, e passou por intubação "por precaução", afirmou senador, já que Bolsonaro apresentava retenção de líquido no estômago.

Os médicos decidem aplicar um tratamento clínico definido como "conservador", antes de decidirem pela necessidade de cirurgia. O presidente é submetido a hidratação e remédios. Bolsonaro publica em suas redes sociais novamente uma foto em que aparece com a sonda nasogástrica e a frase: "Estaremos de volta em breve, se Deus quiser. O Brasil é nosso!".

Ainda na quinta-feira (15), o outro filho do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) postou em suas redes sociais a informação de que os médicos haviam retirado cerca de um litro de líquido do estômago do presidente, e que a obstrução intestinal poderia se desfazer "naturalmente", sem necessidade de cirurgia.

No início da noite da quinta-feira o boletim médico do Hospital Nova Star anunciou que os médicos haviam retirado a sonda nasogástrica, mas sem previsão de alta.

16 de julho (sexta-feira)

O médico Antônio Luiz Macêdo, que acompanha Bolsonaro, afirmou que o presidente evolui bem e que a possibilidade de uma cirurgia estava "bastante afastada". Bolsonaro postou foto em suas redes sociais onde aparece caminhando, sem máscara, pelo corredor do hospital. A foto era acompanhada da mensagem:..."muito fizemos, mas muito ainda temos a fazer pelo nosso Brasil". Pesquisa Exame/Ideia mostrou que o internamento beneficiou a popularidade do presidente Jair Bolsonaro.

Durante a noite desta sexta (16), o hospital divulgou boletim médico informando que o presidente havia feito uma tomografia computadorizada que demonstrou uma melhora no quadro da obstrução intestinal.

 

Comentários

Últimas notícias