Eleições 2022

Se houver aliança, PT quer papel de destaque na chapa do PSB

O presidente do PT de Pernambuco, Doriel Barros, afirma que a decisão de lançar candidatura própria ao Governo do Estado ou apoiar o PSB no pleito majoritário, está sendo construída dentro do partido e com as bases. Ex-presidente Lula terá papel fundamental na decisão

Mirella Araújo
Cadastrado por
Mirella Araújo
Publicado em 05/08/2021 às 19:09 | Atualizado em 05/08/2021 às 19:11
ROBERTA GUIMARÃES/ALEPE
"Se tiver candidatura própria aqui em Pernambuco não é só para disputar, é para ganhar", cravou Doriel Barros - FOTO: ROBERTA GUIMARÃES/ALEPE
Leitura:

Em meio a uma série de compromissos políticos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Nordeste, que será iniciada a partir da próxima semana, o presidente do PT de Pernambuco, Doriel Barros, afirma que aqui o partido terá “papel de destaque” nas eleições de 2022 independente da aliança com o PSB. Segundo o deputado estadual, ainda não está definido se o Partido dos Trabalhadores terá candidatura própria na corrida pelo comando do Palácio do Campo das Princesas, tão pouco, está fechado qual seria o papel da legenda numa eventual composição majoritária com os socialistas. “O PT ainda permanece com a ideia de que pode ser possível a gente construir uma candidatura própria. Isso não está descartado. Então, se a gente ainda trabalha com essa possibilidade, a segunda opção [de alianças] deve ficar para um segundo momento. A gente ainda está nesse diálogo com o partido e com os outros partidos também”, declarou Doriel.

Conforme o Blog de Jamildo havia publicado, o ex-presidente Lula deverá iniciar seu giro pelo Nordeste por Pernambuco, entre os dias 15 e 16 de agosto. “Ele tem sido lembrado pela população como o único capaz de colocar o país no seu prumo. Lula vem para conversar com todos os partidos que queiram conversar com ele. Vai conversar com o PSB, com o governador de Pernambuco, que sempre fez falas muito positivas de Lula, e também vai conversar com outros partidos”, afirmou o dirigente estadual, afirmando ainda que o ex-presidente deverá conceder uma entrevista coletiva, entretanto, os detalhes da agenda ainda estão sendo definidos.

Na conjuntura em que o PT possa estar no mesmo palanque da Frente Popular de Pernambuco, nomes como o do deputado federal Carlos Veras e do deputado estadual João Paulo - que está de malas prontas para deixar o PCdoB e regressar ao PT - estão sendo cotados para a vaga do Senado Federal. “Não tem nenhuma discussão em torno de nomes, de composição. Nós temos três deputados estaduais, dois deputados federais, e todos são bons nomes. O que nós vamos trabalhar é para fortalecer nosso papel no estado e, eventualmente, se houver aliança nós com certeza queremos ter um papel de destaque.”, destacou Barros, em entrevista à Rádio Clube, nesta quinta-feira (5)

Há o mesmo posicionamento quando a questão é sobre uma eventual candidatura própria à sucessão de Paulo Câmara (PSB). Doriel afirma que as alternativas estão sendo construídas internamente no PT e com suas bases, formadas por movimentos sociais e sindicais. De acordo com o presidente do PT Pernambuco, nomes como o do senador Humberto Costa e da deputada federal Marília Arraes, sempre são lembrados dentro desse cenário. “Se tiver candidatura própria aqui em Pernambuco não é só para disputar, é para ganhar”, cravou.

Paralelo a estas discussões, Doriel Barros ressalta que o objetivo central do partido é na eleição de presidência da República, para derrotar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). "Lula precisará de uma base forte no congresso. Em torno desta candidatura vamos articular diversos partidos, temos que considerar não somente um projeto nacional, mas também algo que possibilite dá sustentação a esse projeto nacional”, afirmou.

Comentários

Últimas notícias