Eleições 2022

PSB apresenta a Lula pendências para aliança com o PT

"Temos compreensão dos desafios que se impõem para derrotar esse governo que tanto castiga nosso povo", disse Lula em encontro com o PSB

Mirella Araújo
Mirella Araújo
Publicado em 05/10/2021 às 20:20
Notícia
Ricardo Stuckert
O ex-presidente Lula se reuniu com os líderes do PSB na Câmara dos Deputados - FOTO: Ricardo Stuckert
Leitura:

Após o encontro com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu mais um passo para fortalecer a aliança entre o PT e PSB, de olho nas eleições de 2022. Nesta terça-feira (5), o líder petista esteve reunido com os parlamentares e dirigentes socialistas para discutir a conjuntura nacional. O encontro foi considerado positivo, entretanto, evidenciou que para esse palanque ser formalizado é preciso que algumas “pendências”, como classificou o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, sejam solucionadas.

Isso inclui o entendimento de que há cenários estratégicos do qual os socialistas querem apoio do PT para, em contrapartida, apoiar o projeto de Lula à presidência da República. “Nós colocamos nossas questões e nos comprometemos em trabalhar para uma possível aliança. Não diria que há resistências no PSB, mas pendências ainda não resolvidas”, comentou Siqueira ao JC.

Não se trata de uma equação simples. Em São Paulo, o PSB lançou a pré-candidatura do ex-governador Márcio França, em contrapartida, o PT possui a pré-candidatura do ex-prefeito Fernando Haddad. No Rio Grande do Sul, o principal nome colocado para a disputa majoritária é do ex-deputado federal pelo PSB, Beto Albuquerque, uma das principais lideranças dentro do partido que se coloca contrário a essa aproximação com os petistas.

Em outros estados como Rio de Janeiro e Pernambuco a situação parece estar melhor encaminhada. No palanque carioca, o PSB quer lançar o deputado federal Marcelo Freixo, enquanto no palanque pernambucano, o candidato natural é o ex-prefeito do Recife, Geraldo Julio - apesar das reiteradas negativas de que será postulante.

“Em estados como Pernambuco, nós queremos o apoio do PT e há essa perspectiva, porque naturalmente teremos candidato a governo. O PT quer apoio para a presidência e nós queremos ter espaços para conquistar essas parcelas de poder e que lá na frente serão candidaturas que vão contribuir muito para o projeto do partido”, afirmou Carlos Siqueira.

Também estiveram presentes neste encontro em Brasília, os líderes do PSB na Câmara, Danilo Cabral; da Minoria, Marcelo Freixo (RJ); da Oposição, Alessandro Molon; a presidente nacional do PT, a deputada federal Gleisi Hoffmann; o deputado federal José Guimarães; entre outros parlamentares.

Comentários

Últimas notícias