Pernambuco

Raquel Lyra defende legitimidade de pré-candidaturas de oposição, mas quer manter diálogo sobre possíveis composições

Nas últimas semanas, notícias de que nomes como Miguel Coelho (UB), Marília Arraes (SD) e a própria Raquel estariam conversando sobre uma possível redução no número de pré-candidaturas começaram a circular no Estado

Renata Monteiro
Cadastrado por
Renata Monteiro
Publicado em 22/04/2022 às 17:46 | Atualizado em 22/04/2022 às 17:47
Divulgação
Raquel Lyra (PSDB), ex-prefeita de Caruaru e pré-candidata a governadora - FOTO: Divulgação
Leitura:

Em entrevista à Rádio Jornal Petrolina na manhã desta sexta-feira (22), a ex-prefeita de Caruaru e pré-candidata a governadora, Raquel Lyra (PSDB), afirmou que todos os postulantes da oposição têm legitimidade para participar da disputa eleitoral deste ano e que, enquanto houver tempo, todos os nomes colocados devem seguir dialogando em busca de "consensos e convergências".

Nas últimas semanas, notícias de que nomes como Miguel Coelho (UB), Marília Arraes (SD) e a própria Raquel estariam conversando sobre uma possível redução no número de pré-candidaturas começaram a circular nos veículos de imprensa do Estado. Além de confirmar que os diálogos estão ocorrendo, a tucana declarou que eles são fundamentais para permitir uma "virada de página de um governo tão ruim" para outro, liderado por um dos oposicionistas.

"O que nós precisamos é conseguir trabalhar a construção de consensos e convergências que permitam a Pernambuco sair desse estado em que a gente se encontra. Nós temos um governo que não entrega ao nosso Estado e uma oposição fortalecida. É claro que diálogo nesse momento é fundamental entre as oposições para permitir que a gente possa virar a página de um governo tão ruim, para um governo que tenha capacidade de liderança, de gestão e de entrega de resultado para a nossa população", frisou Raquel.

Na ocasião, a ex-gestora também fez questão de destacar que, após 16 anos à frente do Executivo estadual, a gestão do PSB estaria passando por uma fadiga perante os pernambucanos, tudo isso em um momento em que, segundo ela, a oposição local está mais fortalecida.

"O que se evidencia hoje é um grande desgaste desse governo do PSB, liderado - ou não liderado - pelo governador Paulo Câmara, que tem mais de 70% de rejeição. Os pernambucanos rejeitam um governo que não entrega um melhor Estado, uma melhor saúde, uma melhor educação, uma melhor segurança e, muito mais grave do que isso, não entrega esperança para a nossa gente. Com isso as oposições se colocam, você tem como pré-candidatos ex-prefeitos bem avaliados nas suas cidades, como Miguel Coelho, Anderson Ferreira, graças a Deus o nosso trabalho à frente da Prefeitura de Caruaru também muito reconhecido, há a deputada federal Marília Arraes, João Arnaldo, pelo PSOL, são pessoas que têm credenciais e legitimidade para disputar o Governo do Estado", declarou a ex-prefeita.

Apesar de estarem em contato frequente, o próprio Miguel Coelho e o coordenador de campanha de Marília, Marcelo Gouveia, já falaram sobre a dificuldade que existe para que algum pré-candidato desista de disputar nesta fase da pré-campanha. Nos bastidores, comenta-se que um acerto entre os membros da oposição seria mais provável em um possível segundo turno.

Comentários

Últimas notícias