20
set

#PassageiraPoesia – Áridos olhos

20 / set
Publicado por Leonardo Vasconcelos às 11:57

#PassageiraPoesia – Áridos Olhos

A riqueza salta aos olhos. Pobres retinas que não conseguem mira-la. Seca visão de quem foca espinhos em vez de caminhos. Rota que brota e berra de terra. Barro que se molda e muda quem passa. Chão batido, castigado, assim como os que pisam nele. Ambos, todavia, aprenderam a ser fortes. Mulambos em todas as vias, mas nas do Sertão encontraram um norte. Ser tão resistentes. Cactos humanos. Que mesmo na estiagem de oportunidades se vestem de vaidades para ofertar uma flor. “Você pode até não aceitá-la, seu moço, só não venha me chamar de oco. Vem da raiz meu dom de ser feliz”. Áridos são os olhos de quem não vê.

*O #PassageiraPoesia nada mais é do que o sentimento captado na imagem. Ele tenta discorrer em palavras a poesia declamada pela paisagem. O instante é passageiro, mas o que ele tem a dizer há de ficar. Toda quarta-feira no @blogmochileo.

*Acompanhe o @blogmochileo também pelo Instagram, Twitter, Facebook e Youtube.


Veja também