11
nov

Campeões do longboard conhecidos em Maresia.

11 / nov
Publicado por Alexandre Gondim às 15:41

Chloé Calmon. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

Chloé Calmon é campeã sul-americana e Carlos Bahia vence o Oi Longboard Pro.

A carioca ganhou o título invicta nas duas etapas e o local do pico derrotou o tetracampeão Piccolo Clemente na outra final contra o Peru.

A Praia de Maresias, em São Sebastião, litoral norte de São Paulo recebeu os pranchões, e assistiu o Brasil com a carioca Chloé Calmon derrotar Maria Fernanda Reyes na decisão do título sul-americano da WSL Latin America e Carlos Bahia, carimbou a faixa do tetracampeão Piccolo Clemente, vencendo a etapa.

Mas, teve decisão no domingo em Maresias, com Chloé Calmon ganhando de Maria Fernanda Reyes. como na primeira etapa do Oi Longboard Pro, para festejar o primeiro título sul-americano.

Carlos Bahia. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

“Foi incrível ter duas etapas da WSL no Brasil esse ano. É muito legal ver toda a comunidade do longboard aqui e acho que a gente estava precisando desse apoio”, disse Chloé Calmon. “Todo mundo vai sair dessa temporada supermotivado para evoluir para o ano que vem e eu estou muito feliz em ter conquistado esse título inédito em casa. Competir em casa o ano inteiro, lá no Rio de Janeiro onde moro e aqui em Maresias também, foi uma sensação incrível. Só me dá mais motivação para ir pra Taiwan, fechar o ano com chave de ouro”.

Chloé parte para Taiwan tentar um título inédito para o Brasil, ser campeã mundial de longboard feminino na World Surf League, na primeira semana de dezembro.

Maria Fernanda Reyes. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

A final do longboard feminino foi a primeira a entrar no mar na Praia de Maresias e a peruana Maria Fernanda Reyes precisava vencer para provocar uma bateria extra para decidir o título sul-americano.

Ela deu trabalho e ficou na frente quase toda a bateria, com notas 6 e 4 nas duas melhores ondas. Mas, Chloé Calmon correu atrás e pegou uma onda no último minuto, que abriu a parede para a carioca mostrar toda sua habilidade no pranchão, indo até o bico para fazer as manobras que valeram nota 7 e a vitória por 11,80 a 10 pontos.

Chloé Calmon. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

No Longboard masculino, o local de Maresias, Carlos Bahia, levantou a torcida que vibrava a cada onda surfada. Desde a semifinal contra o bicampeão mundial Phil Rajzman, quando os dois deram um show para o público que compareceu na praia no domingo.

Bahia tirou uma nota 9 para bater o carioca e depois enfrentou outro bicampeão mundial, Piccolo Clemente. O peruano confirmou o tetracampeonato sul-americano no sábado e os dois fizeram mais um duelo emocionante, com a liderança mudando a cada onda.

Carlos Bahia. Foto: @WSL / Daniel Smorigo

 

Piccolo largou na frente com nota 7,25, mas Carlos respondeu com 8,50 para assumir a ponta. As ondas estavam pequenas no último dia de competições, com as séries demorando a entrarem no pico, mas algumas abriam paredes mais longas possibilitando as manobras clássicas dos pranchões, o hang ten ou hang five no bico.

E foi assim ate o final com Piccolo ganhando um 7,75 para recuperar a liderança, mas Bahia ainda surfou uma onda que valeu nota 6,95, para vencer por 15,45 a 15 pontos.

“Quero agradecer a toda a galera local, minha família, minha esposa Vanessa, minha filhota e a meu pai, porque foi aqui onde eu comecei, onde eu conheci tudo”, disse Carlos Bahia, chorando, depois de ser carregado até a arena do evento. “Eu fiquei dois anos sem participar do Circuito Mundial. Foi aqui onde eu aprendi tudo. Eu precisava de uma vitória assim, em casa, em um evento internacional da WSL. Isso era um sonho e eu sempre digo para nunca desacreditar dos seus sonhos. Ganhar de dois bicampeões mundiais na minha casa, é uma honra para mim. Será certamente uma vitória inesquecível”.

Piccolo Clemente e Chloé Calmon, Campeões sul-americanos de Longboard, Foto: @WSL / Daniel Smorigo

Veja também:

Cultura longboard em Jericoacoara

Surfe do Brasil sai fortalecido do Pan


Veja também