26
dez

Alexandre Ferraz em busca de ondas gigantes

26 / dez
Publicado por Alexandre Gondim às 18:01

Foto: Clemente Coutinho

A praia de Serrambi é considerada a “joia” do litoral Pernambucano. Foi lá que excelentes surfistas lapidaram seu surfe antes de iniciarem suas carreiras profissionais, Carlos Burle, Eraldo Gueiros,Paulo Moura seguiram “os passos” do mestre Piet Snel e fizeram escola. Nesta escola, também conhecida como a “indonésia pernambucana”, talvez seu melhor aluno seja Alexandre Ferraz.

Xandinho era levado, por seus pais, nos finais de semana e nas férias escolares para a praia de Serrambi, localizada no litoral sul a 80 km do Recife, onde morava.

“Lá meu pai gostava de pescar e eu sempre o acompanhava, me divertia no “quebra-coco” pegando ondas de “jacaré”, recorda.

Aos 8 anos de idade ganhou sua primeira primeira prancha. Era década de 90, é iniciavam os ataques de tubarões na praia de Boa Viagem, principal pico de surfe urbano próximo a casa dele.

Foto: Clemente Coutinho

Com os ataques, uma novo ciclo no surfe pernambucano foi iniciado, mudando a “geografia” do esporte e todos seus aspectos locais e sociais. E Alexandre começou a se destacar no cenário estadual.

Foi campeão júnior 2002 e duas vezes campeão estadual, na categoria open em 2003 e 2004, onde venceu também algumas etapas em competições profissionais e chegou ao vice campeonato estadual em 2006, mas com todo efeito negativo trazido com os ataques de tubarões, um deles foi a perda dos patrocinadores, sem investimento suficiente pra competir nos melhores circuitos e sem encontrar nas competições boas ondas ele foi se afastando das competições e buscando novas oportunidades como “freesurfer”.

Foto: Clemente Coutinho

“Aprendi a surfar em Serrambi com ondas potentes de fundo de coral, cresci vendo meus amigos entubarem nas melhores ondas, eles são meus ídolos: Piet Snell, Rogerinho Soares, Eduardo “Rato” Fernandes, os irmãos Trajano, Mario Neto, Rodrigo Jordão, Romerinho, Roberto Lisboa e Eraldo Gueiros . Já Burle sempre foi uma personalidade que inspirou todos os pernambucanos inclusive eu, O Burle está com 52 anos. Ele é um exemplo de que talento é importante, mas disciplina e foco são fundamentais. Como eles, eu sempre ia buscar a melhor da serie e o melhor tubo do dia”.

“Com eles fui aprendendo a me posicionar no pico e a respeitar a hierarquia local. Com várias temporadas em Serrambi e Fernando de Noronha naturalmente fui evoluindo e conquistando meu espaço no cenário das ondas grandes, como sempre gostei da adrenalina sempre sonhei com Havaí.” Sonhava Xandinho.

“Entrei na faculdade de Educação Física em 2006 e comecei a surfar menos e a treinar mais fora da água. Direcionei meu capital em competições para viagens onde eu sabia que iria encontrar boas ondas e poderia produzir um bom conteúdo para meus patrocinadores. Em Fernando de Noronha em 2007, fiz capa da Fluir e produzir um bom material para meus patrocinadores, em 2008 surfei a maior onda do Brasil me rendendo em 2009 a premiação de 25 mil reais pelo prêmio Greenish. Depois de três anos juntei tudo que tinha e fui realizar meu sonho: O Havaí e suas ondas gigantes.” a partir desta viagem esse foi sempre seu objetivo de vida.

Foto: Fred Pompemayer

“Surfar ondas antes consideradas impossíveis, e é isso que busco em minha carreira, superar meus limites e pegar ondas cada vez maiores, eu me preparo para estar no mar no maior swell do ano. Com isso consegui colocar meu nome no seleto grupo dos surfistas que dominam as ondas grandes na remada. Lembro do swell de 2016 em Jaws, na Ilha de Maui no Havaí que teve seu ápice, com ondas de cerca de 60 pés de face, especialistas o apontara como um dos maiores já surfados na remada de todos os tempos. Aquele dia foi realmente épico. Dei sorte e consegui pegar uma das maiores do dia” relembra o “big-rider” pernambucano.

Xandinho e Carlos Burle: Foto: Alexandre Gondim/Blog do Surfe

Sobre Xandinho, Carlos Burle, bicampeão de ondas gigantes, fala: “Ele tem muito talento para surfar qualquer tipo de onda. É um excelente “tub-rider” e sempre se destaca quando as ondas ficam pesadas. Eu tive oportunidade de surfar boas ondas com ele em vários lugares, principalmente em Jaws onde ele é muito “atirado” e dentro das condições de patrocínio dele faz tudo que esta seu alcance para ser um profissional de surfe, eu me orgulho de ser conterrâneo e amigo dele”.

Hoje seu maior objetivo é criar uma boa estrutura e estar bem preparado para surfar as maiores ondas do mundo. “Acredito que com um bom preparo físico e psicológico, bons equipamentos e principalmente uma boa segurança para me deixar tranquilo em situações extremas os resultados aparecerão e eu superarei cada vez mais meus limites e os limites do surfe de ondas grandes. Atualmente estou sem um patrocinador principal, mas tenho alguns apoiadores como Oric surfboards, Academia R2, WaveGrip, Blocos Teccel e VillaBistrô.” finaliza Ferraz.

Valorizando e colocando em pauta surfistas gabaritados o BLOG DO SURFE serve de vitrine para informar a comunidade e ajudar eles a continuarem representando o surfe brasileiro onde tiver ondas boas quebrando ao redor do planeta !!!! ALOHA !


Veja também