30
jan

Brasileiros iniciam a corrida pelo acesso ao Championship Tour

30 / jan
Publicado por Alexandre Gondim às 14:39

Victor Bernardo. Foto: Laurent Masurel / WSL

Com a vitória do norte-americano Nat Young e o fim do QS 5000 Pro Taghazout Bay os competidores da divisão de acesso da Word Surf League finalizaram a etapa do Marrocos e já sabemos quem são os lideres da corrida pelas vagas do Championship Tour.

A etapa de Marrocos acabou hoje, quinta-feira, 30/1, e outro QS 5000 já tinha sido iniciado na quarta-feira, o já tradicional Volcom Pipe Pro no Havaí, que elevou seu status esse ano. Também na quarta-feira, começou o QS 1000 Carve Pro na Austrália e na quinta-feira foi iniciado outro QS 1000, o SLO CAL Open em Pismo Beach, na Califórnia. Na semana que vem, ainda tem um QS 1500 nas Ilhas Canárias, antes do Circuito Mundial chegar ao Brasil pela primeira vez em 2020, para o Oi Hang Loose Pro Contest  com status de QS 5000 na semana de 11 a 16 de fevereiro em Fernando de Noronha.

Entre os Brasileiros temos quatro surfistas em vigésimo quarto: Willian Cardoso, Thiago Camarão, Victor Bernardo e Rafael Teixeira. Por coincidência o número 24 foi notícia esta semana com a morte do ídolo do basquete Kobe Bryant que usava o 24 e alvo de matérias sobre o preconceito homofóbico que cerca o número no Brasil, principalmente no futebol.

Os brasileiros surfaram bem em ondas excelentes em Anchor Point. O peruano Alonso Correa foi o sul-americano que melhor performou na etapa com status QS 5000 do WSL Qualifying Series 2020. Ele ganhou o confronto com o brasileiro Rafael Teixeira pelas oitavas de final .

Thiago Camarão. Foto: Laurent Masurel / WSL

Nas oitavas, os quatro brasileiros perderam por menos de 1 ponto de diferença. Willian Cardoso que está iniciando a busca pela vaga no CT perdida no ano passado e competiu bem com seu “power surf” abrindo grandes leques de água nas direitas. Ele liderou quase todo o duelo, mas o português Vasco Ribeiro aproveitou muito bem as duas últimas ondas que surfou para ganhar notas 7,23 e 8,57. Willian ainda fez 7,3 na última, mas perdeu por 15,8 a 15,07 pontos.

A disputa seguinte foi ainda melhor, com os dois competidores computando ondas no critério excelente dos juízes, acima de 8. O paulista Thiago Camarão, que na segunda-feira, 27/2, , registrou imbatíveis 18 pontos com duas notas 9, voltou a brilhar com seu ataque de frontside para ganhar um 9,10, depois do 7,33 recebido na anterior. O americano Jake Marshall já tinha um 8,77 e seguiu destruindo suas ondas para receber 7,40, 8 e 8,87 na última, quando totalizou 17,64 pontos. Camarão só teve mais uma chance e foi bem, mas a nota 8,23 não foi suficiente para vencer, ficando com 17,33 pontos.

Depois, o paulista Victor Bernardo, que na terça-feira, 28/1, fez uma nota 9,5 começou forte contra o número 1 no ranking do QS no ano passado. Sua primeira nota foi 7, mas o português Frederico Morais respondeu com 8. Logo, o brasileiro pegou outra onda boa para mostrar a potência do seu surfe, com suas manobras ganhando nota 8,5 dos juízes. Com ela, liderou a bateria até os últimos minutos, quando Frederico pegou uma que valeu 7,6 para virar o placar para 15,60 a 15,5 pontos.

 

Alonso Correa. Foto: Laurent Masurel / WSL

O último brasileiro caiu no duelo seguinte, no confronto sul-americano com o peruano Alonso Correa. O capixaba Rafael Teixeira praticamente só conseguiu surfar as duas ondas que são computadas no resultado e totalizou 13,26 pontos. O peruano foi bem do início ao fim da bateria para vencer por 13,94. Com as derrotas nas oitavas de final, Willian Cardoso, Thiago Camarão, Victor Bernardo e Rafael Teixeira, terminaram em nono lugar no QS 5000 Pro Taghazout Bay, recebendo 1.500 dólares de prêmio e marcando 1.750 pontos no ranking.

 

Com isso o norte americano Nat Young e o japones Shun Murakami, ambos com cinco mil pontos lideram o ranking do QS e serão os surfistas a serem batidos em Fernando de Noronha, ate lá!!!

Veja também:

Onze etapas do QS estão previstas para este ano na America do Sul

Hang Loose em Fernando de Noronha abre calendário da WSL na América Latina


Veja também