18
nov

O legado de Robert Crumb resgatado em Viva a Revolução!

18 / nov
Publicado por Ernesto Barros às 11:53

crumb
Detalhe da feminista Lenore Goldberg

O artista gráfico e ilustrador americano Robert Crumb, atualmente com 72 anos e desde 1990 morando na França, é um dos maiores nomes dos quadrinhos mundiais. Ícone da contracultura, ele mediu forças com a polícia e defendeu incansavelmente os direitos das mulheres, dos negros e de quem quer que estivesse contra a corrente do pensamento conservador da época.

Uma excelente introdução à obra quadrinística de Robert Crumb e sua militância política acaba de chegar às livrarias: em Viva a Revolução! (Editora Veneta, 144 páginas, R$ 89,90), tudo o que você queria saber sobre as lutas enfrentadas pelo autor estão presentes nas várias histórias reunidas no livro, uma edição luxuosa que os colecionadores vão ter o prazer de guardar na estante.

O editor da Veneta, Rogério Campos, selecionou e organizou as histórias, cartazes e ilustrações que compõem Viva a Revolução!, reunindo material de várias épocas, principalmente dos anos 1970 e 1980. Campos também escreveu um prefácio, em que conta muitos dos casos em que Crumb se envolveu, como um problema sério com o fisco (relatado por Jesse Crumb, filho do desenhista), além de uma análise política do trabalho dele.

“Crumb é incontrolável, complexo e incômodo para a direita, mas também para a esquerda ‘séria’. Com seus desenhos, ele ajuda a impulsionar as vendas de várias publicações de esquerda, pero sin perder el humor jamás. Assim como os direitistas, os filhos e as filhas do stalinismo e do clericalismo se escandalizam. Crumb fala de racismo, machismo e autoritarismo também tão presentes nos grupos de esquerda. Ri do sectarismo e da tendência ao blábláblá pomposo e estéril”.

A seleção de Campos é muito generosa. Ele não deixou escapar quase nada. Estão presentes as histórias clássicas protagonizadas pela feminista Lenore Goldberg, pelo ativista Projunior, pelo boneco de neve Frosty, como também as aventuras protagonizadas por ele mesmo, exemplificada pela sarcástica A História do Sucesso de Crumb. Aliás, sarcasmo é o que não falta em quase tudo que Crumb faz. Mas nada supera o estilo dos seus desenhos, uma marca registrada que nunca permitiu imitadores.


Veja também