29
jun

Funcionários da Funase investigados pelo uso de sprays de pimenta

29 / jun
Publicado por Raphael Guerra às 7:00

Unidades da Funase têm sido cenário para diversas irregularidades com adolescentes. Foto: JC Imagem/Arquivo

Um procedimento administrativo foi instaurado para investigar um agente e uma assistente socioeducativos suspeitos de usar sprays de pimenta em adolescentes internos da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) em Garanhuns, no Agreste de Pernambuco.

O uso de sprays de pimenta é proibido nas unidades de internação de adolescentes, mesmo assim ainda estaria sendo adotado em alguns locais. No ano passado, o Ministério Público chegou a solicitar a interdição da Funase em Caruaru, também no Agreste, por denúncias de tortura – com uso de sprays e sufocamento com sacos plásticos.

Na portaria publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (29), a diretora presidente da Funase, Nadja Alencar, afirma que o procedimento administrativo visa “apurar as condutas e possíveis responsabilidades no suposto uso de spray de pimenta nos alojamentos do pavilhão IV” da unidade de Garanhuns.

Se comprovadas as irregularidades, os funcionários podem ser punidos inclusive com a demissão.

ABUSOS

Três agentes socioeducativos foram demitidos, no mês passado, suspeitos de agredir e abusar sexualmente de adolescentes no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Santa Luzia, no Recife. Segundo as investigações, os agentes socioeducativos praticaram diversas irregularidades, inclusive o fornecimento de substâncias ilícitas, como drogas, às adolescentes que cumprem medida socioeducativa.

LEIA TAMBÉM

Funase mantinha unidade clandestina no Recife com internos sofrendo maus-tratos

MPPE cria força-tarefa para investigar descaso e mortes nas unidades da Funase

Policial do Batalhão de Choque que se masturbou em viatura é demitido

 


Veja também