Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol do Brasil e do mundo, basquete, NFL e todos os esportes
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, futebol nacional e internacional. Basquete, NFL, Fórmula 1 e todos os esportes Com análise, interatividade e opinião

negociações

Seguindo formato da Premiere League, clubes brasileiros definem como será divisão de cotas bilionários de possível Liga

A ideia é que a empresa Codajas ofereça um investimento de US$ 1 bilhão (R$ 5,4 bilhões) pelo Brasileirão

Haim Ferreira
Haim Ferreira
Publicado em 14/11/2021 às 11:21
CBF
Investimento inicial seria de 800 milhões de dólares - FOTO: CBF
Leitura:

O projeto de transformar o Campeonato Brasileiro em uma Liga vai se encorpando. Em reunião realizada neste fim de semana, 18 times definiram como será o formato de distribuição das cotas de televisão e publicidade do torneio. A ideia é seguir o modelo da Premiere League, onde 50% do valor é dividido de maneira igualitária, 25% pela colocação na competição e os outros 25% pela exibição na televisão.

Assinaram o documento os seguintes times da Série A: Corinthians, Palmeiras, Santos, São Paulo, Red Bull Bragantino, Flamengo, Grêmio, Internacional, Atlético-MG, Bahia, Ceará, Fortaleza, Cuiabá, Atlético-GO e Chapecoense. Cinco ainda não se manifestaram: Athletico-PR, América-MG, Fluminense, Juventude e Sport. Da Série B, concordaram: Vasco, Botafogo e Cruzeiro.

Este processo é uma carta de intenção à empresa Codajas Sports Kapital, que largou na frente nos interesses de gerir a Liga. A ideia é que a empresa ofereça um investimento de US$ 1 bilhão (R$ 5,4 bilhões). Esse dinheiro, por sua vez, seria repassado aos clubes para que possam pagar dívidas e se reestruturar em meio à crise. Em troca, ficaria um percentual de até 25% da liga, isto é, de todos os seus rendimentos.

Ainda não há uma obrigação de venda. Ele é um documento "não vinculante", ou seja, não gera nenhuma obrigação para os clubes envolvidos. Caso seus dirigentes queiram recusar o que for oferecido posteriormente, têm esse direito preservado.

Comentários

Últimas notícias