torcidas organizadas

'Em breve vamos ter notícias', garante o promotor sobre a extinção das torcidas organizadas

Promotor do Ministério Público José Bispo falou que a entidade está trabalhando para agilizar o processo para extinguir as torcidas organizadas

Gabriela Máxima
Gabriela Máxima
Publicado em 12/02/2020 às 14:21
Notícia
Leo Motta/JC Imagem
Promotor do Ministério Público José Bispo falou que a entidade está trabalhando para agilizar o processo para extinguir as torcidas organizadas - FOTO: Leo Motta/JC Imagem
Leitura:

O promotor do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) José Bispo revelou que a entidade está empenhada em finalizar a ação que visa extinguir as torcidas organizadas dos estádios de futebol. O promotor garantiu que é interesse da entidade acabar com as uniformizadas porque a situação atingiu seu limite. Na semana passada, por exemplo, membros da torcida organizada do Sport provocaram uma confusão durante a festa de aniversário de 106 anos do Santa Cruz, no centro do Recife. Não havia jogo naquele dia e o tumulto aconteceu longe de uma praça esportiva. O Ministério Público lançou uma ação para extinguir as facções em 2012, mas até agora, oito anos depois, ainda não houve uma resolução efetiva.

O promotor explicou como o processo funciona e alertou que o órgão pode ter uma boa surpresa em breve. "O Ministério Público fez uma demanda em 2012 tentando proibir a entrada de torcidas organizadas nos estádios e também tentando extinguir. Não obtivemos o sucesso desejado. Já em 2014, quando a violência estava  bem maior, o MP entrou com 'ação de obrigação de fazer', ou seja, no sentido de impedir a entrada das três torcidas principais. Conseguimos êxito. Uma liminar, uma tutela antecipada proibiu que essas torcidas adentrassem nos estádios utilizando o uniforme. Isso sempre foi cumprido. E o pedido final, que a gente chama de mérito, seria extinguir essas três organizadas. Isso em 2012, 2014 e até o momento não temos a decisão final. Qual o trabalho do MP? Ativar e cobrar o impulso processual para que tenhamos a extinção dessas torcidas organizadas. É uma forma que nós vamos ter de começar a incomodar. A medida que você extingue uma organizada, pode surgir outra. Isso é natural. O próprio estatuto permite, mas vai ser mais difícil. A sociedade precisa desse alerta", esclareceu José Bispo.

EXTINÇÃO EM BREVE?

"Todo processo tem o processo criminal e o processo de natureza cível. Esse é de natureza cível, ação civil pública, então ele tem um rito processual. A tutela foi antecipada para proibir e restou o pedido final. É preciso que o MP apresente provas testemunhais e documentais suficientes par o poder judiciário ter o embasamento para extinguir essas torcidas. Isso já foi feito. Dessa vez a coisa piorou, inclusive com o episódio do Pátio de Santa Cruz. É interesse nosso fazer com que essa definição saia e, junto ao poder judiciário, reunir mais provas. Nosso trabalho, nossas esperança é extinguir. Em breve vamos ter notícias", garantiu.  

Últimas notícias