Eleições 2020

'Nunca reivindiquei candidatura minha', diz Raul Henry sobre Recife, relação com MDB e Frente Popular

Deputado disse estar lisonjeado com o apoio que tem recebido, mas reafirmou que ainda não decidiu se manterá ou retirará o MDB da Frente Popular

Ana Gabriela Lima
Ana Gabriela Lima
Publicado em 15/01/2020 às 16:28
Notícia
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Deputado disse estar lisonjeado com o apoio que tem recebido, mas reafirmou que ainda não decidiu se manterá ou retirará o MDB da Frente Popular - FOTO: Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

Após ver seu nome defendido pelos senadores Jarbas Vasconcelos e Fernando Bezerra Coelho, ambos do MDB, para concorrer à Prefeitura do Recife nas eleições desse ano, o deputado federal Raul Henry (MDB) afirmou que jamais reivindicou sua candidatura ao Executivo municipal. O parlamentar, que também preside o MDB em Pernambuco, disse ficar lisonjeado com o apoio dos correligionários, mas reafirmou que ainda não decidiu se manterá ou retirará o partido da Frente Popular - coligação que deve defender o nome do também deputado João Campos (PSB) para a sucessão de Geraldo Julio (PSB).

"Eu não reivindiquei candidatura minha a prefeito. Nunca coloquei isso como projeto pessoal meu. Fernando (Bezerra Coelho) tomou a iniciativa de levantar o meu nome, vocês da imprensa quando colocam os nomes dos possíveis candidatos têm colocado o meu nome, mas eu nunca eu dei uma entrevista me colocando como candidato a prefeito", declarou Raul em entrevista ao Jornal do Commercio na última terça-feira (14).

O emedebista, no entanto, não descartou a possibilidade de enfrentar as urnas na capital pernambucana. De acordo com o deputado, a condição para aceitar o desafio é que a sua candidatura seja apoiada por um amplo conjunto de forças políticas, como ocorreu com o ex-senador Armando Monteiro (PTB) nas eleições de 2018. Concorrer pela oposição com múltiplas candidaturas em jogo estaria fora de cogitação.

"Depois da experiência que eu acumulei, acho que uma candidatura majoritária tem que ser o ponto de convergência de um conjunto amplo de forças, com um projeto que seja amplamente debatido. Uma candidatura majoritária como projeto de um único partido ou como projeto pessoal, para mim não faz sentido", cravou o parlamentar.

PAULO CÂMARA

Nos últimos dias, boatos de que o governador Paulo Câmara (PSB) - amigo pessoal de Raul desde que o deputado foi o seu vice-governador (2015-2018) - estaria atuando nos bastidores para afastar do emedebista a ideia de concorrer à prefeitura tomaram o noticiário político do Estado. O burburinho surgiu depois que uma visita de Paulo à casa de praia de Raul no último fim de semana veio à tona.

Segundo Raul, em nenhum momento do encontro os dois falaram sobre política. "Paulo já tinha combinado de ir para lá (casa de praia) antes do final do ano, porque ele já havia ido inúmeras vezes quando eu era vice-governador. Ele ia no verão, passar o fim de semana com a esposa, com as filhas. Mas eu nunca puxei assunto de política com ele quando ele estava lá em casa. (...) Eu não faço isso. Quando a gente quer conversar sobre política, marca para conversar sobre política. Senta, toma um café e aí conversa", cravou.

Sobre um possível retorno ao governo Paulo, também ventilado nos últimos dias, o deputado disse que, até o momento, não recebeu nenhum convite nesse sentido. "Ninguém falou isso comigo. Ninguém tocou nesse assunto comigo. Eu estar comentando um convite que sequer chegou para mim seria uma deselegância enorme. Me sinto impedido de falar sobre isso", despistou Raul Henry.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias