COMBUSTÍVEIS

Mudança de regra na comercialização de combustíveis vai permitir mostrar nas bombas litro de gasolina a R$ 10. Entenda

Agência Nacional de Petróleo (ANP) derrubou exigência das bombas mostrarem três casas decimais no litro de combustível

Edilson Vieira
Edilson Vieira
Publicado em 08/11/2021 às 18:46
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
ESTRATÉGIA Medida da ANP abre espaço para o preço da gasolina ultrapassar os dois dígitos nas bombas - FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

Desde 1994 o Brasil adotou a precificação dos combustíveis com três casas decimais. Com o aumento constante no preço da gasolina (73% somente em 2021), em pouco tempo os postos de combustíveis iriam enfrentar um problema.

Boa parte das bombas de combustível dos 41 mil postos existentes no Brasil só tem espaço para quatro caracteres no visor. Quando o litro da gasolina ultrapassar a barreira dos R$ 9,999, alguns donos de postos teriam que trocar a bomba por uma mais moderna, com visor maior, o que representaria um investimento considerável, já que uma bomba nova custa em torno de R$ 30 mil, podendo chegar a R$ 60 mil, dependendo do modelo. E, como os postos trabalham com mais de uma bomba, o gasto extra seria elevado, apenas para atender uma burocracia.

>> Veja produtos para fazer gasolina durar mais


NORMA

Mas, na última sexta-feira (5), a Agência Nacional de Petróleo (ANP) editou uma norma que derruba a obrigação das três casas decimais. Por exemplo, o preço médio da gasolina vendida no Recife, na última semana de outubro, segundo a ANP, foi de R$ 6,457 o litro. Esse preço, com três casas decimais, é o que deveria ser mostrado na bomba e também nos cartazes fixados no posto, informando o preço ao consumidor.

Com a publicação da nova norma, o preço deve ser mostrado com apenas duas casas decimais (no exemplo, seria R$6,45), afastando a necessidade de o posto ter que trocar as bombas mais antigas por outras com display maior quando o preço atingir R$ 10,00 o litro. Na Ilha de Fernando de Noronha, onde é vendida a gasolina mais cara do País, isso já está bem perto de acontecer. 

Veja o que diz a norma da ANP: "Com prazo para entrada em vigor de 180 dias após a publicação da nova resolução, os preços por litro de todos os combustíveis automotivos comercializados deverão ser expressos pelos postos revendedores com duas casas decimais (em vez das atuais três casas decimais) no painel de preços e nas bombas medidoras, facilitando o entendimento dos consumidores".

PREJUÍZO

Para o presidente do Sindcombustíveis-PE, Alfredo Pinheiro Ramos, o fim da terceira casa decimal vai, por outro lado, reduzir o faturamento dos postos. "Este é um mercado que briga por centavos. Uma coisa é a gasolina custar R$ 10,00, e outra coisa é o preço ser de R$ 10,001. Em um milhão de litros, esse 001 faz diferença", explicou Afredo Ramos, salientando que no mundo todo o combustível é vendido com três casas decimais no preço, segundo ele. 

FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Nova norma da Agência Nacional do Petróleo determina que preço seja exibido com apenas duas casas decimais dentro de 180 dias - FOTO:FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM

Comentários

Últimas notícias