Enem 2021

Abertura dos portões tem movimentação intensa nos locais de prova do Enem 2021 no Recife

Em Pernambuco, 178.777 feras estão aptos a prestar os exames nos dias 21 e 28 deste mês

Mirella Araújo Luisa Farias
Mirella Araújo
Luisa Farias
Publicado em 21/11/2021 às 12:28
Guga Matos / JC Imagem
Abertura dos portões no Bloco G da Unicap - FOTO: Guga Matos / JC Imagem
Leitura:

Atualizada às 15h05

*Com informações da TV Jornal 

Antes mesmo da abertura dos portões, marcada para as 12h, pelo horário de Brasília, já era grande a movimentação dos candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021, nos locais de prova no Recife. No primeiro dia do exame, os feras responderão a questões objetivas de linguagens e ciências humanas, além de fazer a única prova subjetiva da avaliação, a redação. Os portões foram fechados às 13h, não sendo permitida a entrada de nenhum inscrito após esse horário. As provas começam a ser aplicadas às 13h30 e terminam às 19h.

Para aliviar a tensão, os candidatos foram recepcionados no Bloco G da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) por uma orquestra de frevo. Eles também puderam receber massagem e ventosaterapia em um stand próximo ao prédio. 

Em Pernambuco, 178.777 feras estão aptos a prestar os exames nos dias 21 e 28 deste mês, segundo dados divulgados pelo Inep. Os inscritos estão divididos nos 83 locais de prova no Estado. A capital, Recife, concentra o maior número de candidatos, 40.054. A Ilha de Fernando de Noronha é onde o Enem terá menos candidatos, apenas 47. No ranking estadual, Petrolina, no Sertão, aparece como a cidade com segundo maior número de candidatos (10.327), à frente de Caruaru e Jaboatão dos Guararapes.

A movimentação também é grande no campus da Unibra, no bairro da Boa Vista. A estudante Ingrid Alana, de 18 anos, vai tentar o curso de Medicina e é a terceira vez que ela vai fazer o Enem. "Eu fiz o primeiro ano como experiência, depois fiz no começo do ano como terceirista e agora estou fazendo mais uma vez para tentar em medicina. Vou esperar a nota (sair no Sisu) para me planejar melhor", disse.

Para Alana, o seu maior receio é a redação, mas ela afirma que se sente mais preparada para esta edição. "Dá um frio na barriga não sabermos o tema da redação, mas estou com uma boa expectativa para entrar em Medicina", completou. 

 

 

Marcello Casal JrAgência Brasil
Estudantes de todo Brasil, fazem o segundo dia de prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio - Marcello Casal JrAgência Brasil
Guga Matos/JC Imagem
Escolas têm stands em frente ao prédio da Unicap - Guga Matos/JC Imagem
Guga Matos/JC Imagem
Estudantes recebem massagem antes do início das provas - Guga Matos/JC Imagem
Guga Matos/JC Imagem
Chegada dos candidatos em um dos locais de prova - Guga Matos/JC Imagem
Guga Matos/JC Imagem
Candidatos entram no prédio da Unicap - Guga Matos/JC Imagem
Guga Matos / JC Imagem
Abertura dos portões no Bloco G da Unicap - Guga Matos / JC Imagem

Essa também não é a primeira vez que o estudante Heitor Afonso Magnos, de 17 anos, vai fazer o Exame Nacional. Ele havia feito antes por experiência, mas agora diz que está confiante e espera conseguir ingressar no curso de Direito. Sobre as recentes polêmicas envolvendo o Inep e o Enem, Heitor acredita que isso pode, de certa forma, atrapalhar os candidatos.

"Sem dúvida alguma, são instituições totalmente dependentes da outra, então o que era para ajudar os alunos, está atrapalhando. Acho que de uma forma ou de outra vai prejudicar os alunos", afirmou.

Já a estudante Letícia Santos Aquino, de 18, acredita na possibilidade do conteúdo do exame tratar menos sobre questões políticas, sociais e até mesmo raciais. Ela já fez a prova duas vezes por experiência e está é a segunda para valer, em que tenta uma vaga no curso de Medicina.

"Caso venha muito diferente do que era antes é um absurdo, porque os alunos estão acostumados com um certo modelo de prova e eu acho que a prova tem um cunho de conscientizar também, o Enem tem esse viés, e talvez se ela não venha (desta forma), eu acho meio preocupante", argumentou Letícia.

O que é obrigatório levar?

Diante da pandemia da covid-19, é obrigatório o uso de máscara nos locais de aplicação do exame. É obrigatório levar documento de identificação original, com foto. Não são aceitos documentos digitais. Também é obrigatório o uso de caneta esferográfica de tinta preta fabricada em material transparente. É recomendado ainda que se leve o Cartão de Confirmação da Inscrição.

Qual o tema da redação do Enem?

Claro que essa pergunta não pode ser respondida antes do início das provas, mas há alguns indícios e dicas de professores especializados. Conhecer as provas de redação anteriores pode ajudar os candidatos, segundo o coordenador de Integração Pedagógica do SAS Plataforma de Educação, Vinicius Beltrão. "Os temas de redação geralmente são cíclicos. Ou vão trazer questões de inclusão ou questões sobre cidadania e ética. Podem falar de comportamento, de sociedade da informação, esses temas macros sempre são previstos pensando numa realidade brasileira".

Quantas linhas tem a redação do Enem?

No mínimo sete linhas manuscritas, qualquer que seja o conteúdo, e de dez linhas escritas no sistema Braille. O máximo é de 30 linhas.

Questões do Enem

Para testar os conhecimentos, os estudantes podem acessar gratuitamente o Questões Enem, um banco que reúne as questões do Enem de 2009 a 2020. No sistema, é possível escolher quais áreas do conhecimento se quer estudar. O banco seleciona as questões de maneira aleatória.

Qual o horário do Enem 2021?

No primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021, este domingo (21), os candidatos farão, além das provas objetivas de linguagens e ciências humanas, a única prova subjetiva da avaliação, a redação.

Os portões abrem às 12h e fecham às 13h. Não é permitido entrar após o fechamento dos portões. As provas começam a ser aplicadas às 13h30 e terminam às 19h. O horário é o de Brasília. No próximo domingo (28), os participantes fazem as provas de matemática e ciências da natureza.

Comentários

Últimas notícias