COLUNA ENEM E EDUCAÇÃO

Enem 2022: o que o estudante deve priorizar para fazer boas provas

Faltam exatamente seis meses para as primeiras provas, em 13 de novembro: redação, linguagens e ciências humanas. As inscrições para o Enem estão abertas até 21 de maio

Margarida Azevedo
Cadastrado por
Margarida Azevedo
Publicado em 13/05/2022 às 16:44 | Atualizado em 15/05/2022 às 16:16
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Enem tem cinco provas, aplicadas em dois domingos, 13 e 20 de novembro - FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

Faltam exatamente seis meses, a partir desta sexta-feira (13) para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Em 13 de novembro os candidatos farão as primeiras provas: redação, ciências humanas e linguagens. Na semana seguinte, em 20 de novembro, serão aplicadas as outras duas provas que compõem a avaliação: matemática e ciências da natureza.

As inscrições para o Enem seguem abertas até o próximo dia 21 de maio. A taxa de R$ 85 pode ser paga até 27 de maio. Qualquer pessoa pode fazer o Enem. Mas o modelo digital só é liberado para quem está no último ano do ensino médio ou já concluiu essa etapa da educação básica.

ENSINO SUPERIOR

O Enem é porta de entrada para mais de 120 universidades públicas do Brasil que usam as notas do exame para selecionar os alunos de graduação, por meio do Sistema de Seleção Unificada. Todas as cinco universidades públicas de Pernambuco participam do Sisu: UFPE, UFRPE, Univasf, UFAPE e UPE.

É com a nota do Enem também que os estudantes podem pleitear bolsas em faculdades privadas, por meio do Programa Universidade para Todos (Prouni), ou financiamento estudantil por meio do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), do governo federal.

EMOCIONAL

Portanto, tirar uma boa nota nas cinco provas do Enem é o caminho para ingressar no ensino superior. Montar um horário de estudos é uma boa dica. Lembrando de intercalar com pequenas pausas para não sobrecarregar. E deixar um horário para a prática de alguma atividade física.

Outra dica é não descuidar do lado emocional. A psicóloga e psicanalista Beatriz Breves ressalta a importância de trabalhar o emocional para aumentar a confiança e diminuir o estresse tão comum nessa etapa da vida dos estudantes.

"Quando chega perto de um momento importante como vestibular ou o Enem, por exemplo, muitos jovens não sabem lidar com o que sentem, gerando mais conflitos e angústias, ao invés de concentração. O estudante mais confiante é aquele que fala dos sentimentos", afirma Breves.

REDAÇÃO

Única prova subjetiva do Enem, a redação é temida por muitos candidatos. Mas com seis meses pela frente antes de encarar a prova, dá tempo de se preparar para fazer uma boa dissertação. Duas sugestões até lá: muito treino, ou seja, escrever bastante textos, e manter-se bem informado sobre o que acontece no País e no mundo.

A professora Fernanda Bérgamo recomenda aos candidatos saberem quais competências são exigidas no Enem. Na correção, os avaliadores observam cinco competências. O Inep, órgão do MEC responsável pelo Enem, disponibiliza um guia da redação detalhando cada competência e também os textos que alcançaram nota mil.

No ano passado, o tema da prova de redação do Enem foi "Invisibilidade e registro civil: garantia de acesso à cidadania no Brasil". Já na reaplicação do exame teve como tema "Reconhecimento da contribuição das mulheres nas ciências da saúde no Brasil".

Fernanda aconselha ainda que o vestibulando redija pelo menos um texto por semana, sempre no gênero dissertativo-argumentativo. Para aqueles que já saíram da escola e estão se preparando sozinhos, vale mostrar a redação para um parente ou amigo.

A professora sugere ainda que a escrita da redação dure até uma hora e meia, sem interrupção. E que o foco seja atingir 30 linhas, o número máximo aceito no Enem.

SISU

Quem pretende se increver no Sisu, é fundamental ficar atento aos pesos e notas mínimas exigidas pelas universidades para cada curso. Essas informações são importantes para que o estudante invista mais naquelas disciplinas do Enem que farão a diferença no seu resultado final.

Para participar do Sisu - normalmente as inscrições são abertas no início do e no meio do ano, ou seja, há duas edições - é preciso ter feito o Enem e não zerar a redação.

No Enem, a prova de ciências humanas é composta por conteúdos de história, geografia, filosofia e sociologia. O teste de ciências da natureza tem assuntos de física, química e biologia.

Já a avaliação de linguagens aborda questões de português, língua estrangeira (inglês ou espanhol), literatura, artes e educação Física. A única disciplina que aparece sozinha numa prova é matemática.

PESOS E PONTO DE CORTE

Em Pernambuco, a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), cada graduação do Sisu tem definido a nota mínima que o estudante precisa tirar em cada prova do Enem e também os pesos que são aplicados em cada teste.

Na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) não há notas mínimas. A instituição somente aplica pesos.

Diferentemente da UFPE e UFRPE, a Universidade de Pernambuco (UPE) não define pesos, o que quer dizer, na prática, que todas as provas do Enem têm a mesma importância para todos os candidatos, independentemente do curso que eles optarem.

A UPE define apenas nota mínima: é preciso tirar pelo menos 400 na redação e 350 pontos em cada uma das quatro provas objetivas do Enem (linguagem, ciências humanas, ciências da natureza e matemática). Quem tirar abaixo disso leva ponto de corte.

Comentários

Últimas notícias