SISTEMA BRT

Novas estações do BRT na Avenida Conde da Boa Vista já têm sinais de abandono

Vazamentos do ar-condicionado e problemas nos trilhos já estão dando um ar de degradação aos equipamentos inaugurados há oito e seis meses, respectivamente, no corredor de transporte recém-requalificado

Roberta Soares
Roberta Soares
Publicado em 27/01/2021 às 13:54
Notícia
YACI RIBEIRO/JC IMAGEM
ÁGUA Estações no Centro do Recife estão com problemas de vazamento - FOTO: YACI RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

O BRT pernambucano, de fato, não tem sorte. Incompleto e sem a prioridade viária devida desde o primeiro dia de operação, seis anos atrás, sofre até hoje. Teve 25 das 46 estações literalmente depenadas por duas vezes e segue operando parcialmente desde o início da pandemia. Agora, são as duas novas estações que entraram em operação há menos de um ano na recém modernizada Avenida Conde da Boa Vista, Centro do Recife, que começaram a apresentar problemas que não só comprometem a operação, mas também a imagem já tão sofrida do BRT pernambucano.

CONFIRA O ESPECIAL MULTIMÍDIA BRT - E AGORA?

CONFIRA A SÉRIE DE REPORTAGENS A NOVA CONDE DA BOA VISTA

 

“É um absurdo ver essa situação num equipamento tão novo. Foi tanto dinheiro investido para já estar assim”,
criticou o passageiro Edvânio Marques


YACI RIBEIRO/JC IMAGEM
Edvânio Marques, passageiro - YACI RIBEIRO/JC IMAGEM

A Estação Soledade, a mais recente a entrar em operação, já tem diversos vazamentos dos equipamentos de ar-condicionado e portas desativadas. Nesta quarta-feira (27), estava tomada pela água. Parecia que chovia no interior da unidade. Os passageiros que usam os equipamentos, como é de se esperar, reclamaram. “É um absurdo ver essa situação num equipamento tão novo. Foi tanto dinheiro investido para já estar assim”, criticou o passageiro Edvânio Marques.

Na Estação Hospício, a primeira a ser inaugurada, em maio de 2020, o mesmo problema. Vazamento nos equipamentos de ar-condicionado e muita reclamação. “A gente pensava que, com essas novas estações, o BRT ia ser outra coisa. Mas pelo jeito não vai mudar muito”, afirmou a aposentada Dalvarina Fonseca.

YACI RIBEIRO/JC IMAGEM
Improviso já marca os novos equipamentos - YACI RIBEIRO/JC IMAGEM
YACI RIBEIRO/JC IMAGEM
Sinais de abandono já podem ser vistos nos equipamentos, inaugurados há menos de um ano - YACI RIBEIRO/JC IMAGEM
GENIVAL PAPARAZZI
Os velhos tapumes voltaram a fazer parte do cenários dos novos equipamentos - GENIVAL PAPARAZZI
YACI RIBEIRO/JC IMAGEM
Estação Soledade - também tomada pela água - YACI RIBEIRO/JC IMAGEM
YACI RIBEIRO/JC IMAGEM
Novas estações do BRT da Avenida Conde da Boa Vista já apresentam sinais de abandono - YACI RIBEIRO/JC IMAGEM
YACI RIBEIRO/JC IMAGEM
Estação de BRT Hospício - tomada pela água do vazamento do ar-condicionado - YACI RIBEIRO/JC IMAGEM

Inicialmente, acreditava-se que tinha sido mais um ato de vandalismo praticado contra o BRT, mas o Grande Recife Consórcio de Transporte Metropolitano (CTM), gestor do transporte público da RMR, explicou que as portas estão danificadas porque houve um problema no trilho que faz a porta correr quando os veículos BRTs se aproximam para o embarque e desembarque dos passageiros. E que, como as estações são novas, o conserto está incluso na garantia da obra. O mesmo acontece com os vazamentos. O CTM informou, ainda, que irá entrar em contato com a Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb), responsável por toda a obra de requalificação da Conde da Boa Vista e também pela construção das estações, para que ela solicite os reparos à construtora.

A gente pensava que, com essas novas estações, o BRT ia ser outra coisa. Mas pelo jeito não vai mudar muito”,
afirmou a aposentada Dalvarina Fonseca

YACI RIBEIRO/JC IMAGEM
Dalvanira Fonseca, passageira - YACI RIBEIRO/JC IMAGEM

Vale lembrar que as estações custaram mais de R$ 10 milhões e entraram em operação em oito meses (Hospício) e seis meses (Soledade), dentro do projeto de requalificação da Avenida Conde da Boa Vista. Além disso, as duas unidades que integram o Corredor de BRT Leste-Oeste, quando liberadas para a população, representaram um resgate do conceito original que o BRT deveria ter em Pernambuco e em algumas cidades do País que o adotaram, como o Rio de Janeiro: diferenciado, com mais qualidade, beleza e conforto.

 

YACI RIBEIRO/JC IMAGEM
Dessa vez não foi vandalismo. CTM explicou que houve problemas no trilho das portas, já isoladas com tapumes - YACI RIBEIRO/JC IMAGEM

As duas estações - pelo menos por enquanto - voltaram a ter bloqueios no padrão original do projeto. Mais refinados e bem diferente das catracas-monstro que foram substituindo o equipamento ao longo dos anos no Grande Recife. Um bloqueio que, é importante dizer sempre, não só enfeia como constrange o passageiro honesto e pagante do sistema, adotado devido à evasão e invasão das estações do BRT.

* Matéria atualizada às 16h do dia 28/01

GENIVAL PAPARAZZI
Os velhos tapumes voltaram a fazer parte do cenários dos novos equipamentos - GENIVAL PAPARAZZI

Comentários

Últimas notícias