TRANSPORTE PÚBLICO

Reforma das estações do BRT avança na Região Metropolitana do Recife

Oito das 25 estações do BRT Via Livre que foram vandalizadas durante a pandemia tiveram a reforma concluída esta semana e parte delas já voltou a operar

Roberta Soares
Roberta Soares
Publicado em 27/11/2020 às 11:18
Notícia
BRENDA ALCÂNTARA/JC IMAGEM
As estações já reformadas são: Abolição, Benfica e Guararapes (do Leste-Oeste), Nossa Senhora do Carmo, 13 de Maio, IEP, Riachuelo e Istmo do Recife (do Norte-Sul) - FOTO: BRENDA ALCÂNTARA/JC IMAGEM
Leitura:

Oito das 25 estações do Sistema BRT da Região Metropolitana do Recife que foram vandalizadas durante a pandemia tiveram a reforma concluída esta semana pelo Grande Recife Consórcio de Transporte Metropolitano (CTM) e parte delas já voltou a operar. Pelo menos as três que integram o Leste-Oeste, corredor que liga o Recife ao município de Camaragibe, na área Oeste da RMR. As cinco restantes, embora prontas, aguardam readaptações operacionais do Corredor Norte-Sul, que liga a capital a Igarassu, no Norte da RMR e o mais destruído pelos vândalos.

Confira o especial multimídia BRT - E AGORA?

As estações já reformadas são: Abolição, Benfica e Guararapes (do Leste-Oeste), Nossa Senhora do Carmo, 13 de Maio, IEP, Riachuelo e Istmo do Recife (do Norte-Sul). Segundo o coordenador de Engenharia e Manutenção do CTM, Paulo Beltrão, a reforma das 17 unidades restantes segue o cronograma previsto e devem ser entregues até o dia 15/12. Os equipamentos, entretanto, estão apenas passando por uma recuperação básica para voltarem a funcionar. Uma ampla reforma, que inclui a alteração do modelo original, com a substituição da cobertura e a mudança do tipo de piso - que eram de alumínio e, por isso, alvo de vândalos -, será realizada em outra etapa.

BRENDA ALCÂNTARA/JC IMAGEM
Uma ampla reforma, que inclui a alteração do modelo original, com a substituição da cobertura e a mudança do tipo de piso - que eram de alumínio e, por isso, alvo de vândalos -, será realizada em outra etapa - BRENDA ALCÂNTARA/JC IMAGEM

“Como já dissemos, essa reforma é um trabalho rápido, que tem como objetivo permitir a reabertura das estações em breve. Posteriormente, no pacote de ações de requalificação que estamos licitando, é que iremos alterar o modelo das estações como já fizemos em algumas delas. Substituiremos o modelo das cobertas e o tipo do piso, por exemplo”, explica Paulo Beltrão. A reforma de 25 das 46 estações do Sistema BRT é um investimento de R$ 1,2 milhão. Os equipamentos foram praticamente destruídos internamente entre junho e julho, apesar de estarem sob proteção da Polícia Militar de Pernambuco, via convênio firmado com a Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado (Seduh). Mas agora o Estado garante que o convênio está sendo monitorado de perto e que não haverá mais vandalismo.

Segundo Paulo Beltrão, o CTM conseguiu recursos para viabilizar a recuperação das sete estações do Corredor Norte-Sul que estão parcialmente destruídas e não foram incluídas no primeiro pacote de reforma. “São mais R$ 342 mil para recuperar as estações Quartel, Sítio Histórico, São Francisco de Assis, Tabajara, Aloísio Magalhães, Complexo de Salgadinho e Abreu e Lima. Devemos iniciá-lo no dia 30/11, com prazo de 15 dias para conclusão”, explica o coordenador.

BRENDA ALCÂNTARA/JC IMAGEM
A reforma das 17 unidades restantes segue o cronograma previsto e devem ser entregues até o dia 15/12. Na foto, a estação 13 de Maio do Corredor Norte-Sul - BRENDA ALCÂNTARA/JC IMAGEM

MAIS REQUALIFICAÇÃO
Além da recuperação das estações vandalizadas, o CTM também vai investir R$ 5,3 milhões na requalificação de 20 estações do Sistema BRT e R$ 2,2 milhões na manutenção de 13 terminais integrados de ônibus. As estações serão adequadas ao modelo adotado em 2019 nas unidades Istmo do Recife e Tacaruna - esta última destruída na sequência, durante a pandemia.

No lugar do piso em alumínio, o projeto prevê a substituição por um pavimento em concreto, eliminando os furtos do material. As coberturas também mudam para evitar a destruição por veículos altos que trafegam próximo às unidades porque em alguns trechos não há corredor segregado para os BRTs. Além dessas duas principais mudanças no piso e no estilo da coberta, as intervenções incluem a reposição de corrimão, pintura, sinalização, troca de cerâmica e serviços na rede elétrica. A licitação está em andamento.

BRENDA ALCÂNTARA/JC IMAGEM
O CTM conseguiu recursos para viabilizar a recuperação das sete estações do Corredor Norte-Sul que estão parcialmente destruídas e não foram incluídas no primeiro pacote de reforma: Quartel, Sítio Histórico, São Francisco de Assis, Tabajara, Aloísio Magalhães, Complexo Salgadinho e Abreu e Lima - BRENDA ALCÂNTARA/JC IMAGEM


Estações beneficiadas no Norte/Sul:
Araripina
Nossa Senhora do Carmo
Tacaruna
Treze de Maio
IEP
Riachuelo
Maurício de Nassau
Istmo do Recife
Forte do Brum
Santa Casa de Misericórdia
Praça da República
Kennedy
Mathias de Albuquerque
Bultrins
Jupirá
São Salvador do Mundo
Hospital Central
José de Alencar
Cruz de Rebouças

E, agora, também as estações:
Quartel
Sítio Histórico
São Francisco de Assis
Tabajara
Aloísio Magalhães
Complexo de Salgadinho
Abreu e Lima

 

BRENDA ALCÂNTARA/JC IMAGEM
Estação Nossa Senhora do Carmo, do Corredor Norte-Sul, foi uma das mais destruídas pelos vândalos durante a pandemia. Já está liberada para operar - BRENDA ALCÂNTARA/JC IMAGEM

 
Estações beneficiadas no Corredor Leste-Oeste:
Guararapes
Abolição
Benfica
Forte do Arraial
Engenho Poeta
Barreiras

 

Comentários

Últimas notícias