COLUNA MOBILIDADE

Risco de novas tragédias e abandono ao longo dos muros do Metrô do Recife

A reportagem do JC e da TV Jornal percorreu alguns trechos do isolamento e constatou uma situação antiga e preocupante

Roberta Soares
Roberta Soares
Publicado em 22/10/2021 às 16:21
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
As ferragens estão expostas e muitas placas de concreto correm o risco de desabar em diversos pontos - FOTO: BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Leitura:

Atualizada às 19h42

A frase dita por uma mulher que reside às margens do muro do Metrô do Recife, em Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife, resume essa reportagem: “Todos nós estamos em risco”, afirmou, sem se identificar. O que ela quis dizer é que, a qualquer momento, outras partes do muro que isola o sistema metroferroviário no Recife, Jaboatão dos Guararapes e Camaragibe podem desabar e ferir as pessoas como aconteceu com uma criança de oito anos, atingida gravemente quando brincava numa festa infantil na Comunidade do Coque, na Ilha Joana Bezerra, área central da capital.

Queda de muro sobre criança e a triste história do Metrô do Recife

Confira a série de reportagens Metrôs - Uma conta que não fecha

BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Problemas mostram falta de manutenção e risco de novos acidentes em muro do Metrô do Recife - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM

A reportagem do JC e da TV Jornal percorreu alguns trechos do isolamento e constatou uma situação de abandono antiga e preocupante. Que confirma o medo da moradora citada no início da reportagem. As condições do muro nas imediações da Estação Engenho Velho, em Jaboatão dos Guararapes, é assustadora. É visível o comprometimento da estrutura. As ferragens estão expostas e muitas placas de concreto correm o risco de desabar. O desnível de de uma estrutura para outra é visível.

Parte do muro está acorrentada e, segundo os moradores, a iniciativa foi da própria Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), gestora e operadora do Metrô do Recife, exatamente para evitar que a estrutura desmorone. O medo da população é porque o sistema metroferroviário corre em paralelo a muitas residências e trechos de ruas utilizados por crianças, idosos e mulheres.

Além do risco iminente de desabamento, há outros problemas às margens do muro que isola o metrô da cidade, como o mato alto, a sujeira e a falta de iluminação, que contribuem para a insegurança local. Principalmente para os passageiros que precisam chegar às estações.

 

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Problemas mostram falta de manutenção e risco de novos acidentes em muro do Metrô do Recife. - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Outros trechos no mesmo lugar mostram que é preciso manutenção para evitar novos incidentes - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Problemas mostram falta de manutenção e risco de novos acidentes em muro do Metrô do Recife - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Problemas mostram falta de manutenção e risco de novos acidentes em muro do Metrô do Recife - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM

 

Os problemas acontecem em vários pontos ao longo da rede elétrica do sistema metroferroviário metropolitano - cerca de 50 km na Linha Centro e Linha Sul. O trecho entre Cajueiro Seco e Cabo de Santo Agostinho, mesmo feito por um VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), é a diesel, o que reduz o perigo em comparação à operação elétrica.

Em Camaragibe, por exemplo, o morador Jonas Feliciano foi mais um a demonstrar medo de tragédias semelhantes à vivida pela criança no Coque. “É visível a necessidade urgente de manutenção dessas estruturas. São muitos pontos em que você percebe o muro torto, já demonstrando que vai cair, com a ferragem exposta. E nada é feito. Não vemos uma manutenção sequer”, denunciou.

 

BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
morador Jonas Feliciano foi mais um a demonstrar medo de tragédias semelhantes à vivida pela criança no Coque - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM


Estado de saúde

A criança atingida por uma placa de concreto do Metrô do Recife segue internada em estado grave na UTI pediátrica do Hospital da Restauração, no Derby, área central da capital. Respirava sem ajuda de aparelhos nesta sexta-feira (22/10), após concluir o procedimento para extubação. Ela sofreu politraumatismo e precisou passar por cirurgia
na bacia. Ainda não há previsão, sequer, para transferência da UTI para a enfermaria pediátrica.

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
O abandono de todo o isolamento da rede férrea não é novidade para o metrô, mas o episódio com a criança comprova que ele chegou ao limite do descaso - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Problemas mostram falta de manutenção e risco de novos acidentes em muro do Metrô do Recife. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Problemas mostram falta de manutenção e risco de novos acidentes em muro do Metrô do Recife. - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Problemas mostram falta de manutenção e risco de novos acidentes em muro do Metrô do Recife - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM

Resposta da CBTU

Dois dias depois da queda do muro sobre a criança, a CBTU no Recife se posicionou sobre o episódio. Por nota enviada às redações, informou que a superintendência do sistema esteve reunida com familiares da vítima, que dará todo o apoio necessário às demandas dos familiares e que criou um comitê para acompanhar o caso e fazer um canal de comunicação entre a Companhia e a comunidade. Nesta sexta-feira (22), em nova nota, a CBTU informou que determinou a inspeção total dos muros de vedação da linha do metrô. Segundo a companhia, o levantamento está em andamento e será apresentado assim que concluído.

Leia a íntegra

Em resposta aos questionamentos feitos, a CBTU esclarece que, em virtude do triste acidente ocorrido, determinou a inspeção total sobre os 71km de muros de vedação da linha do metrô. O levantamento está em andamento e será apresentado assim que concluído. É importante ressaltar que não há histórico de quedas de muros ou acidentes desta natureza no sistema da CBTU.

Informamos ainda a Companhia atende periodicamente as solicitações, realizando ações corretivas nos pontos cujo o risco é identificado. Em 2021, foram registradas 41 solicitações neste sentido e vistoriadas, sendo atendidas de imediato pelo grau de urgência e com outras programadas.

A grande maioria das ocorrências registradas nos últimos anos, teve como causa intervenções irregulares, como por exemplo: perfuração para travessia irregular sobre a via, queima de lixo próximo à estrutura dos muros, construções irregulares, dentre outras. Por isso, pedimos também colaboração para a população na preservação dos muros, para a própria segurança de moradores e usuários. Iremos realizar campanhas educativas e preventivas alertando sobre o problema.

É sabido que o orçamento de custeio da Companhia é menor do que a necessidade existente, motivo esse que se faz necessário agir sobre demandas, mas sempre prezando pela segurança e confiabilidade do sistema. No entanto, os recursos existentes para manutenção e operação tornam-se insuficientes para um amplo aprimoramento do serviço prestado à população.

Ao longo dos anos, a CBTU foi prejudicada por politicas tarifárias que afetaram diretamente sua receita e a consequente conservação do Metrô do Recife. Seja por políticas de anos de congelamento tarifário ou pelo não repasse dos valores referentes a tarifa integrada com os ônibus, devidos desde 2012 pelo Consórcio de Transporte da Região Metropolitana do Recife, o alto déficit operacional gerado comprometeu a prestação de serviços no decorrer dos anos.

Tal valor da dívida, hoje, alcança a casa dos R$ 98,6 milhões de reais, o que muito ajudaria para a preservação dos aparelhos da CBTU oferecidos aos pernambucanos, quando se trata de um empresa que carece de recursos desta ordem.

A gestão da Companhia segue realizando todos os esforços para o fortalecimento institucional da empresa, o crescimento das receitas operacionais e extraoperacionais, e assim um metrô cada vez mais seguro e eficiente para todos os seus passageiros.

Mesmo diante de todas a dificuldades a CBTU vem realizando ações de melhorias no sistema, como a duplicação da linha diesel do VLT, parcerias com órgãos de segurança, ações para reduzir a evasão de receitas, e assim seguiremos em nosso compromisso de atender a população.

 

Comentários

Últimas notícias