SEGURANÇA

'Não adianta só a polícia prender muita gente', diz socióloga sobre violência em Pernambuco

Assassinatos e roubos voltaram a crescer no mês de agosto no Estado, segundo a SDS

Raphael Guerra
Raphael Guerra
Publicado em 16/09/2021 às 6:30
Notícia
WALDSON BALBINO/TV JORNAL
ESTATÍSTICA No mês de agosto, segundo a SDS, Pernambuco somou 286 mortes violentas. Foram 23 vítimas a mais que no mesmo período de 2020 - FOTO: WALDSON BALBINO/TV JORNAL
Leitura:

Os índices de violência voltaram a preocupar. Apesar de acumular neste ano uma redução de 12,6% nos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), que englobam os homicídios e latrocínios, Pernambuco acendeu o sinal de alerta. No último mês de agosto, 286 pessoas foram assassinadas. No mesmo período do ano passado, foram 263. Os roubos e furtos também apresentam tendência de alta no Estado.

Por meio de nota, o secretário de Defesa Social (SDS), Humberto Freire, comentou o aumento das mortes violentas em agosto. "Tivemos um aumento de 8,7% no mês, mas, em razão de 7 meses consecutivos de retração dos CVLIs ao longo do ano, verificamos uma redução percentual importante no acumulado, acima da meta do Pacto pela Vida", disse. No total, 2.227 pessoas foram mortas nos primeiros oito meses do ano. Já no mesmo período de 2020, foram 2.548 vítimas.

"Sabemos que temos muito a fazer para aprimorar o trabalho da segurança pública. Por isso, colocamos em prática, neste mês de setembro, novas estratégias. Foi antecipada a Operação Verão 2021 da PMPE (Polícia Militar), com reforço de 2.500 postos de trabalho", informou Freire.

O reforço a que o gestor estadual se refere é de aumento do número de plantões extras dos policiais militares para trazer mais segurança às ruas.

Para a socióloga e coordenadora do Gabinete de Assessoria Jurídica às Organizações Populares (Gajop), Edna Jatobá, o crescimento das mortes violentas no Estado não surpreende. "A gente já vem problematizando essa comemoração prévia que se faz da queda dos Crimes Violentos Letais Intencionais em Pernambuco ao longo desse ano. A gente reconhece que teve redução, mas a gente teme que, se não conduzida de maneira correta, se não focada em investimentos a médio e longo prazo, ela (a redução) se perca no tempo, como já aconteceu em outros cenários", afirmou.

"Houve reduções em anos anteriores, mas o Estado esqueceu de dar atenção a programas de prevenção, esqueceu de dar atenção ao sistema prisional. E aí os números voltaram a crescer de forma desenfreada, como ocorreu em 2017. É preciso pensar em medidas que garantam a que a redução seja progressiva e contínua, com investimentos em lazer, cultura, investimentos na educação, em novos postos de trabalho. Não adianta só a polícia estar nas ruas e prender muita gente", completou Edna Jatobá.

CAPITAL

O Recife permanece com alta nos números de homicídios. Nos oito meses primeiros de 2020, foram 368 vítimas. Já neste ano, 383 mortes, ou seja, 15 a mais. O percentual é de 4% a mais.

Um dos crimes de repercussão registrados em agosto foi o da empresária Ana Victória Cavalcanti, de 29 anos, vítima de feminicídio, no bairro de Boa Viagem, Zona Sul do Recife, na madrugada do dia 7 daquele mês.

O inquérito da Polícia Civil concluiu que o namorado dela, o representante comercial Murilo Gomes, 34, foi o autor do crime, que ocorreu no apartamento dele enquanto a vítima dormia. Depois de assassiná-la, ele incendiou o local e acabou morto também. Familiares relataram, à época, que o casal vivia uma relação conturbada.

Em agosto de 2021, segundo a SDS, cinco mulheres foram vítimas de feminicídio em Pernambuco. É o mesmo quantitativo registrado no oitavo mês de 2020.

ROUBOS

Os Crimes Violentos Patrimoniais (CVPs), que englobam os roubos e furtos, cresceram no mês de agosto em Pernambuco. Em 2020, agosto teve 4.085 ocorrências. Já em 2021, foram 4.321 registros de crimes de roubo e furto.

Vale destacar que, nos últimos meses, graças à flexibilização nos horários das atividades econômicas, o número de pessoas nas ruas cresceu.

No final do mês de agosto, um assalto, que quase terminou em morte, ganhou repercussão. Um turista carioca foi atingido por facadas durante uma abordagem bem perto do hotel onde estava hospedado, bairro de Boa Viagem. Ele teve o celular levado. Ferida, a vítima foi encaminhada ao Hospital da Restauração, onde recebeu atendimento e, logo depois, alta.

Na capital pernambucana, a curva de crescimento dos CVPs começou em abril. Naquele mês, 1.406 boletins de ocorrência foram registrados. No mesmo período do ano passado, foram 1.352.

 

Comentários

Últimas notícias