Imunização

Pernambuco autoriza vacinação contra covid-19 de pessoas a partir dos 50 anos

Com a nova deliberação, as cidades estão autorizadas a avançar de forma progressiva, de acordo com a realidade de cada município, a imunização do público de 50 a 59 anos

Adriana Guarda Giovanna Torreão
Adriana Guarda
Giovanna Torreão
Publicado em 31/05/2021 às 18:19
Notícia
TÂNIA RÊGO/AGÊNCIA BRASIL
IMUNIZAÇÃO Apenas 0,3% das vacinas foram aplicadas nos 29 países mais pobres do mundo até agora - FOTO: TÂNIA RÊGO/AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

O Governo de Pernambuco autorizou, nesta segunda-feira (31), a ampliação da vacinação contra a Covid-19 de todas as pessoas com 50 anos ou mais no Estado, independente de comorbidade ou categoria profissional. De acordo com a gestão, a decisão foi tomada nesta tarde em reunião extraordinária da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) e pactuada com os secretários municipais de Saúde. Agora, as cidades estão autorizadas a avançar de forma progressiva, de acordo com a realidade de cada município, a imunização do público de 50 a 59 anos.

“Precisamos dar velocidade ao processo vacinal no Estado por meio do critério de faixa etária. Por isso, decidimos ampliar a imunização das pessoas a partir dos 50 anos. Cada município deve definir a estratégia de operacionalização de acordo com disponibilidade de vacinas enviadas pelo Ministério da Saúde. Ao balizar essa faixa de idade, estaremos contemplando também grande parte das pessoas com comorbidades, sem a necessidade de atestado, dando celeridade ao processo de imunização”, explicou o governador Paulo Câmara.

A decisão também levou em conta as análises epidemiológicas, que apontam que a faixa etária entre 50 e 59 anos registra, atualmente, o maior número de pessoas internadas em leitos de UTI. O quantitativo representa 25% do total de internados em leitos de terapia intensiva na rede pública, além de responderem por 20% do total de óbitos.

Os gestores municipais também foram orientados sobre a importância de organizar a logística para avanço da imunização em seus territórios. Para a nova faixa etária, a recomendação da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) é que sejam utilizadas apenas as vacinas recebidas para a 1ª dose. As segundas doses devem continuar sendo administrados para o término do esquema vacinal.

“Estamos deflagrando uma série de medidas para conter o avanço da pandemia em Pernambuco, como a ampliação do número de leitos, a distribuição de concentradores de oxigênio, a montagem da Central Emergencial de Oxigênio e as inúmeras restrições no Plano de Convivência, e as estratégias de vacinação também são essenciais. Continuaremos monitorando os indicadores e certamente faremos uma nova avaliação nos próximos dias para analisar o resultado da ampliação da vacina por faixa etária”, reforçou o secretário de Saúde, André Longo.

Em pronunciamento, o secretário André Longo revelou que foi realizada uma reunião com os secretários municipais de saúde para pactuação de avanços na campanha de vacinação em Pernambuco. "Nós definimos que os municípios podem avançar de forma progressiva com as faixas etárias de forma decrescente até chegar aos 50 anos de idade. Esse processo se dará de acordo com a capacidade de operacionalização de cada município que deverá fazer o agendamento progressivo por faixa etária a depender de sua capacidade instalada. A depender de sua disponibilidade de vacinas", disse o secretário. 

Ele destacou, ainda, a importância de poder avançar para faixas etárias menores. "Isso é importante, especialmente, em um contexto onde a velocidade da vacinação de pessoas com comorbidades e com deficiência têm sido lenta, e toda vez que nós avançamos para faixas etárias menores, como 58,57,56, nós também estamos vacinando pessoas que têm comorbidade. Preciso Lembrar que nós temos dito que hoje, 25% das pessoas que estão nas nossas UTIs estão na faixa etária entre 50-59 anos, o que revela a importância de vacinar de forma célere essas pessoas nessa faixa etária", afirmou André Longo.

Leitos públicos de UTI

Atualmente, Pernambuco tem quase 3 mil leitos dedicados a pacientes com quadros respiratórios graves, com suspeita ou confirmação da infecção pelo novo coronavírus. Desse total, 1.715 são de terapia intensiva (UTI), com 98% de taxa de ocupação, e outros 1.241 são de enfermaria - 83% permanecem com pacientes. Com a reaceleração da pandemia neste mês, o Estado anunciou abertura de mais vagas de UTI, especialmente nos municípios de Caruaru, Bezerros e Garanhuns, todos no Agreste, onde a escalada de casos tem sido mais intensa. Contudo, os novos leitos inaugurados não conseguem dar conta do incremento no número de doentes, o que retrata o estrangulamento da rede com a alta das internações.

Boletim

O Estado de Pernambuco confirmou, nesta segunda-feira (31), mais 1.087 casos do novo coronavírus, sendo 92 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 995 casos leves. De acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), o número de infectados chegou a 482.157. Desses, 44.795 foram graves enquanto 437.362 casos foram leves. Além disso, também foram confirmados laboratorialmente 55 novos óbitos, ocorridos entre 25 de maio de 2020 e 30 de maio de 2021. Agora, o Estado de Pernambuco totaliza 15.862 mortes pela covid-19.

 

Comentários

Últimas notícias