pandemia

Em novo decreto, Bolsonaro inclui academias como serviço essencial

Presidente Jair Bolsonaro decretou que academias, salões de beleza e barbearias são serviços essenciais

Gabriela Máxima
Gabriela Máxima
Publicado em 11/05/2020 às 19:36
Notícia
EVARISTO SA/AFP
"Acho que não vai vingar esse projeto, não", disse Bolsonaro - FOTO: EVARISTO SA/AFP
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta segunda-feira novo decreto que inclui as academias de ginástica como serviço essencial durante a expansão da pandemia do novo coronavírus no Brasil. O anúncio foi publicado dois dias depois de Bolsonaro citar a saúde e questionar o fechamento das academias. Além dos estabelecimentos ligados aos exercícios físicos, o presidente incluiu no decreto salões de beleza e barbearias como essenciais à população.

>> Pernambuco endurece isolamento em cinco municípios; veja os locais e novas regras

O anúncio foi publicado no Diário Oficial no mesmo dia em que o Governo de Pernambuco endurece as medidas de isolamento social em cinco municípios do estado. A recomendação da Secretaria de Saúde é que a população permaneça com o distanciamento social. Nesta segunda-feira, Pernambuco confirmou 493 novos casos de covid-19 e 40 mortes nas últimas 24h. No total, o estado tem 13.768 pessoas infectadas e 1.087 óbitos.

Vale destacar que cada secretaria estadual e municipal definirá a reabertura dos estabelecimentos levando em consideração a situação dos municípios. Além disso, as academias devem respeitar o distanciamento social por evitar contaminação do novo coronavírus.

Atividades essenciais

Com a ampliação dos serviços essenciais, a lista conta com 57 atividades. No último dia 7, o presidente já tinha incluído o setor da construção civil e atividades industriais como essenciais, após reunião com empresários no Supremo Tribunal Federal (STF).

Neste domingo, 10, Bolsonaro tinha prometido ampliar o rol de atividades consideradas essenciais durante a pandemia. "Amanhã devo botar mais algumas profissões como essenciais. Vou abrir, já que eles não querem abrir, a gente vai abrindo aí", afirmou.

Comentários

Últimas notícias