coluna vida fit

Pesquisa revela que brasileiros desejam vida saudável, mas sentem dificuldades

84% dos brasileiros entrevistas disse que desejam ter um estilo de vida saudável, mas apenas 1/3 das pessoas consegue regularidade nas mudanças

Gabriela Máxima
Gabriela Máxima
Publicado em 03/08/2020 às 7:41
Notícia

YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
A pandemia vem mudando a forma de como as pessoas encaram o autocuidado - FOTO: YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

A prática de exercícios físicos e o consumo de alimentação saudável promovem saúde, longevidade e qualidade de vida. No entanto, hábitos com o corpo, higiene, evitar tabagismo e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas não estão na lista de atividades associadas ao autocuidado pela maioria da população brasileira. É o que afirma a pesquisa online do IBOPE, encomendada pela Bayer, que pretende entender o comportamento dos brasileiros e os impactos da pandemia da covid-19 nessas rotinas.

A pesquisa revelou que 84% dos entrevistados desejam mudar o estilo de vida, mas apenas 1/3 deles consegue pôr em prática os novos hábitos com regularidade. O brasileiro atualmente entende que o cuidado com o próprio corpo e saúde traz como principais benefícios o estímulo do sistema imunológico (31%), a diminuição da probabilidade de ficar doente (25%) e a promoção do bem-estar (21%).

Alimentação como autocuidado

O levantamento apontou que os brasileiros acreditam que alimentação saudável é a principal definição de autocuidado: 87% concordam que a saúde é resultado do que se come e 81% dos entrevistados gostariam de se alimentar melhor.

Outro dado surpreendente está relacionado à dor. Segundo a pesquisa, 3 a cada 4 participantes declararam sentir algum tipo de dor frequentemente, com dores nas costas e dor de cabeça figurando no topo da lista (38% e 31%, respectivamente). Entre as mulheres, a proporção é ainda maior, com a dor presente no cotidiano de 82% das respondentes. Como consequência, cerca de ¼ dos entrevistados toma algum analgésico, pelo menos, uma vez por semana.

Impactos da pandemia

O levantamento também mostrou o que mudou na rotina de autocuidado dos brasileiros devido ao cenário da pandemia de Covid-19. A população passou a se preocupar mais com a imunidade e com a higiene. Cerca de um quarto dos entrevistados afirmou que passou a se cuidar mais nesses aspectos, 14% iniciou a utilização de suplementos vitamínicos para reforçar o sistema imunológico e prevenir doenças, e 13% passou a utilizar mais produtos de higiene pessoal.

Em contrapartida, os dados mostram que a pandemia pode estar afetando outros hábitos de saúde negativamente: 25% dos entrevistados diminuíram a frequência ou pararam completamente de praticar atividades físicas nos últimos meses, o que reflete o impacto do isolamento social e do fechamento de parques e academias por todo o país. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias