Oleaginosa

Comer nozes pode aumentar a expectativa de vida; entenda a novidade

Pandemia reduziu expectativa de vida do brasileiro em quase dois anos

Marília Banholzer
Marília Banholzer
Publicado em 03/09/2021 às 7:30
Sergejs Rahunoks/Freepik
Nozes: Benefícios e como consumir a oleaginosa - FOTO: Sergejs Rahunoks/Freepik
Leitura:

Sim, o brasileiro está vivendo menos por causa da pandemia. Pesquisa de uma professora da Universidade Havard (EUA) estima que, em 2020, a perda foi de quase dois anos na expectativa de vida das pessoas que moram no Brasil. Uma outra pesquisa feita pela mesma instituição, porém, traz uma boa notícia: consumir nozes com regularidade pode resultar no aumento da expectativa de vida entre adultos de idade mais avançada.

O estudo sobre as nozes foi publicado no periódico científico Nutrients. Os pesquisadores analisaram dados de aproximadamente 93 mil pessoas de 63 anos, acompanhadas por duas décadas e monitoradas em relação aos seus hábitos e atividades físicas por elas praticadas.

O levantamento indicou que o consumo de cinco ou mais porções semanais de nozes (equivalentes a aproximadamente 28 gramas ou mais) está ligado a uma queda de 25% no risco de morte por doenças cardiovasculares. Coração agradece!

Em comparação com pessoas que não incluem nozes em suas dietas, aqueles que têm o costume de comê-las apresentaram, em média, expectativas de vida 1,3 ano maior. De acordo com a pesquisa, até mesmo indivíduos que não consomem nozes com muita frequência podem se beneficiar. O risco de morte registrado era 13% menor entre pessoas que comem o alimento de duas a quatro vezes por semana. Já para indivíduos com dietas pobres, a ingestão de meia porção diária culminou na queda do risco de morte. Partiu loja de grãos, hein?

Outros benefícios das nozes

Essas oleaginosas ajudam na saúde intestinal, na prevenção do câncer de próstata e câncer de mama, além de auxiliarem na prevenção das doenças cardiovasculares. Elas também beneficiam o processo de emagrecimento saudável e favorecem o ganho de massa muscular.

Uma das grandes vantagens desse alimento é a presença das fibras solúveis e do ácido-graxo ômega 3 e 6 em sua composição que ajudam a reduzir os níveis do colesterol ruim, o LDL, e aumentar o colesterol bom, HDL. O seu consumo em uma dieta saudável pode ajudar nesse equilíbrio, prevenindo as doenças cardiovasculares, auxiliando na produção dos glóbulos vermelhos, evitando o entupimento das artérias, favorecendo uma boa circulação sanguínea e beneficiando a saúde do coração.

Outro destaque para o ômega 3 se dá pelo seu combate ao estresse, ou seja, essa substância também é responsável por amenizar os efeitos do estresse no dia a dia, aliviando a fadiga e o cansaço, fornecendo energia para as atividades que são porpostas diariamente.

Redução da expectativa de vida

O cálculo do impacto da covid-19 na sobrevida da população foi feito por uma equipe de pesquisadores liderados pela demógrafa Márcia Castro, professora da Faculdade de Saúde Pública da Universidade Harvard. Após a descoberta do coronavírus, o brasileiro perdeu quase dois anos de expectativa de vida. Em média, bebês nascidos no Brasil em 2020 viverão 1,94 ano a menos do que se esperaria sem o quadro sanitário atual no País. Ou seja, 74,8 anos em vez dos 76,7 anos de vida anteriormente projetados.

Mas os dados podem ser na verdade piores do que essa estimativa. Por causa do número relativamente baixo de testagens, os pesquisadores acreditam que os números relacionados à covid-19 devem ser maiores. Com isso, contemplaram um cenário alternativo no qual contabilizaram o impacto na expectativa de vida brasileira a partir da soma de todas as mortes oficialmente registradas como covid-19 acrescidas de 90% daquelas identificadas como causadas por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), quadro comumente provocado pelo novo coronavírus. Nesse cenário, a redução na expectativa de vida no Brasil ultrapassaria os dois anos e meio.

Comentários

Últimas notícias