Cobrança por postura

Técnico do Náutico diz que não admitirá relaxamento do elenco com a covid-19

Hélio dos Anjos citou estudo da CBF, que indicou que a maior parte dos casos da doença nos times vem de fora para dentro, ou seja, de descuidos de atletas com saídas para ambientes com aglomerações

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 20/11/2020 às 8:01
Notícia

CAIO FALCÃO/NÁUTICO
Técnico conheceu elenco nessa quinta-feira (19) e comentou sobre a postura que quer na prevenção de novos casos - FOTO: CAIO FALCÃO/NÁUTICO
Leitura:

O Náutico vem sofrendo ao longo desde a volta do futebol, incluindo a Série B inteira, com os vários casos de covid-19 afetando o seu elenco. Até o momento, pelo menos seis atletas que atuavam com frequência no time titular já foram infectados pela covid-19 e desfalcaram a equipe na competição. O técnico Hélio dos Anjos lamentou que o Timbu tenha passado por isso, mas, por outro lado, também cobrou uma postura mais cuidadosa do elenco, devido às condições sanitárias fornecidas pelo clube. Segundo o próprio treinador, ele não irá aceitar “em hipótese alguma” uma postura descuidada em relação à doença.

 

“Em relação a pandemia a perder jogadores, tenho minha maneira de ver sobre isso. Já comecei a me apegar a isso e acredito que vamos tentar diminuir ao máximo. Que vai diminuir porque já tivemos vários infectados. Mas a questão do comportamento é problemática, tanto que no estudo da CBF eles colocaram uma coisa que é realidade. Os jogadores estão se infectando entre eles, internamente, dentro dos clubes. É você sair, visitar amigos, participar de aglomeração de 20, 30, 40 pessoas, em lugares fechados”, contou.

“Não posso admitir, em um momento como esse (de pressão por estar no Z4), e não termos um envolvimento maior de jogadores, membros de comissão técnica, em relação a pandemia, que não seja dessa forma. O clube aqui, pelo que senti, cria toda uma situação para diminuir esse risco, ele não pode vir de fora para dentro. Não vou aceitar isso em hipótese alguma”, acrescentou.

O momento ruim do Náutico no campeonato contou muito com os vários desfalques que a equipe teve no mês de outubro e primeiras semanas de novembro, boa parte deles pela covid-19. Isso fez com que o antigo treinador, Gilson Kleina, precisasse fazer várias mudanças no time, impedindo uma repetição maior de um time base para proporcionar um encaixe nessa equipe.

Além disso, os zagueiros Camutanga e Diego Silva, além dos atacantes Thiago (que já deixou o Timbu) e Kieza estiveram envolvidos em grandes aglomerações em festas particulares em meio à pandemia. Situação que foi bastante criticada pela torcida alvirrubra e fez com que os atletas fossem afastados da equipe por duas semanas, diminuindo as opções para escalar o time em uma fase complicada.

Comentários

Últimas notícias