Não pode vacilar

Santa Cruz quer transformar luto em motivação extra para vencer o Ituano-SP mais uma vez

O Tricolor do Arruda venceu o time rubro-negro no Interior de São Paulo e quer outra vitória para encaminhar acesso e homenagear duas pessoas

Robert Sarmento
Robert Sarmento
Publicado em 02/01/2021 às 17:30
Notícia

RAFAEL MELO/SANTA CRUZ
FORÇA Vitória suada em Itu revigorou o fôlego do Santa Cruz no quadrangular final da Série C - FOTO: RAFAEL MELO/SANTA CRUZ
Leitura:

O Santa Cruz faz a estreia no ano de 2021, neste domingo (03), contra o Ituano-SP. Desta vez, a partida acontece no Estádio do Arruda, às 18h, e é a primeira das três últimas decisões do tricolor no quadrangular final para conquistar o sonho de disputar a Série B na próxima temporada. Para a partida, além da confiança recuperada justamente na vitória diante do rubro-negro paulista na última partida, o elenco teve que lidar com o luto do técnico Marcelo Martelotte e do volante Tinga, que perderam a esposa e o pai, vítimas de câncer e da covid-19, respectivamente. A tristeza dos companheiros se tornaram ingredientes a mais na motivação dos jogadores, que pretendem conquistar os três pontos e prestar homenagens.

Leia mais

> Santa Cruz: "Tenho certeza que o gol vai sair na hora certa", diz Pipico

>'Vamos lutar até o último minuto para sair da Série C', diz dirigente do Santa Cruz

>Da permanência ao acesso: as missões dos técnicos do Trio de Ferro para o início de 2021

>Presidente do Santa Cruz quer a mesma postura do time nos próximos jogos: ''Cada jogo é uma decisão''

>Campeonatos em aberto, sem férias e sequência de jogos: o calendário do futebol brasileiro em 2021

‘’Vamos correr e brigar muito mais por eles. São duas pessoas que estão no nosso dia a dia e que merecem um carinho especial, neste momento’’, afirmou o lateral esquerdo Leonan. Já o titular da lateral direita do Santa Cruz contou que, se marcar um gol, vai homenagear os colegas de trabalho na comemoração. “Não sou muito de prometer, porque prefiro que meus companheiros façam. Ajudo com um passe, o que meus companheiros acharem e eu defendendo ali para não tomar gol. Mas caso apareça uma oportunidade como nas outras vezes apareceram, vai ter homenagem, sim”, disse Toty.

Depender das próprias forças

Em caso de vitória, o time pernambucano dará um grande passo rumo à classificação e dependerá apenas das próprias forças nos dois últimos jogos para conseguir uma das duas vagas do grupo que garantem a mudança de divisão no futebol nacional. As duas equipes estão empatadas com quatro pontos na tabela. A classificação embolada faz com que cada partida seja fundamental e, sendo um quadrangular, não há tempo para erros. Qualquer tropeço, exige a recuperação na sequência. O próprio Santa Cruz passou por isso quando perdeu do time goiano em casa e foi até Itu, no Interior de São Paulo, para não ‘morrer’ bem antes de ‘chegar na praia’.


Na ocasião, a Cobra Coral venceu o time do Interior paulista por 2×1, de virada, com dois gols de Chiquinho, e voltou a brigar pelo acesso para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro. O gol da virada aconteceu nos acréscimos do segundo tempo. O resultado aliviou toda a pressão acumulada no quadrangular, quando a equipe pernambucana entrou como favorita ao acesso e, antes da primeira vitória, foi parar na lanterna no grupo. O ambiente criado para partida no Estádio Novelli Júnior, com cobranças internas e forte trabalho psicológico, surtiu efeito e o elenco quer manter a mesma postura para a partida no Arruda.

‘’Eu não espero que seja muito diferente do último jogo, pois eles também precisam do resultado. Não acredito que eles vão vir se defendendo e devem tentar impor o ritmo e estilo deles. Nesta fase do campeonato, não tem partida fácil, como aconteceu na primeira fase. Todos os times são qualificados e têm condições de subir. Todo mundo está embolado no número de pontos. A gente espera fazer um grande jogo e entrar com um clima de decisão’’, afirmou Leonan, que deve ser titular mais uma vez, pois o concorrente direto pela posição, Peri, vem de uma lesão no músculo posterior da coxa direita.

'Peso' da torcida

Quando os jogadores e comissão técnica retornaram ao Recife, durante a semana, foram recebidos com aglomerações no aeroporto por parte de vários integrantes de uma torcida organizada e descumpriram todos os protocolos de segurança contra a covid-19. Em relação que não tiveram nada a haver com a ação, o lateral esquerdo Leonan lamentou o fato de ainda estarmos na pandemia e a presença da torcida ainda ser proibida. Algo que torna o mando de campo neutro, na visão do jogador.

‘’Se tivesse a torcida, com certeza seríamos extremamente fortes. Como não tem (torcedores), eu não acredito muito em (vantagem ou desvantagem) jogar dentro de casa ou fora. Se tivesse torcida, seria um jogo diferente. Mas a gente crê no que fizemos durante o campeonato. O grupo é qualificado e, neste momento decisivo, sabemos que a gente precisa conseguir os resultados positivos’’, completou Leonan.

Vale lembrar que, de acordo com assessoria de imprensa do Santa Cruz, todos os testes de covid-19 feitos na semana pelo elenco deram negativos. Assim como aconteceu no jogo em Itu, o tricolor não terá nenhum desfalque pelo novo coronavírus.

FICHA DO JOGO

Santa Cruz: Maycon Cleiton; Toty, Danny Morais, William Alves e Leonan; Bileu, Paulinho e Didira; Chiquinho, Pipico e Victor Rangel. Técnico: Marcelo Martelotte.

Ituano: Pegorari; Pacheco, Leo Santos, Suéliton e Breno Lopes; Corrêa, Fillipe Souto e Mateus Criciúma; Gabriel Taliari, Kadu e Bruno Mota. Técnico: Vinícius Bergantin.

Local: Estádio do Arruda.

Horário: 18h

Árbitro: Daniel Nobre Bins (RS).

Assistentes: Michael Stanislau e André da Silva Bitencourt (ambos do RS).

Comentários

Últimas notícias