PANDEMIA

Funcionamento dos parques e praias do Estado está restrito a partir desta quarta-feira (3)

Um decreto publicado pelo governo estadual nesta segunda (1º) detalha o horário que os locais não poderão ser frequentados durante os próximos 14 dias

Danielle Santana
Danielle Santana
Publicado em 03/03/2021 às 15:17
Notícia

FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Durante os finais de semana, locais só poderão ser frequentados para a realização de atividades esportivas individuais - FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

A partir desta quarta-feira (3), parques e praias de Pernambuco deverão ter a circulação de pessoas restringida. A mudança acontece após o Estado enfrentar o aumento no número de internações causadas pela covid-19. Um decreto publicado pelo governo estadual nesta segunda-feira (1º) detalha o horário que os locais não poderão ser frequentados durante os próximos 14 dias. Parques e praias, por exemplo, só podem ser utilizados das 8h às 20h nos dias úteis. Nos fins de semana os espaços estarão fechados.

Confira as determinações:

  • As atividades econômicas e sociais em parques e praias do Estado estão proibidas durante o final de semana e entre às 20h e 5h de segunda à sexta;
  • Frequentadores dos locais deverão utilizar máscara de proteção;
  • Durante o horário de maior restrição, os locais só poderão ser frequentados por pessoas que realizarão atividades esportivas em modalidades individuais;
  • Segue proibido o uso de som na faixa de areia da praia, independente do horário

Em janeiro, o fechamento dos parques já havia sido considerado pelo governo estadual. Na ocasião, o desrespeito as regras de distanciamento social e ao uso de máscaras foi levado em consideração pelo comitê de enfrentamento à covid-19 do Estado. "Nos preocupa o que está sendo observado nos parques das cidades, onde o abandono do uso das máscaras se tornou quase que uma normalidade", afirmou o secretário de Saúde do Estado, André Longo.

Com relação as praias, na capital pernambucana, barraqueiros cobram apoio do governo durante o período de aumento das restrições. "Nós não esperávamos que isso acontecesse novamente, até porque vínhamos cumprindo todos os protocolos determinados. Agora se a população não está fazendo a parte dela, eu creio que os barraqueiros não têm culpa. Tudo o que foi definido com a prefeitura e com o governo com relação ao distanciamento, uso de máscara e demais ações preventivas a gente vem cumprindo, então não podemos pagar o preço por conta da atitude de outras pessoas", disparou Severino da Silva Duda, presidente da associação que atualmente representa 476 barraqueiros que atuam na Zona Sul do Recife.

O presidente da associação informou, também, que caso os trabalhadores não recebam nenhum tipo de apoio do Executivo, eles irão se organizar para realizar protestos na cidade. "Eu esperava que o governo pelo menos chamasse os representantes dos barraqueiros para conversar e mostrar o que poderia ser feito para nos ajudar nesse momento. Se a situação já estava difícil, agora é que vai piorar, porque essas pessoas dependem da renda da praia. Eu vou tentar falar com o secretário e se ele não atender, essa semana mesmo nós vamos voltar a protestar", cravou Severino. Em Porto de Galinhas, no município de Ipojuca, no Litoral Sul do Estado, comerciantes organizaram um protesto contra o fechamento da praia durante o final de semana

 

Comentários

Últimas notícias