JANGA

Hospitaleira e mal cuidada: conheça 'Manepá', a terra do Gil do Vigor do BBB 21

O sucesso de Gilberto Nogueira no maior reality show do país chamou atenção para a Estrada da Manepá, localizada no Janga, Grande Recife

Katarina Moraes
Katarina Moraes
Publicado em 30/04/2021 às 16:36
Notícia
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM/DIVULGAÇÃO/TV GLOBO
A Estrada de Manepá, em Paulista, onde mora o Gil do BBB21, sofre com falta de transporte público e de capinação e com pontos de alagamento - FOTO: YACY RIBEIRO/JC IMAGEM/DIVULGAÇÃO/TV GLOBO
Leitura:

O carinho pela terra de onde veio é tópico frequente durante conversas e discussões do pernambucano Gilberto Nogueira no Big Brother Brasil 21 (BBB). Durante os, até então, 96 dias confinado, o economista, natural de Jaboatão dos Guararapes, e mais conhecido pelo caricaturesco apelido de ‘Gil do Vigor’, trouxe à tona diversas vezes as particularidades da Avenida ‘Manepá’, localizada no Janga, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife (RMR), onde mora. A região, pacata, hospitaleira e que sofre de problemas estruturais, no entanto, não é conhecida por muitos dos conterrâneos do pesquisador; mas isso tem uma explicação.

Na realidade, ‘Manepá’ trata-se de uma alcunha. A Avenida João Pereira de Oliveira ganhou o apelido por causa de uma personalidade forte - mais uma - que ficou popular na área. Natural da cidade que hoje se chama Buenos Aires, na Zona da Mata, Manoel Marques Bezerra tornou-se um dos principais comerciantes do Janga. Por ter o hábito de falar sempre usando um “pá” antes de qualquer frase, virou o “Mané Pá”. “Pá, vou jantar”, por exemplo. O final da história, no entanto, não é feliz: em 1975, ele foi sequestrado e ficou desaparecido desde então.

Mesmo assim, o nome pegou de uma forma que muitos dos comércios locais o têm na fachada, a exemplo de farmácias e supermercados. Talvez, agora, esteja ainda mais famoso do que o real título da via. As citações do participante do maior reality show do Brasil fizeram, inclusive, com que a região tivesse um pico de pesquisas no Google. Um gráfico que sinaliza o interesse dos internautas ao longo do tempo mostra que o termo teve pico de pesquisa medido em 100 - índice mais alto - em março de 2021. Desde 2004, o máximo que havia figurado foi 84, no ano de 2013.

Ao visitar o local, fica notório que o carisma de Gil não é exceção. “É bom morar aqui, o lugar é tranquilo, tem muita gente que mora aqui há muito tempo e todo mundo se conhece, se fala e se dá bom dia. Eu gosto muito daqui”, contou a estudante Lucy Lopes, de 18 anos. A mãe da jovem, a dona de casa Lucia Lopes, 46, revelou que a região traz o aconchego de sua cidade interiorana, Triunfo, no Sertão do Estado, mas que, por vezes, também se depara com a violência urbana comum na RMR. “ A tranquilidade é grande. Aqui você pode criar os filhos para saírem na rua. Como todo lugar, alguns pontos não são tanto”, afirmou.

Para o mecânico José Gomes, de 56 anos, a violência também é um ponto negativo da Manepá; apesar de ele deixar claro que é muito mais branda lá do que em outras áreas da cidade. “Aqui é bom, mas tem altos e baixos. Tem a malandragem do dia a dia, a insegurança, como tem em todo lugar. Todo cuidado é pouco. De vez em quando, passa carro de polícia na região, mas é raro acontecer algo. Já Conceição, Pau Amarelo e na beira mar são os lugares mais perigosos”, disse.

Em determinado momento do programa, Gilberto conta a Thais sobre os buracos nas ruas próximas a onde ele mora. O mecânico reiterou a fala ao afirmar que outros problemas da Manepá seriam acerca da mobilidade urbana do local e da falta de escoamento da água da chuva. “Tem muito buraco e não existe sinalização. Muita gente pega a avenida achando que é mão dupla, porque não tem placa para advertir. Quando chove, fica uma piscina; já chegou a entrar água na oficina. Tem muita rua que não é asfaltada, que a prefeitura começa a asfaltar, não termina e deixa pela metade”, denunciou.

As falhas na pavimentação também incomodam o comerciante Antônio Pereira, 43. “O [problema] principal são as calçadas. No dia em que tivermos um gestor que conserte as calçadas do Janga, ajuda. Se você for andar da Rua Cláudio Vieira de Leite até o Engenho Maranguape, está tudo cheio de buraco”, expressou.

Além disso, ele também citou a pouca oferta de transporte público na avenida. “Aqui ruim é ônibus, só tem de manhã cedo para Paulista. Se você for para a parada agora, você vai passar mais de horas esperando e não vai passar. Só passa na rua de trás para fazer o balão para Pau Amarelo, não tem ônibus para Paulista. Você tem que pegar uma kombi para ir.”

YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
30.04.21 - CIDADES - Estrada de Manepá em Paulista, foi recuperada, mas problemas com trasporte, capinação e pontos de alagaento ainda são recorrentes. - YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
30.04.21 - CIDADES - Na foto: José Gomes, 56 anos, mecânico - Estrada de Manepá em Paulista, foi recuperada, mas problemas com trasporte, capinação e pontos de alagaento ainda são recorrentes. - YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
30.04.21 - CIDADES - Na foto: Antônio Pereira, 43 anos, comerciante - Estrada de Manepá em Paulista, foi recuperada, mas problemas com trasporte, capinação e pontos de alagaento ainda são recorrentes. - YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
A Estrada de Manepá, em Paulista, sofre com falta de transporte público e de capinação e com pontos de alagamento - YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
30.04.21 - CIDADES - Estrada de Manepá em Paulista, foi recuperada, mas problemas com trasporte, capinação e pontos de alagaento ainda são recorrentes. - YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
30.04.21 - CIDADES - Estrada de Manepá em Paulista, foi recuperada, mas problemas com trasporte, capinação e pontos de alagaento ainda são recorrentes. - YACY RIBEIRO/JC IMAGEM

Segundo o Consórcio Grande Recife, passam quatro linhas pela avenida: 1922 - Pau Amarelo/TI Pelópidas, a 1950 - Engenho Maranguape/Varadouro, a 1955 - Engenho Maraguape/TI Pelópidas e a 1978 - Loteamento Conceição/TI Rio Doce. No entanto, o número varia dependendo do trecho da via, já que nem todas percorrem do início ao fim da Manepá.

Amigo pessoal de Gil e atual assessor da ‘mainha’ dele — a dona Jacira Santana, — o estudante de direito Erick Diniz, 29, apontou que a carência de ônibus também afetava o doutorando em Economia.

“Ele ficava muito tempo na parada esperando pelo ônibus. A viagem era longa até a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), ele chegava todo suado. Não era fácil.”

Agora, Gil não enfrentará mais esse sufoco. Desde que aprenda a dirigir, ele andará pela Manepá de carro zero, o que ganhou no BBB, isto é, se continuar morando no Janga, já que foi aprovado com bolsa em pelo menos dois PhD — o mais alto título acadêmico que um estudante pode receber — nos Estados Unidos.

“Eu não vim do Janga, do Manepá, de Pernambuco para chegar aqui e ser massa de manobra”; “Eu vim lá do Janga, da Manepá, dos cafundós de Judas e ‘tô’ aqui”. “Para mim, você é aquele meu amigo ali da esquina na Manepá”. Estas foram algumas das frases de Gil sobre a avenida. Pela visibilidade que ele deu ao local, fica evidente o amor que a região tem pela nova celebridade e como os moradores se sentem bem representados pelo Gil do Vigor. “Ele vai dar visibilidade, vai ser um ponto de turismo. O pessoal vai querer saber onde morava o Gilberto”, salientou Antônio. “A gente passou a torcer e a votar por ele porque ele nos representa também”, falou Lucy. “Ele está fazendo o maior sucesso por aqui, revelou Lucia.

*A reportagem entrou em contato com a Prefeitura de Paulista para obter esclarecimentos sobre as reclamações de moradores da Manepá, e atualizará a reportagem quando receber resposta.

Comentários

Últimas notícias