Pandemia

Pernambuco prolonga restrições no Grande Recife e deixa medidas mais rígidas em parte do Estado

O governo de Pernambuco anunciou as medidas em coletiva nesta quarta

Adriana Guarda Giovanna Torreão
Adriana Guarda
Giovanna Torreão
Publicado em 02/06/2021 às 17:33
Notícia
Tião Siqueira / JC Imagem
Movimentação em Jaboatão dos Guararapes - FOTO: Tião Siqueira / JC Imagem
Leitura:

O governo de Pernambuco anunciou em coletiva, nesta quarta-feira (2), mais restrições em uma nova região do Estado em função dos números da pandemia do novo coronavírus. A partir deste final de semana, medidas mais rígidas serão aplicadas no municípios da 3ª Macrorregião, que compõe as regionais de Arcoverde, Serra Talhada e Afogados da Ingazeira, no Sertão de Pernambuco. Além disso, ficou determinada a prorrogação das medidas restritivas, que terminariam neste sábado (06), até 13 de junho no Grande Recife, Zona da Mata e Agreste do Estado. O momento contou com a presença do secretário estadual de Saúde, André Longo e da secretária executiva de Desenvolvimento Econômico, Ana Paula Vilaça.

Decreto com prorrogação das restrições em Pernambuco é publicado; saiba o que pode e o que não pode

A maior preocupação do governo de Pernambuco continua sendo com o Agreste, que mesmo com a determinação continua avançando em ritmo lento e ainda registrando muitos casos graves. Diante da situação, as medidas restritivas tanto para o Agreste quanto para a Região Metropolitana do Recife, que tinham previsão de se encerrar no próximo dia 6 serão prorrogadas por mais uma semana, até o dia 13 de junho. Na macrorregião 3, as restrições valem para os finais de semana 5 e 6 e 12 e 13 de junho.

"Atendendo a uma reivindicação de empresários e gestores, decidimos anunciar as medidas com mais previsibilidade para que os setores possam se organizar", disse Ana Paula. Muitas críticas têm sido feitas ao governo de Pernambuco reclamando que as medidas não têm surtido efeito e que a pandemia continua avançando no Estado. "As medidas estão surtindo efeito, sim, mas o nosso comportamento é que será o diferencial nessa guerra. Precisamos usar máscara, manter o distanciamento social, respeitar os protocolos sanitários", adverte a secretária. 

O secretário estadual de Saúde, André Longo, defende que as medidas restritivas estão funcionando, mas não descarta a possibilidade de apertar ainda mais as regras se os casos de covid-19 continuarem evoluindo. “Na análise por Macrorregião, temos um cenário de estabilidade na 4ª, seguido de um estágio de platô, em níveis ainda muito elevados na 1ª. No Agreste, conseguimos interromper a aceleração exponencial e os indicadores ficaram estáveis, mas a região continua gerando muitos doentes graves, pressionando a rede de saúde. Na 3ª Macrorregião, tivemos uma aceleração mais rápida, com um crescimento de 19% em uma semana e de 21% em 15 dias no número de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave”, pontuou. Com relação às solicitações de UTI, a região da Macro 3 apresentou um aumento de 18% em uma semana e de 68% em 15 dias. Foram 47 na Semana 19 até chegar a 79 na semana passada.

André Longo anunciou ainda a abertura de mais 10 leitos de UTI no Hospital Mestre Vitalino, em Caruaru. “Somando com os da semana passada, já são 60 leitos de terapia intensiva, nos últimos sete dias, sendo 40 no Agreste e 20 no Sertão”, explicou o secretário, que também ressaltou outras ações do Governo de Pernambuco para o interior do Estado. “Distribuímos, até hoje, 154 concentradores de oxigênio para os municípios que mais precisavam. Montamos uma Central Emergencial de Fornecimento de Oxigênio que, do último sábado até o começo da tarde de hoje, já socorreu 40 municípios com o carregamento de 718 cilindros, totalizando 5.490 m³ de oxigênio”, detalhou.

As cidades que terão restrições e foram anunciadas nessa quarta-feira são as seguintes:

VI Geres

Arcoverde, Buíque, Custódia, Ibimirim, Inajá, Jatobá, Manarí, Pedra, Petrolândia, Sertânia, Tacaratu, Tupanatinga, Venturosa

XI Geres

Betânia, Calumbi, Carnaubeira da Penha, Flores, Floresta, Itacuruba, Santa Cruz da Baixa Verde, São José do Belmonte, Serra Talhada (sede), Triunfo

X Geres

Afogados da Ingazeira (sede), Brejinho, Carnaíba, Iguaraci, Ingazeira, Itapetim, Quixaba, Santa Terezinha, São José do Egito, Solidão, Tabira, Tuparetama.

VI GERES

Arcoverde - 13 municípios 

XI GERES

Serra Talhada - 10 municípios 

X GERES

Afogados da Ingazeira - 12 municípios

Média móvel de mortes

Pernambuco confirmou, nesta quarta-feira (2), mais 73 mortes em decorrência de complicações causadas pela covid-19. Com isso, a média móvel, que leva em consideração os números dos últimos sete dias, atingiu 70 mortes e apresentou uma tendência de alta de 24%. É o segundo dia consecutivo que o Estado registra alta nas mortes, após permanecer, por oito dias, em estabilidade.

>> Covid-19: resultados de testes que investigam possibilidade de nova variante em Pernambuco só devem sair na próxima semana

>> CPI da Covid: Nise Yamaguchi diz que não sugeriu mudanças na bula da cloroquina

A média móvel é considerada a melhor forma de medir o comportamento da pandemia. Ela contabiliza a média dos últimos sete dias (contando com hoje) e compara com 14 dias atrás. Variações acima de 15%, seja para mais ou menos, indicam tendência de alta ou queda, respectivamente. Já abaixo disso, indicam estabilidade.

Os óbitos confirmados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) nas últimas 24 horas ocorreram entre os dias 18 de abril 2020, ou seja, há mais de um ano, e essa terça-feira (1º). Agora, Pernambuco totaliza 16.013 mortes pela covid-19. Os detalhes epidemiológicos dos pacientes que perderam a vida para a doença serão repassados ao longo do dia pelo órgão.

Casos

Também foram confirmados 3.551 casos de pessoas infectadas pelo novo coronavírus no Estado. Entre os confirmados, 165 (4,5%) são de pacientes que desenvolveram Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 3.386 (77%) são casos leves. Com isso, Pernambuco totaliza 489.145 casos confirmados da doença, sendo 45.175 graves e 443.970 leves.

A média móvel de casos segue em estabilidade por seis dias. Nesta quarta, atingiu 2.726 casos, com tendência de estabilidade em 7%.

Comentários

Últimas notícias