ASSISTÊNCIA

CHUVAS EM PERNAMBUCO: menos da metade das famílias afetadas receberam o auxílio no Grande Recife

Mais de um mês após início das tragédias, maioria das famílias ainda não teve assistência financeira para recomeçar a vida em Pernambuco

Katarina Moraes
Cadastrado por
Katarina Moraes
Publicado em 04/07/2022 às 15:07 | Atualizado em 05/07/2022 às 11:08
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
TEJIPIÓ Com imóveis tomados pela água, moradores retiraram tudo o que perderam e colocaram nas calçadas - FOTO: BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Leitura:

Mais de um mês após o início das tragédias causadas pelas chuvas no Grande Recife, menos da metade das famílias afetadas que foram cadastradas receberam os auxílios municipais e estadual para recomeçar as vidas. Isso dá o tom de quando as cidades do interior do Estado, que também sofreram com a precipitação nesse final de semana e foram incluídas no orçamento do Governo de Pernambuco, devem receber assistência.

Na capital pernambucana, por exemplo, as mesmas 32 mil famílias devem ganhar R$ 1,5 mil pelo estado e mais R$ 1 mil pela Prefeitura. Até o momento, 10,3 mil destas foram beneficiadas. O desembolso da cidade é de R$ 45 milhões, e de R$ 30 milhões em recursos do tesouro estadual.

Para receber, a família deve morar em áreas afetadas e mapeadas pela Defesa Civil e Assistência Social, atender ao perfil do CadÚnico e habitar em Comunidades de Interesse Social (CIS) de áreas alagadas - 145, atualmente.

Já em Olinda, 246 famílias que ficaram nos abrigos da prefeitura foram cadastradas para receber R$ 1,5 mil de auxílio municipal. Dessas, 87 receberam o benefício. Para quem não ficou nos locais oferecidos pelo município, mas foi afetado pelas chuvas de alguma forma, será pago R$ 1,5 mil pelo governo do estado, mas não foi informado quantas pessoas receberam.

Segundo a gestão, os auxílios não são cumulativos. Cada família só recebe um deles. 

O esquema é o mesmo em Jaboatão dos Guararapes. As 380 famílias cadastradas nos abrigos municipais devem receber R$ 1,5 mil do auxílio da cidade - pago até a última sexta a 141 famílias. Novos lotes devem sair ainda nesta segunda-feira.

Com relação ao auxílio emergencial estadual, de mesmo valor, foram cadastradas mais de 11 mil famílias em Jaboatão, cujos dados, segundo a Prefeitura, estão passando por cruzamentos e validação, para garantia de que as famílias estejam dentro dos critérios estabelecidos pelo Governo do Estado. O pagamento começou a ser feito nesta segunda, com um primeiro lote de 253 famílias.

A Prefeitura de Camaragibe não respondeu à solicitação do JC.

Maior parte da verba já foi liberada

O Governo de Pernambuco informou que já liberou 90,11% dos R$ 124,7 milhões inicialmente previstos para pagamento do Auxílio Pernambuco, o que corresponde a mais de R$ 112 milhões para 74.907 famílias. Até o momento, 23 dos 31 municípios incluídos na primeira lista de localidades que receberão o benefício em decorrências das chuvas do fim de maio deste ano já foram contemplados. Outros oito ainda não tiveram acesso aos recursos por não terem cumprido trâmites relativos à criação de conta para transferência bancária e à assinatura de termo de aceite.

Já tiveram recursos liberados: Recife, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Paulista, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Abreu e Lima, Igarassu, São Lourenço da Mata, Palmares, Moreno, Timbaúba, Bom Jardim, Aliança, Sirinhaém, Glória do Goitá, Nazaré da Mata, Pombos, Vicência, Macaparana, Araçoiaba, São Vicente Férrer e Tracunhaém. Ainda não tiveram acesso aos recursos por pendências cadastrais os municípios de Goiana, Escada, Paudalho, Limoeiro, Passira, Chã Grande, São José da Coroa Grande e Lagoa do Carro.

“Estamos orientando as equipes municipais para destravar a liberação de recursos. O montante foi repassado do Fundo Estadual de Assistência Social para os fundos municipais, ficando a cargo das prefeituras o pagamento mediante cadastramento nas localidades afetadas. Para receber, é preciso cumprir dois requisitos: estar no Cadastro Único e ter a comprovação, feita pelas prefeituras, da condição de desabrigado, desalojado ou de ter sofrido alguma perda material, como de móveis e eletrodomésticos, por conta das chuvas”, explica o secretário estadual de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, Edilazio Wanderley.

População cobra pagamentos

Ainda que o montante seja milionário, parece não atender a todos que perderam o que tinham para as águas. Na manhã desta segunda, famílias dos bairros de Jardim Uchoa e do Totó, na Zona Oeste da cidade, protestaram em denúncia por não terem conseguido se inscrever no auxílio emergencial.

A cozinheira Lucicleide Pereira foi uma delas. Da casa, só conseguiu salvar a vida. “Estou vivendo pela misericórdia. Com a ajuda de amigos e vizinhos, e graças a Deus estou trabalhando, mas só tem um mês. Não tenho como pagar a casa onde estou”, afirmou.

Ao JC, a gestão municipal informou que pleiteia, junto ao Governo Federal, a liberação de recursos do FGTS para mitigar o sofrimento das famílias que não estão em áreas CIS ou que não possuem perfil para CadÚnico, mas que foram afetadas.

Prejuízos também na Zona da Mata

Ao todo, 29 cidades do interior do Estado foram atingidas desde o dia 1º pelas chuvas. São 1.085 pessoas desabrigadas (quem está em um abrigo) e 5.988 desalojadas (quem está na casa de um parente).

Não foram registradas novas mortes em decorrência das chuvas. No entanto, duas pessoas estão desaparecidas, uma em Jaqueira, e outra em Catende, ambos municípios da Zona da Mata do Estado. Uma delas é o funcionário da Prefeitura de Jaqueira Alex Fernando Silva, de 20 anos. Ele teria sido arrastado pela correnteza nas enchentes da região após levar um choque.

As cidades que registraram danos e prejuízos foram: Águas Belas, Água Preta, Angelim, Barreiros, Belém de Maria, Bom Conselho, Brejão, Caetés, Capoeiras, Canhotinho, Catende, Correntes, Cortês, Escada, Garanhuns, Iati, Itaíba, Jaqueira, Jurema, Jupi, Lagoa do Ouro, Maraial, Palmares, Palmerina, Quipapá, Rio Formoso, Saloá, São Benedito do Sul e Tamandaré.

Dentre essas, até o momento, 15 já encaminharam os Decretos Municipais de Situação de Emergência à Secretaria Executiva de Defesa Civil do Estado. Estão nessa lista os municípios: Água Preta, Angelim, Barreiros, Belém de Maria, Bom Conselho, Caetés, Capoeiras, Catende, Correntes, Itaíba, Jaqueira, Maraial, Palmares, Saloá e São Benedito do Sul. Esse número pode subir porque os municípios ainda estão em fase de levantamento dos danos e prejuízos.

A Codecipe orienta que a população não ultrapasse as áreas inundadas e alagadas e sigam todas as recomendações da Defesa Civil Municipal, mantendo-se em alerta, sobretudo nas áreas ribeirinhas e de risco. A Central permanece com atendimento 24h através dos telefones 3181-2490 e 199.

Comentários

Últimas notícias