Eleições 2022

Quais chances de Danilo Cabral ser o candidato do PSB ao Governo de Pernambuco?

Segundo o colunista Lauro Jardim, o governador Paulo Câmara teria escolhido o deputado federal Danilo Cabral como "o nome do PSB para sucessão em Pernambuco"

Mirella Araújo Renata Monteiro
Mirella Araújo
Renata Monteiro
Publicado em 12/01/2022 às 20:41
FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
LADO A LADO Ontem, Danilo esteve com João Campos pela manhã e se reuniu com Paulo Câmara à noite - FOTO: FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Leitura:

A informação de que o governador Paulo Câmara teria batido o martelo sobre o nome do deputado federal Danilo Cabral para ser o candidato ao Governo de Pernambuco, segundo nota publicada pelo colunista Lauro Jardim do jornal O Globo, nesta quarta-feira (12), gerou alvoroço nos bastidores do partido socialista e na base aliada. No mesmo dia, o chefe do Executivo estadual esteve à mesa com o deputado federal Tadeu Alencar, pela manhã - que também tem sido cotado como pré-candidato -, e à noite se reuniu com o próprio Danilo, que é líder do PSB na Câmara dos Deputados.

Na manhã desta quarta-feira, Danilo também esteve em uma agenda com o Prefeito do Recife, João Campos, para o anúncio de serviços de recapeamento nas vias da comunidade da Vila Santa Luzia. Apesar de fontes socialistas e de integrantes da Frente Popular de Pernambuco afirmarem que ainda não houve decisão, ou que ao menos não foram comunicados oficialmente, muitos reconhecem que Danilo Cabral não seria uma surpresa, já que tem sido um nome trabalhado internamente.

Procurado pela reportagem, o parlamentar não atendeu as tentativas de contato. De acordo com sua assessoria de imprensa, ele não irá comentar a publicação do jornal carioca. Ele continua sendo candidato à reeleição para a bancada federal.

O presidente estadual do PSB, Sileno Guedes, disse que o governador Paulo Câmara já iniciou o processo de escuta dos partidos e que deve cumprir com o prazo até o dia 31 de janeiro para anunciar quem será o quadro indicado do PSB para concorrer às eleições. “Desde que o ex-prefeito Geraldo Julio afirmou que não seria candidato à reeleição, venho falando que o PSB tem vários quadros com uma identidade muito forte dentro do partido. Não tem nenhuma definição” afirmou Guedes.

Assim como informou o JC, o governador Paulo Câmara começou a chamar os partidos aliados para discutir sobre o processo de sucessão. Nesta quinta-feira (13), ele deverá conversar com a presidente nacional do PCdoB e vice-governadora do Estado, Luciana Santos, e o deputado federal Renildo Calheiros (PCdoB). Nos próximos dias também haverá uma reunião prevista com o deputado federal e presidente estadual do Republicanos, Silvio Costa Filho - ele é um dos nomes ventilados para concorrer a vaga para o Senado Federal.

Na próxima segunda-feira (17), o deputado federal e presidente estadual do PSD, André de Paula, também vai ter uma audiência com o governador no Palácio do Campo das Princesas. “Houve uma delegação de todos os partidos que compõem a Frente Popular de que o governador Paulo Câmara coordenasse o processo de escutas com todos os aliados. Temos quatro alternativas e Danilo é uma das boas alternativas que nós temos. Ele já foi vereador, secretário de Estado, tem envergadura política, transita em todas as áreas e é líder do seu partido. Então não seria uma surpresa nesse processo”, avaliou André.

As outras alternativas a que o dirigente pessedista se refere são o ex-prefeito do Recife, Geraldo Julio, o deputado federal Tadeu Alencar e o secretário da Casa Civil, José Neto - este último tem a preferência do governador do Estado. 

Perfil

Uma fonte ligada ao Palácio do Campo das Princesas, afirmou que nenhuma decisão teria sido cravada, mas que Danilo tem o perfil, entre os nomes especulados, na linha do que tem sido defendido pelo próprio PSB. Filiado ao Partido Socialista Brasileiro há 32 anos, portanto, um quadro com ligação histórica e orgânica, Danilo já foi secretário municipal de Administração e secretário estadual de Educação e Planejamento.

Em 2010, ele foi eleito para o primeiro dos três mandatos na Câmara Federal. Seu nome, inclusive, recebe amplo apoio dos colegas de bancada. Em 2018, quando disputou as urnas pela última vez, foi reeleito deputado federal com 91.635 votos, sendo o terceiro nome mais votado do PSB no Estado, atrás de João Campos e Felipe Carreras.

Essa não é a primeira vez que o socialista é cotado para disputar como cabeça de chapa majoritária. Em 2012, quando o PSB decidiu lançar candidatura própria para a Prefeitura do Recife, Danilo foi um dos nomes ventilados. Nas eleições de 2014, para o Palácio do Campo das Princesas, ele voltou a ecoar como opção para majoritária, mas acabou preterido em ambas as ocasiões em prol de Geraldo Julio e Paulo Câmara, respectivamente.

O que pesaria contra Danilo dentro dessa conjuntura, seria a preferência da família do prefeito do Recife, João Campos, por Tadeu Alencar, e o apoio que o secretário da Casa Civil José Neto vem recebendo de prefeitos e parlamentares estaduais, apesar de negar que queira ser candidato. Além disso, o ex-prefeito Geraldo Julio não estaria sendo totalmente descartado do debate.

Frente Popular 

O senador Humberto Costa, pré-candidato a governador pelo PT, também comentou sobre a possibilidade de o governador Paulo Câmara ter escolhido Danilo Cabral como seu sucessor. O petista esteve no dia anterior reunido com o gestor e com o presidente estadual do PT, Doriel Barros, para conversarem sobre o cenário político estadual.

“Não teve nenhuma novidade, o governador reafirmou que ao longo desse mês vai procurar reunir todos os partidos para tomar uma decisão. Ele falou que iria iniciar esse processo de consultas. É lógico que o deputado Danilo Cabral tem uma história de militância política de muito tempo e é um nome muito respeitado, mas o que o governador nos transmitiu ontem, é que estaria iniciando esse processo de discussão”, afirmou Costa.

Entretanto, o anúncio a favor de Danilo Cabral, poderia indicar muito mais um racha interno diante da falta de consenso por um nome e um desgaste natural com uma frente ampla de legendas em sua base, do que uma decisão definitiva em si. “Não fomos procurados. Não tenho absolutamente nada contra o nome de Danilo, que representa esse perfil político, mas nem Eduardo Campos faria desse jeito. Decidir sem conversar com os partidos antes de conversar com as pessoas da política”, disparou um aliado, em reserva.

Em viagem no exterior, o deputado federal Augusto Coutinho, presidente do Solidariedade em Pernambuco, disse não saber de nenhuma decisão tomada pelo governador até o momento. Apesar disso, o parlamentar afirma não ter restrições com relação ao nome de Danilo Cabral.

“Eu acho Danilo um excelente nome, qualificado para qualquer missão que lhe seja dada. Ele poderia já ter sido candidato a prefeito e até a governador. Ele é preparado, sério, mas essa decisão não cabe a mim. A condução do processo sucessório da Frente Popular de Pernambuco é do governador Paulo Câmara”, declarou Coutinho.

Sob sigilo de fonte, uma outra liderança ligada à coligação pareceu não dar muita importância à informação revelada por O Globo e chegou até a classificá-la como mentira. Para essa pessoa, a decisão do PSB sequer teria sido tomada, uma vez que o partido em Pernambuco estaria enfrentando problemas internos.

“Eu acho que há uma briga muito grande no PSB e o partido hoje tem três grupos, o de Geraldo Julio, o de Paulo Câmara e o dos Campos. Nesse contexto surgiu ainda uma tensão com o PT que está se acirrando e se o ex-presidente Lula (PT) decidir lançar uma candidatura petista no Estado isso pode provocar um racha na Frente Popular”, observou o político. No início desta semana, apesar das negociações de uma aliança entre PT e PSB, o senador Humberto Costa (PT) afirmou que a sua pré-candidatura ao governo está mantida e que, inclusive, contaria com o aval de Lula.

Também em reserva, uma outra liderança disse que acha pouco provável que Paulo Câmara tenha tomado uma decisão sem consultar partidos estratégicos da sua base aliada. “O governador com certeza ainda fará essa consulta, não é do perfil dele resolver uma situação como essa sem um diálogo prévio”, frisou.

 

 

Comentários

Últimas notícias