Evitando o contágio

Bancada evangélica da Alepe apresenta solicitação de suspensão dos efeitos de decreto de Paulo Câmara

A carta foi redigida na tarde desta terça-feira (28)

JAMILDO MELO
JAMILDO MELO
Publicado em 28/09/2021 às 21:20
Eric Lessa/Gabinete
Assinam o documento os deputados Erick Lessa, Adauto Santos, Cleiton Collins, William Brígido, Dulci Amorim e Joel da Harpa - FOTO: Eric Lessa/Gabinete
Leitura:

A bancada evangélica da Assembleia Legislativa de Pernambuco redigiu uma carta conjunta solicitando a suspensão do decreto nº 51460, publicado na segunda-feira (27).

O documento, que exige a vacinação ou o resultado negativo para a covid-19 em igrejas com mais de 300 pessoas, tem sido motivo de discussões em todo o estado, sobretudo entre lideranças religiosas.

No entanto, as exigências são para vários setores que lidam com público, não apenas igrejas ou templos.

Na carta, os parlamentares pleiteiam que o governo estadual “mantenha as regras vigentes antes do referido decreto”.

A bancada ainda propõe que “haja mais tempo para discussões da área técnica, líderes religiosos e estes representantes que subscrevem a fim de tratar minuciosamente, com a finalidade de atentar para as variadas entidades religiosas espalhadas pelo estado, e suas várias características específicas”.

Assinam o documento os deputados Erick Lessa, Adauto Santos, Cleiton Collins, William Brígido, Dulci Amorim e Joel da Harpa.

A carta foi redigida na tarde desta terça-feira (28).

Ao longo do dia, a bancada se reuniu com o secretário executivo de Articulação e Acompanhamento, Eduardo Figueiredo, além da secretária executiva de Vigilância em Saúde, Patrícia Ismael e com o procurador-geral de Justiça, Paulo Augusto, debatendo detalhes do decreto.

Comentários

Últimas notícias