Blog do Torcedor - Tudo sobre o futebol do Brasil e do mundo, basquete, NFL e todos os esportes
Torcedor

As notícias de Náutico, Santa Cruz e Sport, futebol nacional e internacional. Basquete, NFL, Fórmula 1 e todos os esportes Com análise, interatividade e opinião

Revolta

Emocionado, irmão de ex-diretora do Náutico desabafa sobre caso da denúncia de assédio: "Isso é um absurdo"

Tatiana Roma foi a primeira vítima que denunciou os casos de assédio que aconteceram dentro do Timbu

Davi Saboya Carolina Fonsêca
Davi Saboya
Carolina Fonsêca
Publicado em 26/11/2021 às 5:02
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Camilo Brito, conselheiro do Náutico e irmão de Tatiana Roma - FOTO: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Leitura:

Torcedores do Náutico realizaram um protesto na noite dessa quinta-feira (25) contra os casos de denúncia de assédio que teriam acontecido dentro do clube.

O acusado de cometer as importunações é o ex-superintendente financeiro Errisson Melo, irmão do presidente Edno Melo.

A primeira vítima que realizou a denúncia foi a ex-diretora da mulher e de operações Tatiana Roma.

O irmão da ex-diretora do Náutico, Camilo Brito, esteve presente no protesto realizado por grupos de torcedores e concedeu entrevista ao Blog do Torcedor bastante emocionado.

Ele, que também é conselheiro do Timbu, não escondeu a revolta do caso e frisou que recomendou que a irmã não participasse da manifestação por medida de segurança.

"Falei com ela (Tati Roma) para ficar em casa por questões de segurança. Fecharam a Timbushop, fecharam o Bar de Americano, não sabíamos o que poderia acontecer",  afirmou o irmão de Tati Roma.

"Ela está muito abalada, mas está muito feliz porque outras pessoas estão denunciando também".

"Infelizmente, aconteceu isso. É um absurdo".

"O presidente (Edno Melo) sabia, o vice-presidente (Diógenes Braga) sabia, o presidente do Conselho Deliberativo (Alexandre Carneiro) sabia e ninguém fez nada. Isso é um absurdo", completou.

BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
O protesto aconteceu na frente da sede do Náutico - BOBBY FABISAK/JC IMAGEM

Camilo reiterou as críticas feitas para os líderes da atual gestão.

"A diretoria está muito fechada e não escuta ninguém de fora. Eles não acham que estão errados. Isso que é o pior".

"Foi conversado com Edno (Melo), foi conversado com Alexandre (Carneiro) e eles queriam empurrar para frente dizendo que resolviam depois. Foi muito importante a atitude da minha irmã", contou.

O irmão da ex-diretora do Náutico ainda revelou que ela chegou a dizer para o presidente Edno Melo que bastaria que o ex-superintendente fosse demitido para o assunto ser resolvido.

Mas, de acordo com Camilo, o mandatário ignorou. Brito também ressaltou que temeu pela segurança de Tatiana no início.

"Ela (Tatiana Roma) é mulher, está em um mundo machista. Ninguém sabia o que poderia acontecer. Eu mesmo disse para ela fazer um acordo".

"Tatiana escutou, segurou bastante. Em setembro, ela disse para Edno que se demitisse ele (Errisson Melo) estaria satisfeita. Ele não escutou", comentou.

"Muitas pessoas apareceram depois. Uma menina de 15 anos apareceu agora. Acho que essas ações que anunciaram agora são apenas 'cortina de fumaça'", acrescentou o irmão de Tatiana Roma e conselheiro do Náutico.

VEJA MAIS CONTEÚDO SOBRE O NÁUTICO

Comentários

Últimas notícias