crime

Jovem tem conta do Twitter suspensa após divulgar vídeo de estupro contra mulher

Tão logo o vídeo foi divulgado ganhou repercussão nas redes sociais. O autor da postagem passou a ser xingado pelos internautas e rebateu com mais xingamentos

JC Online
JC Online
Publicado em 25/05/2016 às 13:01
Foto: Reprodução de Internet
Tão logo o vídeo foi divulgado ganhou repercussão nas redes sociais. O autor da postagem passou a ser xingado pelos internautas e rebateu com mais xingamentos - FOTO: Foto: Reprodução de Internet
Leitura:

Um jovem teve a conta suspensa do Twitter após divulgar no microblog um vídeo estuprando uma mulher. O caso ganhou repercussão na manhã desta quarta-feira (23) e mostra a vítima despida, em cima de uma cama, aparentando estar dopada e sendo abusada por dois homens. Tão logo o vídeo foi divulgado ganhou repercussão nas redes sociais e a palavra estupro foi para o Trending Topics Brasil.

O perfil do rapaz é Doctor Stranger (@michelbrasil7). Tão logo o vídeo foi divulgado teve ampla repercussão. O autor da postagem passou a ser xingado pelos internautas e rebateu com mais xingamentos. "Vê coisa pior nessa p... e não reclama. Só porque postei o vídeo da mina que vim falar m.. O vídeo vai ficar" escreveu ele. A repercussão, entretanto, passou a ganhar mais destaque e ele removeu o vídeo. Momentos depois, a conta foi removida.

Segundo as informações oferecidas pelo próprio rapaz, ele é do Rio de Janeiro. No vídeo do estupro, ele xinga a menina, dizendo, em termos chulos, que "ela já teria engravidado de vários homens e estava acostumada com isso".

Após a repercussão, conta do rapaz foi suspensa:

CRIME -  A divulgação do vídeo, com ampla exposição da vítima, é crime previsto na Lei Brasileira 12.737/2012, conhecida como Lei Carolina Dieckmann. O Projeto de Lei que resultou na "Lei Carolina Dieckmann" foi proposto após a atriz ter fotos íntimas copiadas de seu computador pessoal e divulgada na internet e redes sociais.

 

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias